Trump anun­cia re­ti­ra­da ame­ri­ca­na do Tra­ta­do Co­mer­ci­al Trans­pa­cí­fi­co

Jornal de Angola - - OPINIÃO - ELODIE CUZIN E ANNE RENAUT |

O pre­si­den­te elei­to ame­ri­ca­no Do­nald Trump anun­ci­ou que os Es­ta­dos Uni­dos vão re­ti­rar-se do Tra­ta­do Co­mer­ci­al Trans­pa­cí­fi­co (TPP) no pri­mei­ro dia da sua pre­si­dên­cia, uma das su­as seis me­di­das es­sen­ci­ais pa­ra co­lo­car a “Amé­ri­ca em pri­mei­ro lu­gar”.

Nu­ma no­va re­vi­ra­vol­ta nas prá­ti­cas di­plo­má­ti­cas, o mul­ti­mi­li­o­ná­rio tam­bém dis­se que via o che­fe do par­ti­do an­ti-eu­ro­peu Ukip Ni­gel Fa­ra­ge co­mo em­bai­xa­dor da Grã-Bre­ta­nha nos Es­ta­dos Uni­dos, pro­vo­can­do uma res­pos­ta ás­pe­ra de Dow­ning Stre­et.

O lí­der po­pu­lis­ta, que che­gou ao po­der com pro­pos­tas an­ti­glo­ba­li­za­ção, ex­pli­cou num ví­deo pos­ta­do na se­gun­da-fei­ra as su­as seis me­di­das es­sen­ci­ais pa­ra os seus pri­mei­ros 100 di­as de go­ver­no, to­das ba­se­a­das num “prin­cí­pio fun­da­men­tal: “Amé­ri­ca em pri­mei­ro lu­gar”.

“Tra­ta-se de re­for­mar a clas­se política, re­cons­truir a nos­sa clas­se mé­dia e fa­zer a Amé­ri­ca me­lhor pa­ra to­dos”, dis­se Trump, com uma pe­que­na ban­dei­ra ame­ri­ca­na na la­pe­la.

No pri­mei­ro dia da sua pre­si­dên­cia, Do­nald Trump, que se­rá in­ves­ti­do 45º pre­si­den­te dos Es­ta­dos Uni­dos em 20 de Ja­nei­ro, ini­ci­a­rá o pro­ces­so de re­ti­ra­da do país do TPP, as­si­na­do em 2015 por do­ze paí­ses da re­gião da Ásia-Pa­cí­fi­co, mas sem a Chi­na. No seu lu­gar, Do­nald Trump quer ne­go­ci­ar tra­ta­dos “bi­la­te­rais”, que se­gun­do ele “vão tra­zer em­pre­gos e in­dús­tria pa­ra o so­lo ame­ri­ca­no”.

“O TPP sem os Es­ta­dos Uni­dos não te­ria sen­ti­do”, dis­se o pri­mei­ro-mi­nis­tro ja­po­nês, Shin­zo Abe, em vi­si­ta à Ar­gen­ti­na.

Pa­ra en­trar em vi­gor, es­ta par­ce­ria de­ve ain­da ser apro­va­da pe­lo Con­gres­so ame­ri­ca­no, do­mi­na­do pe­los re­pu­bli­ca­nos.

“Pro­te­ger as in­fra-es­tru­tu­ras”

Em ma­té­ria de imi­gra­ção, e após ter no­me­a­do um mi­nis­tro da Jus­ti­ça de li­nha du­ra, o se­na­dor Jeff Ses­si­ons, Trump pre­ten­de “in­ves­ti­gar os abu­sos dos pro­gra­mas de vis­tos”, de mo­do a não des­qua­li­fi­car “o tra­ba­lha­dor ame­ri­ca­no”.

