Pre­si­den­te acu­sa­do de ten­tar im­plan­tar di­ta­du­ra

Jornal de Angola - - CLASSIFICADOS -

O PAIGC, ven­ce­dor das elei­ções ge­rais de 2014 na Gui­néBis­sau, anun­ci­ou na sex­ta-fei­ra que é con­tra a de­ci­são do Pre­si­den­te da Re­pú­bli­ca em no­me­ar Uma­ro Sis­so­co Em­ba­ló co­mo Pri­mei­ro-Mi­nis­tro, fac­to que en­ca­ra co­mo si­nal da im­plan­ta­ção de uma “di­ta­du­ra”.

“O PAIGC con­vi­da a CEDEAO (Co­mu­ni­da­de Eco­nó­mi­ca de De­sen­vol­vi­men­to dos Es­ta­dos da Áfri­ca Oci­den­tal) e to­da a co­mu­ni­da­de in­ter­na­ci­o­nal a con­ti­nu­a­rem a acom­pa­nhar o po­vo gui­ne­en­se nes­ta lu­ta pe­la de­fe­sa das con­quis­tas de­mo­crá­ti­cas e da li­ber­da­de, opon­do-se fron­tal­men­te aos si­nais evi­den­tes de im­plan­ta­ção da di­ta­du­ra na Gui­né-Bis­sau”, lê-se num co­mu­ni­ca­do da Co­mis­são Per­ma­nen­te do Bu­re­au Po­lí­ti­co, as­si­na­do por Domingos Si­mões Pe­rei­ra, pre­si­den­te do par­ti­do.

O Par­ti­do Afri­ca­no da In­de­pen­dên­cia da Gui­né e Ca­bo Ver­de (PAIGC) “de­mar­ca-se des­ta de­ci­são” do Pre­si­den­te Jo­sé Má­rio Vaz, “res­pon­sa­bi­li­zan­do-o por to­das as con­sequên­ci­as daí de­cor­ren­tes e ma­ni­fes­ta a sua fir­me e ina­ba­lá­vel de­ter­mi­na­ção em con­ti­nu­ar a lu­ta pe­la afir­ma­ção do Es­ta­do de di­rei­to de­mo­crá­ti­co”.O Pre­si­den­te da Re­pú­bli­ca deu pos­se, na sex­ta­fei­ra, a Uma­ro Sis­so­co Em­ba­ló, 44 anos, ge­ne­ral na re­ser­va das For­ças Ar­ma­das gui­ne­en­ses.

O no­me era um dos três pro­pos­tos por Jo­sé Má­rio Vaz nas ne­go­ci­a­ções do Acor­do de Co­na­cri, as­si­na­do em Ou­tu­bro pe­los di­ri­gen­tes gui­ne­en­ses pa­ra ul­tra­pas­sar a cri­se po­lí­ti­ca. No en­tan­to, se­gun­do o PAIGC, Uma­ro Sis­so­co Em­ba­ló não foi o no­me de con­sen­so. O par­ti­do apoi­ou o seu di­ri­gen­te Au­gus­to Oli­vais, ou­tro no­me que o Pre­si­den­te Jo­sé Má­rio Vaz co­lo­cou em ci­ma da me­sa.

O PAIGC es­pe­ra­va o cum­pri­men­to “do con­sen­so es­ta­be­le­ci­do em Co­na­cri, o que não acon­te­ceu”, re­fe­re em co­mu­ni­ca­do, dei­xan­do im­plí­ci­to que Au­gus­to Oli­vais te­ria si­do a op­ção, ape­sar de o Par­ti­do da Re­no­va­ção So­ci­al (PRS), se­gun­do par­ti­do mais vo­ta­do na Gui­né Bis­sau, o ne­gar.

Me­di­a­do pe­la CEDEAO, o tex­to do Acor­do de Co­na­cri não es­cla­re­ceu o no­me es­co­lhi­do, o que tem per­mi­ti­do que ha­ja di­fe­ren­tes ver­sões so­bre o que pas­sou nas ne­go­ci­a­ções. A es­te pro­pó­si­to, o PAIGC já ti­nha pe­di­do na se­ma­na pas­sa­da à CEDEAO e à co­mu­ni­da­de in­ter­na­ci­o­nal que se­ja re­ve­la­do o res­pec­ti­vo re­la­tó­rio fi­nal pa­ra aca­bar com as dú­vi­das. O par­ti­do en­ten­de que, ao dar pos­se a Uma­ro Sis­so­co Em­ba­ló, Jo­sé Má­rio Vaz es­tá a de­nun­ci­ar o Acor­do de Co­na­cri e as­sim a pôr em cau­sa “de for­ma ir­res­pon­sá­vel to­do o es­for­ço e sa­cri­fí­cio con­sen­ti­dos pe­los di­fe­ren­tes ac­to­res po­lí­ti­cos e so­ci­ais do país, as­sim co­mo da co­mu­ni­da­de in­ter­na­ci­o­nal, par­ti­cu­lar­men­te da CEDEAO”.

O Pre­si­den­te da Re­pú­bli­ca op­ta por “pros­se­guir com a cri­se, por ele cri­a­da e inin­ter­rup­ta­men­te sus­ten­ta­da”, con­clui o par­ti­do.

Uma­ro Sis­so­co Em­ba­ló foi em­pos­sa­do pe­lo Pre­si­den­te da Re­pú­bli­ca da Gui­né-Bis­sau co­mo Pri­mei­ro-Mi­nis­tro, nu­ma ce­ri­mó­nia sem dis­cur­sos.

Qu­es­ti­o­na­do por jor­na­lis­tas à saí­da da ce­ri­mó­nia, Uma­ro Sis­so­co Em­ba­ló re­me­teu de­cla­ra­ções pa­ra o ac­to de pos­se do Go­ver­no, que ain­da não tem da­ta mar­ca­da.

A ce­ri­mó­nia de pos­se de­cor­reu cer­ca de du­as ho­ras de­pois de o de­cre­to de no­me­a­ção ter si­do anun­ci­a­do na Rá­dio Di­fu­são Na­ci­o­nal da Gui­né-Bis­sau.

Uma­ro Sis­so­co Em­ba­ló foi no­me­a­do pa­ra li­de­rar o quin­to Go­ver­no da le­gis­la­tu­ra ini­ci­a­da em 2014 e que des­de há um ano es­tá mar­ca­da por for­te ins­ta­bi­li­da­de po­lí­ti­ca.

O no­me foi es­co­lhi­do pe­lo Pre­si­den­te da Re­pú­bli­ca, de­pois de ter fa­lha­do o con­sen­so en­tre os par­ti­dos pa­ra a no­me­a­ção de um no­vo Pri­mei­ro-Mi­nis­tro, já após a as­si­na­tu­ra do en­ten­di­men­to em Co­na­cri.

A di­rec­ção do PAIGC es­te­ve au­sen­te da ce­ri­mó­nia de pos­se, ao pas­so que Alberto Nam­beia, lí­der do se­gun­do par­ti­do mais vo­ta­do, o PRS, mar­cou pre­sen­ça e fe­li­ci­tou Uma­ro Sis­so­co Em­ba­ló.

JAIMAGENS

Si­tu­a­ção po­lí­ti­ca e ins­ta­bi­li­da­de ins­ti­tu­ci­o­nal adi­am o so­nho de paz e de se­gu­ran­ça pa­ra o pro­gres­so de to­dos os gui­ne­en­ses

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.