Lu­an­da tem cur­so so­bre ges­tão de águas

O es­ta­be­le­ci­men­to de en­si­no téc­ni­co-pro­fis­si­o­nal cri­ou cin­co áre­as de for­ma­ção

Jornal de Angola - - SOCIEDADE - MA­NU­E­LA GO­MES |

O pri­mei­ro Ins­ti­tu­to Mé­dio de Ges­tão de Águas e Pre­ser­va­ção Am­bi­en­tal, uma ini­ci­a­ti­va privada, abriu por­tas nes­te ano lec­ti­vo, na pro­vín­cia de Lu­an­da, com 100 alu­nos, dis­tri­buí­dos pe­los tur­nos da ma­nhã, tar­de e noi­te.

A cri­a­ção do ins­ti­tu­to, cu­jas ins­ta­la­ções es­tão lo­ca­li­za­das no bair­ro Sa­pú II, é re­sul­tan­te de “mui­ta re­fle­xão so­bre os pro­ble­mas que a so­ci­e­da­de an­go­la­na tem es­ta­do a en­fren­tar no do­mí­nio do abas­te­ci­men­to de água, sa­ne­a­men­to bá­si­co e pre­ser­va­ção am­bi­en­tal”, de acor­do com um do­cu­men­to do es­ta­be­le­ci­men­to de en­si­no en­vi­a­do on­tem ao Jor­nal de An­go­la.

A escola deu iní­cio à ac­ti­vi­da­de di­dác­ti­ca com cin­co áre­as de for­ma­ção, dis­tri­buí­das por seis cur­sos. Na área de hi­dráu­li­ca ur­ba­na, foi cri­a­do o cur­so de abas­te­ci­men­to de água, tra­ta­men­to de es­go­tos e pre­ser­va­ção de re­cur­sos hí­dri­cos. Na área de am­bi­en­te exis­tem os cur­sos de ges­tão, tra­ta­men­to e apro­vei­ta­men­to de re­sí­du­os só­li­dos e na de quí­mi­ca foi aber­to o cur­so de con­tro­lo de qua­li­da­de.

Na área de for­ma­ção me­câ­ni­ca exis­te o cur­so de má­qui­nas e mo­to­res hi­dráu­li­cos, en­quan­to na de cons­tru­ção foi cri­a­do o cur­so de téc­ni­cos de obras de ins­ta­la­ções hi­dro­téc­ni­cas.

O ins­ti­tu­to mé­dio dis­põe de um in­ter­na­to com ca­pa­ci­da­de pa­ra cer­ca de 80 alu­nos e tem a pers­pec­ti­va de ex­pan­dir o pro­jec­to, sa­li­en­ta o do­cu­men­to, no qual se lê que os cur­sos vi­sam for­mar es­pe­ci­a­lis­tas com com­pe­tên­ci­as pa­ra as em­pre­sas do ra­mo e pa­ra ór­gãos com­pe­ten­tes pro­vin­ci­ais e mu­ni­ci­pais. Os alu­nos for­ma­dos pe­lo Ins­ti­tu­to Mé­dio de Ges­tão de Águas e Pre­ser­va­ção Am­bi­en­tal vão es­tar ha­bi­li­ta­dos a de­sem­pe­nhar ac­ti­vi­da­des vol­ta­das pa­ra a ges­tão de sis­te­mas de águas e edu­ca­ção am­bi­en­tal, ecos­sis­te­mas, im­pac­tos am­bi­en­tais e de­sen­vol­vi­men­to e uso de tec­no­lo­gi­as sus­ten­tá­veis. En­tre as com­pe­tên­ci­as ad­qui­ri­das es­tão a in­ter­pre­ta­ção de re­sul­ta­dos ana­lí­ti­cos re­fe­ren­tes a pa­drões de qua­li­da­de da água, do so­lo e do ar e a ava­li­a­ção dos efei­tos am­bi­en­tais cau­sa­dos pe­los re­sí­du­os só­li­dos, po­lu­en­tes at­mos­fé­ri­cos e eflu­en­tes lí­qui­dos.

“Acre­di­ta­mos que tu­do pas­sa por um pro­ces­so de for­ma­ção e cons­ci­en­ci­a­li­za­ção dos ci­da­dãos so­bre no­vas áre­as do sa­ber, fa­zer, con­vi­ver e em­pre­en­der”, sa­li­en­ta o do­cu­men­to da di­rec­ção do no­vo ins­ti­tu­to mé­dio pri­va­do.

O tur­no da noi­te é re­ser­va­do aos fun­ci­o­ná­ri­os de em­pre­sas do ra­mo de hi­dráu­li­ca e am­bi­en­te, que pre­ten­dem ad­qui­rir uma for­ma­ção téc­ni­ca de ní­vel mé­dio e pers­pec­ti­var a sua for­ma­ção su­pe­ri­or.

MIQUEIAS MACHANGONGO

A cri­a­ção do ins­ti­tu­to re­sul­ta de uma re­fle­xão so­bre os pro­ble­mas que a so­ci­e­da­de an­go­la­na en­fren­ta no do­mí­nio do abas­te­ci­men­to de água

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.