CAR­TAS DO LEI­TOR

Jornal de Angola - - OPINIÃO - AR­MÉ­NIO SIL­VA AMÉ­LIA PINTO DO­MIN­GOS FRAN­CIS­CO AL­FRE­DO LINO

In­ves­ti­men­to nas idei­as

Fa­la-se ho­je mui­to em empreendedorismo no nos­so país. Há jo­vens no nos­so país com mui­tas idei­as e que­rem con­cre­ti­zá-las por via de pro­jec­tos que pos­sam aju­dar a nos­sa so­ci­e­da­de a de­sen­vol­ver­se. Pen­so que as ins­ti­tui­ções fi­nan­cei­ras ban­cá­ri­as de­vi­am tam­bém es­tar aten­tas às ino­va­ções de mui­tos dos nos­sos em­pre­en­de­do­res, fi­nan­ci­an­do os seus pro­jec­tos que se po­dem tra­du­zir em ac­ti­vi­da­des empresariais de gran­de va­lor. Co­mo dis­se uma ci­en­tis­ta eu­ro­peia, “uma ideia sem in­ves­ti­men­to não pas­sa da ideia”.

É importante, quan­to a mim, que o Es­ta­do e ins­ti­tui­ções pri­va­das se pre­o­cu­pem com a in­ves­ti­ga­ção nas uni­ver­si­da­des e nou­tras es­co­las su­pe­ri­o­res, con­ce­den­do in­cen­ti­vos àque­les alu­nos e pro­fes­so­res que se des­ta­cam, em ter­mos de co­nhe­ci­men­to, em vá­ri­as áre­as do sa­ber. Os nos­sos ta­len­tos de­vem ser apoi­a­dos na­qui­lo que sa­bem fa­zer mui­to bem. Os nos­sos em­pre­en­de­do­res que­rem aju­dar o país a cres­cer, pe­lo que eles de­vem ser aju­da­dos a re­a­li­zar os seus pro­jec­tos, no in­te­res­se de to­da a so­ci­e­da­de.

Com­ba­te à po­bre­za

O com­ba­te à po­bre­za con­ti­nua a ser uma das gran­des apos­tas do Go­ver­no an­go­la­no que tem pro­gra­mas di­ver­sos des­ti­na­dos a dar uma vi­da dig­na a mi­lhões de an­go­la­nos. Des­de a in­de­pen­dên­cia do país, as nos­sas au­to­ri­da­des es­ti­ve­ram sem­pre cen­tra­das na lu­ta pe­lo bem-es­tar dos an­go­la­nos.

O com­ba­te à po­bre­za é um pro­ces­so com­ple­xo e exi­ge o con­cur­so de di­fe­ren­tes sec­to­res. Uma das for­mas de com­ba­ter a po­bre­za é, por exem­plo, apos­tar na edu­ca­ção das pes­so­as, pa­ra que es­tas te­nham pos­si­bi­li­da­des de con­se­guir em­pre­go. Uma das coi­sas que te­nho di­to a fa­mi­li­a­res meus é que não dei­xem que as cri­an­ças de­sis­tam da es­co­la. É importante que as pes­so­as te­nham co­nhe­ci­men­to pa­ra po­de­rem ter a opor­tu­ni­da­de de se­rem ab­sor­vi­das pe­lo mer­ca­do de tra­ba­lho, que é ca­da vez mais exi­gen­te.

Re­a­bi­li­ta­ção de es­tra­das

As chu­vas em Lu­an­da es­tão a cair mais ce­do do que o pre­vis­to. Ge­ral­men­te, em Lu­an­da, as chu­vas ca­em a par­tir de Mar­ço. Es­te ano, ao que pa­re­ce, Lu­an­da vai ser “fus­ti­ga­da “por cons­tan­tes que­das plu­vi­o­mé­tri­cas. Por is­so, era bom que as au­to­ri­da­des fi­zes­sem tra­ba­lhos de re­a­bi­li­ta­ção de es­tra­das pa­ra mi­ni­mi­zar o im­pac­to ne­ga­ti­vo das chu­vas. To­dos sa­be­mos dos trans­tor­nos que as chu­vas cau­sam em Lu­an­da. Que os nos­sos en­ge­nhei­ros en­con­trem for­mas de fa­zer com que, em fa­ce das chu­vas, os es­tra­gos se­jam pou­cos. Que se pres­te tam­bém aten­ção às zo­nas de al­to ris­co, pa­ra não acon­te­cer mais ne­nhu­ma tra­gé­dia. Pre­ve­nir é sem­pre me­lhor do que re­me­di­ar.

Que as pes­so­as que vi­vem em zo­nas de al­to ris­co aca­tem as ori­en­ta­ções das au­to­ri­da­des no sen­ti­do de lá saí­rem pa­ra áre­as de mai­or se­gu­ran­ça. A vi­da é um bem fun­da­men­tal. Aju­de­mos as nos­sas au­to­ri­da­des nas su­as ope­ra­ções des­ti­na­das a evi­tar mor­tes.

Ta­ça da In­de­pen­dên­cia

A Ta­ça da In­de­pen­dên­cia tem per­mi­ti­do que os clu­bes do Girabola lan­cem no­vos jo­ga­do­res, so­bre­tu­do jo­vens, o que cons­ti­tui uma opor­tu­ni­da­de pa­ra es­tes ga­nha­rem ex­pe­ri­ên­cia em de­sa­fi­os com os mais con­sa­gra­dos.

Te­nho a cer­te­za de que no pró­xi­mo Girabola os clu­bes vão apos­tar mais nas ca­ma­das jo­vens, ao con­trá­rio do que acon­te­cia em anos an­te­ri­o­res.

O bom de­sem­pe­nho do Pe­tro de Lu­an­da, cu­ja di­rec­ção te­ve a co­ra­gem de re­no­var pro­fun­da­men­te o plan­tel lan­çan­do jo­vens jo­ga­do­res, vai in­cen­ti­var ou­tros clu­bes a se­gui­rem o mes­mo ca­mi­nho. O 1º de Agos­to tam­bém apos­tou em dois jo­vens jo­ga­do­res que bri­lha­ram no Girabola. Tra­ta-se de Gel­son e Ary Pa­pel, que de­ram mui­to tra­ba­lho às de­fe­sas de ou­tras equi­pas do cam­pe­na­to na­ci­o­nal.

CASIMIRO PE­DRO

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.