Mou­ri­nho ata­ca Wen­ger

Jornal de Angola - - DESPORTO -

Jo­sé Mou­ri­nho con­si­de­ra que Arsè­ne Wen­ger é mais respeitado pe­la co­mu­ni­ca­ção so­ci­al do que ele pró­prio na an­te­vi­são da re­cep­ção do Man­ches­ter Uni­ted ao Ar­se­nal, o gran­de jo­go da 12ª jor­na­da da Pre­mi­er Le­a­gue mar­ca­do pa­ra ho­je.

O trei­na­dor por­tu­guês re­cor­da que, além de nun­ca ter per­di­do um jo­go fren­te ao téc­ni­co fran­cês, foi cam­peão há 18 me­ses, en­quan­to o seu ri­val não fes­te­ja um tí­tu­lo há uma dú­zia de anos. Os “mind ga­mes” de Mou­ri­nho na vés­pe­ra de um gran­de jo­go.

Uma gu­er­ra an­ti­ga, des­de os tem­pos em que Mou­ri­nho ro­tu­lou o seu ad­ver­sá­rio co­mo “es­pe­ci­a­lis­ta do fra­cas­so”, mas Mou­ri­nho con­si­de­ra que os nú­me­ros do pas­sa­do não en­tram nas con­tas do jo­go de ho­je. “Os meus re­gis­tos con­tra os ou­tros trei­na­do­res, se­jam bons ou maus, não têm qual­quer im­por­tân­cia pa­ra mim. A úni­ca coi­sa que in­te­res­sa é o que con­se­gues co­mo equi­pa”, ati­rou.

Além dis­so, Mou­ri­nho re­cor­da que o jo­go de ho­je vai opor os dois trei­na­do­res com me­lhor re­gis­to na Pre­mi­er Le­a­gue. “Sir Alex Fer­gu­son já não es­tá aqui e ama­nhã (ho­je) se­rá um jo­go en­tre dois trei­na­do­res que, en­tre eles, so­mam seis ou se­te tí­tu­los, não te­nho bem a cer­te­za, na Pre­mi­er Le­a­gue. Eu te­nho três e pen­so que o mis­ter Wen­ger tam­bém tem três”, pros­se­guiu.

Tí­tu­los su­fi­ci­en­tes pa­ra Mou­ri­nho re­cla­mar o mes­mo res­pei­to que con­si­de­ra que Wen­ger tem. “Acho que o se­nhor Wen­ger é mais respeitado por to­dos vo­cês, um res­pei­to que eu não te­nho. O meu úl­ti­mo tí­tu­lo na Pre­mi­er Le­a­gue foi há 18 me­ses, não foi há 18 anos (o Ar­se­nal foi cam­peão pe­la úl­ti­ma vez em 2004, há do­ze anos), mas não sin­to o mes­mo res­pei­to. Si­go o meu ca­mi­nho por­que qu­e­ro ser cam­peão pe­la no­na vez e qu­e­ro ven­cer a mi­nha quar­ta Pre­mi­er Le­a­gue”, des­ta­cou.

Fu­gin­do ao du­e­lo en­tre os dois trei­na­do­res, Way­ne Ro­o­ney tam­bém foi te­ma de con­ver­sa, de­pois do avan­ça­do ter si­do “apa­nha­do”, apa­ren­te­men­te em­bri­a­ga­do, nu­ma fes­ta de ca­sa­men­to a se­guir à vi­tó­ria da In­gla­ter­ra so­bre a Es­có­cia. “Se ele mar­car ao Ar­se­nal, nin­guém vai se im­por­tar com es­sa his­tó­ria do ca­sa­men­to”, co­men­tou ain­da o trei­na­dor por­tu­guês.

Ar­sé­ne Wen­ger des­va­lo­ri­zou o re­en­con­tro com Jo­sé Mou­ri­nho: “Não te­nho que des­cre­ver a nos­sa re­la­ção. Ele lu­ta­rá pe­la sua equi­pa e eu pe­la mi­nha, é com­ple­ta­men­te nor­mal. Em re­la­ção a um aper­to de mãos, cla­ro que sim. Res­pei­to o ri­tu­al, tão im­por­tan­te na Pre­mi­er Le­a­gue”, jus­ti­fi­cou Wen­ger.

A ri­va­li­da­de en­tre os dois trei­na­do­res é co­nhe­ci­da des­de o tem­po em que Mou­ri­nho ori­en­tou da pri­mei­ra vez o Chel­sea, mas Ar­sé­ne Wen­ger pro­cu­rou co­lo­car o fo­co no jo­go.

“Sa­be, não per­de­mos sem­pre. Já as ba­te­mos (equi­pas de Mou­ri­nho) e já hou­ve mui­tos em­pa­tes tam­bém. Pen­so que já ga­nhei con­tra ca­da um dos trei­na­do­res mun­di­ais ao lon­go da mi­nha car­rei­ra de 20 anos aqui e is­to não é uma com­pe­ti­ção en­tre trei­na­do­res”.

AFP

Trei­na­dor por­tu­guês lan­ça far­pas ao ri­val

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.