CARTAS DO LEITOR

Jornal de Angola - - OPINIÃO - MARGARIDA ANTÓNIO LAURINDO AFON­SO GERVÁSIO JOÃO

Água no Sa­gra­da Es­pe­ran­ça

Há mo­ra­do­res do bair­ro Sa­gra­da Es­pe­ran­ça que es­tão pre­o­cu­pa­dos com o fac­to de es­ta­rem a co­lo­car nas re­si­dên­ci­as no­vas tor­nei­ras pa­ra abas­te­ci­men­to de água. Acon­te­ce que nas re­si­dên­ci­as des­tes mo­ra­do­res já há tor­nei­ras mon­ta­das há cer­ca de dez anos e têm be­ne­fi­ci­a­do de abas­te­ci­men­to de água du­ran­te es­te lon­go pe­río­do, pa­gan­do re­gu­lar­men­te as su­as con­tas à Epal. Os mo­ra­do­res que já têm água têm re­ceio que com a mu­dan­ça de tor­nei­ras e de con­du­tas pos­sam fi­car pri­va­dos de abas­te­ci­men­to de água.

Pen­sa­va-se que as no­vas obras que se es­tão a fa­zer pa­ra a ins­ta­la­ção de no­vas con­du­tas se des­ti­nas­sem ape­nas a abas­te­cer de água aque­les mo­ra­do­res, a mai­o­ria por si­nal, de água po­tá­vel.

Era bom que a Epal es­cla­re­ces­se bem o que afi­nal se pre­ten­de fa­zer. Eu, por exem­plo, te­nho água há mui­tos anos, pa­go o for­ne­ci­men­to des­te pro­du­to à Epal e não per­ce­bo por que ra­zão se es­tão a mon­tar no­vas tor­nei­ras e no­vas con­du­tas pa­ra abas­te­ci­men­to a re­si­dên­ci­as que já be­ne­fi­ci­am de água há mui­tos anos.

As pes­so­as que já têm água re­cei­am que pos­sam fi­car pre­ju­di­ca­das em vir­tu­de de no­vas obras que es­tão a ser fei­tas. Os con­su­mi­do­res têm di­rei­to a uma ex­pli­ca­ção cla­ra so­bre a subs­ti­tui­ção das an­ti­gas con­du­tas de água, quan­do es­tas es­tão ain­da fun­ci­o­nais.

Vi­si­ta a lo­cais his­tó­ri­cos

Gos­ta­va que no pró­xi­mo ano lec­ti­vo hou­ves­se uma mai­or pre­o­cu­pa­ção em se fa­zer des­lo­car os alu­nos do en­si­no pri­má­rio e se­cun­dá­rio a lo­cais his­tó­ri­cos e a mu­seus. É im­por­tan­te que os alu­nos co­nhe­çam a His­tó­ria de An­go­la, não só len­do nos li­vros, mas tam­bém vi­si­tan­do lo­cais his­tó­ri­cos pa­ra que co­nhe­çam o nos­so pas­sa­do.

É im­por­tan­te que além do es­tu­do nas sa­las de au­la da nos­sa His­tó­ria se co­nhe­ça de per­to o le­ga­do dos nos­sos an­te­pas­sa­dos em di­fe­ren­tes pro­vín­ci­as do país. Mban­za Con­go po­de­rá vir a ser pa­tri­mó­nio da hu­ma­ni­da­de, e era bom que os es­tu­dan­tes, não só da pro­vín­cia do Zai­re, mas de ou­tras pro­vín­ci­as do país ti­ves­sem a pos­si­bi­li­da­de de co­nhe­cer aque­la ci­da­de his­tó­ri­ca que foi a ca­pi­tal do Rei­no do Con­go. Pen­so que de­ve ha­ver tam­bém mais pa­les­tras nos nos­sos es­ta­be­le­ci­men­tos de en­si­no so­bre a His­tó­ria de An­go­la.

Mu­dan­ças no atletismo

Te­nho es­pe­ran­ça de que as coi­sas no atletismo ve­nham a mu­dar con­si­de­ra­vel­men­te, de­pois que a fe­de­ra­ção des­ta mo­da­li­da­de pas­sou a con­tar com uma no­va di­rec­ção. É pre­ci­so tra­ba­lhar-se mui­to pa­ra que o atletismo vol­te a ser uma mo­da­li­da­de que pos­sa tam­bém co­mo o andebol ou o basquetebol pro­jec­tar o no­me de An­go­la. Já ti­ve­mos atle­tas de gran­de ní­vel co­mo António An­dra­de, João Nti­am­ba e Au­ré­lio Mity (fun­dis­tas), Al­fre­do Me­lão (ve­lo­cis­ta) e Mota Gomes (meio fun­do).

Pa­ra o atletismo dar um gran­de sal­to, acho ser ne­ces­sá­rio que se re­a­bi­li­tem as pis­tas de atletismo em to­dos os gran­des es­tá­di­os que se cons­truí­ram pa­ra re­a­li­za­ção do CAN em 2010. Não bas­ta ter­mos uma ou­tra di­rec­ção à fren­te da fe­de­ra­ção de Atletismo. É im­pe­ri­o­so que se olhe pa­ra as in­fra-es­tru­tu­ras pa­ra que sur­jam no­va­men­te gran­des atle­tas.

Te­mos de ve­ri­fi­car on­de es­tão as nos­sas van­ta­gens com­pe­ti­ti­vas ao ní­vel do des­por­to pa­ra apa­re­cer­mos ao mais al­to ní­vel em com­pe­ti­ções in­ter­na­ci­o­nais. No atletismo sem­pre ti­ve­mos bons fun­dis­tas.

É pre­ci­so en­tão que nas re­giões do país on­de eles apa­re­cem ge­ral­men­te se fa­ça um gran­de tra­ba­lho de pes­qui­sa e trei­na­men­to. O que te­mos de me­lhor no des­por­to de­ve ser valorizado e po­ten­ci­a­do. Di­nhei­ro gas­to nos nos­sos ta­len­tos é di­nhei­ro bem gas­to. Que ha­ja apoio efec­ti­vo aos pro­gra­mas que a no­va di­rec­ção de atletismo quer im­ple­men­tar.

Acre­di­to que po­de­mos con­quis­tar mui­tas vi­tó­ri­as ao ní­vel do atletismo em Áfri­ca e mes­mo no mun­do se co­me­çar­mos a apos­tar mais nes­ta mo­da­li­da­de. Ain­da bem que a ac­tu­al fe­de­ra­ção de atletismo con­ta com pes­so­as ex­pe­ri­men­ta­das co­mo é o ca­so de João Nti­am­ba que bri­lhou em mui­tas ma­ra­to­nas de di­men­são mun­di­al.

CASIMIRO PEDRO

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.