Pa­ra a se­gu­ran­ça na­ci­o­nal, o prin­ci­pal as­ses­sor de Trump se­rá o ex-ge­ne­ral Mi­cha­el Flynn, gran­de­crí­ti­co do ex­tre­mis­mo is­lâ­mi­co e in­dul­gen­te com a Rús­sia. O pre­si­den­te elei­to­vai pe­dir ao mi­nis­té­rio da De­fe­sa e ao che­fe do Es­ta­do-Mai­or “um pla­no abran­gen­te pa­ra pro­te­ger as in­fra-es­tru­tu­ras vi­tais da Amé­ri­ca de ata­ques ci­ber­né­ti­cos, e de to­das as ou­tras for­mas de ataque”. Em ter­mos de ener­gia, Trump, que é cer­ca­do de au­to­ri­da­des “cli­ma­to­cép­ti­cas”, in­di­cou que “iria can­ce­lar as res­tri­ções de em­pre­go na pro­du­ção” de ener­gia, in­cluin­do gás e óleo de xis­to e car­vão, “cri­an­do, as­sim, mi­lhões de em­pre­gos bem re­mu­ne­ra­dos”.

Fi­nal­men­te, Trump pro­me­teu lu­tar con­tra a bu­ro­cra­cia atra­vés da re­mo­ção de dois re­gu­la­men­tos pa­ra to­da a no­va re­gu­la­men­ta­ção apro­va­da, e pa­ra uma no­va “éti­ca” política, proi­bin­do a ida pa­ra o sec­tor pri­va­do de qual­quer mem­bro do po­der exe­cu­ti­vo du­ran­te cin­co anos.

O pre­si­den­te elei­to não fez qual­quer ou­tra men­ção ao mu­ro que propôs en­tre o Mé­xi­co e os Es­ta­dos Uni­dos, ou so­bre a expulsão de mi­lhões de imi­gran­tes em si­tu­a­ção ir­re­gu­lar, a li­mi­ta­ção de en­tra­da no ter­ri­tó­rio de mu­çul­ma­nos ou o can­ce­la­men­to da re­for­ma da saú­de Oba­ma­ca­re. Após uma pri­mei­ra sé­rie de no­me­a­ções de par­ti­dá­ri­os de uma li­nha du­ra so­bre a se­gu­ran­ça, o Is­lão ou a imi­gra­ção, o fu­tu­ro pre­si­den­te pa­re­ce con­si­de­rar fi­gu­ras mais con­sen­su­ais pa­ra a di­plo­ma­cia, de­fe­sa e eco­no­mia.

No­me­a­ções após Ac­ção de Gra­ças

O mul­ti­mi­li­o­ná­rio re­a­li­zou se­gun­da-fei­ra na sua lu­xu­o­sa Trump Tower, em Ma­nhat­tan, uma no­va ro­da­da de reu­niões. En­tre os can­di­da­tos es­tá uma au­to­ri­da­de mui­to res­pei­ta­da en­tre os mi­li­ta­res ame­ri­ca­nos, o ge­ne­ral apo­sen­ta­do Ja­mes Mat­tis, de 66 anos. “Um pos­sí­vel mi­nis­tro da De­fe­sa”, tui­tou Do­nald Trump no do­min­go. Ca­ris­má­ti­co, é co­nhe­ci­do pe­la sua fran­que­za e des­con­fi­an­ça fa­ce ao re­gi­me ira­ni­a­no.

Du­as das pos­si­bi­li­da­des pa­ra o pos­to-cha­ve de se­cre­tá­rio de Es­ta­do vi­si­ta­ram o mul­ti­mi­li­o­ná­rio nes­te fim de se­ma­na: o ex-pre­fei­to de No­va York Rudy Giu­li­a­ni e o ex­can­di­da­to pre­si­den­ci­al em 2012, o re­pu­bli­ca­no mo­de­ra­do Mitt Rom­ney, que ha­via cha­ma­do o mul­ti­mi­li­o­ná­rio de “char­la­tão” e “men­ti­ro­so” du­ran­te a cam­pa­nha das pri­má­ri­as. As no­me­a­ções po­de­rão, con­tu­do, acon­te­cer de­pois do fe­ri­a­do de Ac­ção de Gra­ças de ho­je. Ni­gel Fa­ra­ge, um jo­ga­dor-cha­ve na vi­tó­ria do Bre­xit, foi o pri­mei­ro po­lí­ti­co bri­tâ­ni­co a en­con­trar-se com o pre­si­den­te elei­to em No­va Ior­que.

A po­si­ção ex­pres­sa por Trump é in­co­mum, uma vez que os em­bai­xa­do­res de­vem ser no­me­a­dos pe­los seus res­pec­ti­vos go­ver­nos, e Dow­ning Stre­et ime­di­a­ta­men­te res­pon­deu que não ha­via “ne­nhu­ma va­ga”.

AFP

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.