LUANDA

EN­SI­NO TÉCNICO E PRO­FIS­SI­O­NAL Cur­sos es­tão a ser mi­nis­tra­dos de acor­do com no­vos de­sa­fi­os da mo­der­ni­da­de

Jornal de Angola - - PARTADA - WALTER AN­TÓ­NIO |

Di­rec­to­res e qua­dros es­co­la­res re­a­li­zam cur­sos so­bre tec­no­lo­gi­as

Um to­tal de 25 ges­to­res e pro­fes­so­res, pro­ve­ni­en­tes de es­co­las técnico-pro­fis­si­o­nais de vá­ri­as pro­vín­ci­as do país, es­tão a ser ca­pa­ci­ta­dos no Ins­ti­tu­to Mé­dio In­dus­tri­al de Luanda (IMIL), nas dis­ci­pli­nas de tec­no­lo­gi­as e lin­gua­gem de in­for­ma­ção e pro­ces­sos e de­se­nho técnico, no âm­bi­to do pro­jec­to edu­ca­ti­vo "Es­co­la co­mo ins­tru­men­to de ges­tão es­tra­té­gi­ca efi­ci­en­te", apu­rou on­tem o Jor­nal de An­go­la.

A di­rec­to­ra do IMIL, Phi­lo­me­ne Ma­rie Car­los, en­ge­nhei­ra quí­mi­ca for­ma­da pe­la Uni­ver­si­da­de Agos­ti­nho Ne­to, afir­mou que o pro­jec­to edu­ca­ti­vo “Es­co­la co­mo ins­tru­men­to de ges­tão es­tra­té­gi­ca efi­ci­en­te” é uma mais-va­lia, ten­do em con­ta que en­glo­ba não só os ges­to­res e os pro­fes­so­res das ins­ti­tui­ções es­co­la­res co­mo tam­bém a co­mu­ni­da­de e per­mi­te tra­çar es­tra­té­gi­as pa­ra um pe­río­do de três a cin­co anos.

Phi­lo­me­ne Ma­rie Car­los lem­brou que há es­cas­sez de pro­fes­so­res nas dis­ci­pli­nas que es­tão a ser mi­nis­tra­das, e que, por ou­tro la­do, mui­tos dos pro­fes­so­res que já lec­ci­o­nam tais dis­ci­pli­nas ain­da apre­sen­tam de­bi­li­da­des.

Mi­ri­am Aço, di­rec­to­ra da Fo­cus Edu­ca­ti­on, ga­ran­tiu que os sub­di­rec­to­res pe­da­gó­gi­cos de vá­ri­as es­co­las técnico-pro­fis­si­o­nais de Luanda vão be­ne­fi­ci­ar de mais uma ac­ção for­ma­ti­va nos di­as 1 e 2 de De­zem­bro.

O pro­fes­sor de téc­ni­cas de lin­gua­gem e pro­gra­ma­ção, Nzu­zi Al­ber­to, do Ins­ti­tu­to Mé­dio Po­li­téc­ni­co Pas­co­al Lu­vu­a­lo, na pro­vín­cia do Na­mi­be, de­fen­deu que a for­ma­ção é uma mais-va­lia, ten­do em con­ta o seu ca­rác­ter prá­ti­co e o fac­to de pre­co­ni­zar uma no­va me­to­do­lo­gia de en­si­no. Fi­li­pe Tchi­len­gue, pro­fes­sor de ma­nu­ten­ção de má­qui­nas e ele­men­tos de elec­tri­ci­da­de, do Ins­ti­tu­to Mé­dio Po­li­téc­ni­co do Lo­bi­to, dis­se que o curso de tec­no­lo­gia e pro­ces­sos en­glo­ba áre­as co­mo a au­to­ma­ção e me­câ­ni­ca e elec­tró­ni­ca e es­tá de acor­do com os no­vos de­sa­fi­os co­lo­ca­dos pe­la mo­der­ni­da­de.

Qua­li­da­de ex­ce­len­te

A for­ma­do­ra Ma­ria do Car­mo Car­not, da Fo­cus Edu­ca­ti­on, des­ta­cou a qua­li­da­de dos pro­fes­so­res an­go­la­nos do en­si­no técnico-pro­fis­si­o­nal na área de saú­de.En­fer­mei­ra há 28 anos, Ma­ria do Car­mo Car­not, que fa­lou ao Jor­nal de An­go­la no ter­cei­ro dia da ac­ção de for­ma­ção so­bre “Téc­ni­cas de au­xí­lio de en­fer­ma­gem”, que de­cor­re na Es­co­la de For­ma­ção de Téc­ni­cos de Saú­de de Luanda, no âm­bi­to do pro­jec­to “Es­co­la co­mo ins­tru­men­to de ges­tão es­tra­té­gi­ca e efi­ci­en­te”, sa­li­en­tou que a qua­li­da­de dos pro­fes­so­res an­go­la­nos é “ex­ce­len­te” e que “têm de­mons­tra­do um gran­de in­te­res­se em apro­fun­dar os seus co­nhe­ci­men­tos uti­li­zan­do a me­to­do­lo­gia do ro­tei­ro da apren­di­za­gem, em que o pro­fes­sor é um ges­tor da apren­di­za­gem e do per­cur­so do es­tu­dan­te”.

A en­fer­mei­ra de­fen­de que os bons pro­fes­so­res con­tri­bu­em ac­ti­va­men­te pa­ra a for­ma­ção de ex­ce­len­tes en­fer­mei­ros, aju­dan­do as­sim a me­lho­rar a as­sis­tên­cia mé­di­ca à po­pu­la­ção. O pro­jec­to edu­ca­ti­vo “Es­co­la co­mo ins­tru­men­to de ges­tão es­tra­té­gi­ca e efi­ci­en­te” é re­sul­ta­do de uma par­ce­ria en­tre o Mi­nis­té­rio da Edu­ca­ção e a em­pre­sa Fo­cus Edu­ca­ti­on e es­tá in­te­gra­do no pro­gra­ma na­ci­o­nal de for­ma­ção de pro­fes­so­res e ges­to­res es­co­la­res do sub­sis­te­ma do en­si­no técnico-pro­fis­si­o­nal.

O pro­jec­to de for­ma­ção ar­ran­cou em Ju­lho e já atin­giu um uni­ver­so de 42 ac­ções, com a par­ti­ci­pa­ção de 510 pro­fes­so­res e 118 di­rec­to­res de es­co­las técnico-pro­fis­si­o­nais.

A for­ma­ção abar­ca as áre­as de in­for­má­ti­ca, ma­te­má­ti­ca, por­tu­guês, elec­tri­ci­da­de e en­fer­ma­gem.

DR

A ac­ção for­ma­ti­va es­tá a be­ne­fi­ci­ar ges­to­res es­co­la­res e pro­fes­so­res de ins­ti­tui­ções do en­si­no técnico e pro­fis­si­o­nal de vá­ri­as pro­vín­ci­as

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.