An­go­la­no no ór­gão téc­ni­co da In­ter­pol

Jornal de Angola - - POLÍTICA -

A elei­ção do superintendente che­fe Isaías da Sil­va Trindade, do Ser­vi­ço de In­ves­ti­ga­ção Cri­mi­nal (SIC), pa­ra in­te­grar a Co­mis­são de Con­tro­lo de Fi­chei­ros da Or­ga­ni­za­ção In­ter­na­ci­o­nal de Po­lí­ci­as Cri­mi­nais (In­ter­pol) cons­ti­tui “um ga­nho ex­tre­ma­men­te im­por­tan­te pa­ra o país”, dis­se on­tem, em Lu­an­da, o mi­nis­tro do In­te­ri­or, Ân­ge­lo Ta­va­res.

“Pa­ra o país é um ga­nho ex­tre­ma­men­te im­por­tan­te por­que vai per­mi­tir que, com es­te nos­so mem­bro pre­sen­te, pos­sam ser ava­li­a­das si­tu­a­ções de ci­da­dãos na­ci­o­nais que even­tu­al­men­te pos­sam es­tar a ser in­se­ri­dos com al­gu­ma ir­re­gu­la­ri­da­de na lis­ta de pro­cu­ra­dos”, re­fe­riu o go­ver­nan­te no Ae­ro­por­to In­ter­na­ci­o­nal 4 de Fe­ve­rei­ro.

De acor­do com o mi­nis­tro, que fa­la­va à im­pren­sa à che­ga­da ao país, pro­ve­ni­en­te de Ba­li - In­do­né­sia, esta Co­mis­são é um dos me­ca­nis­mos mais im­por­tan­tes da or­ga­ni­za­ção, vis­to ter res­pon­sa­bi­li­da­de de fa­zer ava­li­a­ções pe­rió­di­cas da si­tu­a­ção dos aler­tas ver­me­lhos e da re­ti­ra­da e/ou in­ser­ção dos ci­da­dãos das lis­tas dos pro­cu­ra­dos.

“Pois is­to, dá-lhe a pos­si­bi­li­da­de de de­fen­der tam­bém al­guns in­te­res­ses de An­go­la (….)”, ex­pres­sou Ân­ge­lo Ta­va­res, que che­fi­ou a de­le­ga­ção an­go­la­na que par­ti­ci­pou na 85ª Ses­são da As­sem­bleia-Ge­ral da Or­ga­ni­za­ção In­ter­na­ci­o­nal de Po­lí­cia Cri­mi­nal (In­ter­pol), re­a­li­za­da em Ba­li, In­do­né­sia. A elei­ção do ofi­ci­al sé­ni­or do SIC de­cor­reu à mar­gem da 85ª As­sem­bleia-Ge­ral da In­ter­pol, com 35 vo­tos, pa­ra um man­da­to de cin­co anos co­mo res­pon­sá­vel pe­la pas­ta da co­o­pe­ra­ção po­li­ci­al in­ter­na­ci­o­nal, su­pe­ran­do os can­di­da­tos dos Es­ta­dos Uni­dos da Amé­ri­ca, Ale­ma­nha, Sué­cia, Rei­no Uni­do, Itá­lia, Bél­gi­ca e Ca­na­dá.

Isaías Trindade, 52 anos, é for­ma­do em Di­rei­to In­ter­na­ci­o­nal, com mes­tra­do em Ci­ên­ci­as Ju­rí­di­cas. Foi re­pre­sen­tan­te da In­ter­pol em An­go­la de 2005 a 2013, e pa­ra a elei­ção a es­te car­go con­tou com o apoio do gru­po dos paí­ses afri­ca­nos, da Amé­ri­ca La­ti­na, bem co­mo da Mol­dá­via e da Fe­de­ra­ção Rus­sa.

A Co­mis­são de Con­tro­lo de Fi­chei­ros da In­ter­pol é o ór­gão que pro­ce­de ao con­tro­lo, pro­ces­sa­men­to de da­dos pes­so­ais e pu­bli­ca­ção dos man­da­dos e cap­tu­ra in­ter­na­ci­o­nal.

Com­ba­te ao ter­ro­ris­mo

Ân­ge­lo Ta­va­res dis­se que a 85ª Ses­são da As­sem­bleia-Ge­ral da In­ter­pol foi uma reu­nião ex­tre­ma­men­te im­por­tan­te que abor­dou te­mas bas­tan­te ac­tu­ais e a es­tra­té­gia da or­ga­ni­za­ção pa­ra o com­ba­te a di­ver­sos ti­pos de cri­mes. Nes­te par­ti­cu­lar, re­fe­riu-se ao com­ba­te ao ter­ro­ris­mo, aos cri­mes vi­o­len­tos e or­ga­ni­za­dos, às no­vas for­mas de co­me­ti­men­to de cri­mes e aos cri­mes ci­ber­né­ti­cos, além da ac­tu­a­li­za­ção de al­guns re­gu­la­men­tos in­ter­nos e da elei­ção de no­vos mem­bros pa­ra a co­mis­são de con­tro­lo dos fi­chei­ros da In­ter­pol.

“A reu­nião foi ex­tre­ma­men­te im­por­tan­te. A or­ga­ni­za­ção co­me­ça a dar pas­sos pa­ra ser ca­da vez mais for­te e co­e­sa, cri­an­do me­ca­nis­mos que acom­pa­nham as no­vas for­mas de co­me­ti­men­to de cri­mes, as­sim co­mo no­vos mé­to­dos de com­ba­te a cri­mes, com par­ti­cu­lar aten­ção pa­ra as no­vas tec­no­lo­gi­as de in­for­ma­ção”, fri­sou.

À mar­gem da reu­nião, o mi­nis­tro do In­te­ri­or reu­niu-se com o vi­ce­mi­nis­tro da Se­gu­ran­ça Pú­bli­ca da Chi­na, Meng Hongwe, com quem abor­dou as­pec­tos ine­ren­tes ao re­for­ço da co­o­pe­ra­ção bi­la­te­ral no do­mí­nio da se­gu­ran­ça pú­bli­ca.

O vi­ce-mi­nis­tro chi­nês, elei­to pre­si­den­te da In­ter­pol na 85ª Ses­são da As­sem­bleia-Ge­ral da or­ga­ni­za­ção, ma­ni­fes­tou a dis­po­ni­bi­li­da­de da Chi­na apoi­ar a im­ple­men­ta­ção da Pla­ta­for­ma In­for­má­ti­ca pa­ra a Ges­tão da Se­gu­ran­ça Pú­bli­ca em An­go­la.

De acor­do com o mi­nis­tro do In­te­ri­or, Meng Hongwe re­go­zi­jou-se com o tra­ba­lho de­sen­vol­vi­do por An­go­la, que re­sul­tou na cap­tu­ra de es­tran­gei­ros que pra­ti­ca­vam rap­tos no país, cri­mes em que tam­bém fo­ram ví­ti­mas ci­da­dãos es­tran­gei­ros.

ROGÉRIO TUTI

Mi­nis­tro Ân­ge­lo Ta­va­res re­pre­sen­tou o país na reu­nião da In­ter­pol re­a­li­za­da em Ba­li

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.