In­ves­ti­do­res de­vem acre­di­tar nas potencialidades de An­go­la

Jornal de Angola - - POLÍTICA -

O em­bai­xa­dor de An­go­la em Por­tu­gal, Mar­cos Barrica, ape­lou aos in­ves­ti­do­res es­tran­gei­ros a con­ti­nu­a­rem a acre­di­tar nas potencialidades eco­nó­mi­cas do país.

Mar­cos Barrica fa­lou das inú­me­ras opor­tu­ni­da­des que ain­da es­tão por ex­plo­rar. Ape­sar dos de­sa­fi­os que en­fren­ta, An­go­la con­ti­nua a ser um país que ofe­re­ce “opor­tu­ni­da­des sin­gu­la­res” pa­ra os in­ves­ti­do­res que apos­tam na diversificação, re­fe­riu.

“Es­te desafio de diversificação da eco­no­mia na­ci­o­nal, que já apre­sen­ta al­guns re­sul­ta­dos ani­ma­do­res é, pois, o ca­mi­nho cer­to pa­ra se atin­gir o ob­jec­ti­vo de subs­ti­tuir o pe­tró­leo co­mo prin­ci­pal fon­te de re­cei­ta e pro­mo­ver as ex­por­ta­ções a cur­to pra­zo. Mas sur­ge tam­bém co­mo opor­tu­ni­da­de pa­ra os in­ves­ti­do­res pri­va­dos in­ter­nos e ex­ter­nos que, olhan­do pa­ra as imen­sas potencialidades de que o país dis­põe e às me­di­das es­tra­té­gi­cas de pro­mo­ção des­te ti­po de in­ves­ti­men­to, po­de­rão re­a­li­zar bons ne­gó­ci­os na si­tu­a­ção de cri­se. É uma ques­tão de vi­são em­pre­sa­ri­al”, su­bli­nhou Mar­cos Barrica.

O di­plo­ma­ta lem­brou que o país tem vin­do a re­gis­tar um cres­ci­men­to apre­ciá­vel do Ín­di­ce de De­sen­vol­vi­men­to Hu­ma­no gra­ças, em gran­de me­di­da, às me­lho­ri­as ve­ri­fi­ca­das nos do­mí­ni­os da edu­ca­ção, saú­de e ha­bi­ta­ção so­ci­al. Mar­cos Barrica in­for­mou que An­go­la as­pi­ra per­ten­cer até 2025 ao Gru­po de Paí­ses de De­sen­vol­vi­men­to Hu­ma­no Ele­va­do.

O di­plo­ma­ta dis­se ain­da que o Exe­cu­ti­vo an­go­la­no es­tá aber­to ao in­ves­ti­men­to pri­va­do de qua­li­da­de, com o ob­jec­ti­vo de as­se­gu­rar o de­sen­vol­vi­men­to sus­ten­ta­do da eco­no­mia an­go­la­na.

Elei­ções ge­rais

Quan­to às elei­ções, o di­plo­ma­ta fez uma bre­ve ca­rac­te­ri­za­ção do pro­ces­so e in­for­mou que “es­tá em cur­so em to­do o país o pro­ces­so de ac­tu­a­li­za­ção ge­ral de re­gis­to elei­to­ral, pa­ra per­mi­tir que os ci­da­dãos na­ci­o­nais com ida­de elei­to­ral exer­çam o di­rei­to de par­ti­ci­par nas elei­ções mar­ca­das pa­ra o pró­xi­mo ano.”

Em re­la­ção à política ex­ter­na, re­cor­dou que “a Re­pú­bli­ca de An­go­la vai con­ti­nu­ar a pau­tar-se por uma ac­tu­a­ção ob­jec­ti­va con­du­cen­te à con­so­li­da­ção do en­ten­di­men­to e co­o­pe­ra­ção en­tre as na­ções e à pre­ser­va­ção da paz, es­ta­bi­li­da­de e se­gu­ran­ça in­ter­na­ci­o­nais.”

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.