An­go­la quer mais con­tri­bui­ções fi­nan­cei­ras

Pla­no de ac­ção co­mum exis­te mas ain­da sem im­ple­men­ta­ção por ra­zões fi­nan­cei­ras

Jornal de Angola - - SOCIEDADE - MA­NU­E­LA GOMES |

An­go­la pe­diu, na se­gun­da-fei­ra, em MarraKech, Mar­ro­cos, um mai­or en­vol­vi­men­to no ca­pí­tu­lo das con­tri­bui­ções fi­nan­cei­ras aos paí­ses en­vol­vi­dos na Ini­ci­a­ti­va Transfronteiriça do Maiombe, que vi­sa res­tau­rar a in­te­gri­da­de dos ecos­sis­te­mas da floresta afri­ca­na pa­ra a con­ser­va­ção da sua bi­o­di­ver­si­da­de.

O pe­di­do de An­go­la foi fei­to pe­lo se­cre­tá­rio-exe­cu­ti­vo do Pro­jec­to de Con­ser­va­ção da Floresta do Maiombe, Agos­ti­nho Chi­caia, quan­do fa­la­va nu­ma reu­nião pa­ra­le­la à COP 22, Con­fe­rên­cia da ONU so­bre Al­te­ra­ções Cli­má­ti­cas, que se re­a­li­za des­de o dia 7 des­te mês, em Marrakech, de­ven­do ter­mi­nar na sex­ta-fei­ra.

A Ini­ci­a­ti­va Transfronteiriça do Maiombe, re­sul­tan­te de uma união en­tre An­go­la, Con­go Braz­za­vil­le, Re­pú­bli­ca De­mo­crá­ti­ca do Con­go e o Ga­bão, tem co­mo ob­jec­ti­vo pro­mo­ver a es­ta­bi­li­da­de re­gi­o­nal, a con­ser­va­ção dos re­cur­sos na­tu­rais e a me­lho­ria do bem-es­tar das co­mu­ni­da­des.

Mo­bi­li­za­ção de re­cur­sos

Agos­ti­nho Chi­caia adi­an­tou que An­go­la, na qua­li­da­de de lí­der da Ini­ci­a­ti­va Transfronteiriça do Maiombe, pre­ten­de re­vi­ta­li­zar os me­ca­nis­mos de ar­ti­cu­la­ção e mo­bi­li­za­ção de fun­dos pa­ra a con­ser­va­ção do ecos­sis­te­ma flo­res­tal lo­ca­li­za­do na ba­cia do Con­go, re­gião cen­tral de Áfri­ca. Um pla­no de ac­ção co­mum já exis­te, mas ain­da não co­me­çou a ser exe­cu­ta­do por mo­ti­vos fi­nan­cei­ros, in­for­mou Agos­ti­nho Chi­caia, que dis­se ha­ver ne­ces­si­da­de de ac­ções co­muns en­tre os Go­ver­nos, a so­ci­e­da­de ci­vil, au­to­ri­da­des tra­di­ci­o­nais e o sec­tor pri­va­do pa­ra a con­ser­va­ção e uso sus­ten­tá­vel da Floresta do Maiombe. Agos­ti­nho Chi­caia in­for­mou que An­go­la vai apre­sen­tar a Ini­ci­a­ti­va so­bre a Con­ser­va­ção da Floresta do Maiombe nu­ma reu­nião à mar­gem da Con­fe­rên­cia da ONU so­bre Al­te­ra­ções Cli­má­ti­cas e na qual vão es­tar pre­sen­tes os mi­nis­tros do Am­bi­en­te e Re­cur­sos Na­tu­rais dos qua­tro paí­ses en­vol­vi­dos na ini­ci­a­ti­va. No en­con­tro es­tão pre­sen­tes re­pre­sen­tan­tes do Pro­gra­ma das Na­ções Uni­das pa­ra o De­sen­vol­vi­men­to (PNUD), do Pro­gra­ma das Na­ções pa­ra o Am­bi­en­te (PNUA) e da Or­ga­ni­za­ção das Na­ções Uni­das pa­ra a Ali­men­ta­ção e Agri­cul­tu­ra (FAO), na qua­li­da­de de par­cei­ros que po­dem aju­dar na mo­bi­li­za­ção de fun­dos.

En­con­tros pa­ra­le­los

A de­le­ga­ção de An­go­la à COP22 é che­fi­a­da pe­la mi­nis­tra do Am­bi­en­te, Fá­ti­ma Jar­dim, e in­te­gra­da pe­lo em­bai­xa­dor de An­go­la em Mar­ro­cos, Be­nig­no Vi­ei­ra Lo­pes, e pe­los se­cre­tá­ri­os de Estado das Re­la­ções Ex­te­ri­o­res, Ma­nu­el Au­gus­to, e das Flo­res­tas, An­dré de Je­sus Mo­da.A de­le­ga­ção an­go­la­na re­a­li­za em Marrakech vá­ri­os en­con­tros pa­ra­le­los, a fim de es­ta­be­le­cer par­ce­ri­as es­tra­té­gi­cas e pro­cu­rar fun­dos pa­ra fi­nan­ci­a­men­to de pro­jec­tos, in­cluin­do a for­ma­ção de qu­a­dros, no âm­bi­to do com­ba­te às al­te­ra­ções cli­má­ti­cas, com ên­fa­se pa­ra os pro­ble­mas ur­gen­tes, co­mo a se­ca e a de­ser­ti­fi­ca­ção.

É a se­gun­da vez que Áfri­ca al­ber­ga a con­fe­rên­cia so­bre o cli­ma, sen­do que a de Marrakech tem um sig­ni­fi­ca­do es­pe­ci­al, por de­fi­nir es­tra­té­gi­as e ac­ções que vão dar cor­po às de­ci­sões ema­na­das do No­vo Acor­do Mun­di­al, apro­va­do em De­zem­bro de 2015, na Con­fe­rên­cia de Pa­ris, ten­do en­tra­do em vi­gor no pas­sa­do dia 4 de No­vem­bro.

RAFAEL TA­TI

A Ini­ci­a­ti­va Transfronteiriça do Maiombe vi­sa res­tau­rar a in­te­gri­da­de dos ecos­sis­te­mas da floresta afri­ca­na pa­ra con­ser­var a bi­o­di­ver­si­da­de

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.