Es­tu­dan­tes com in­ter­na­men­to ga­ran­ti­do

COM­PLE­XO DAS ES­CO­LAS DE AR­TES Cons­tru­to­ra en­tre­ga au­di­tó­rio com equipamentos de pon­ta

Jornal de Angola - - |CULTURA|29 - RO­QUE SIL­VA |

O Com­ple­xo das Es­co­las de Ar­te (Ce­ar­te), na Ca­ma­ma, em Lu­an­da, pas­sa, a par­tir do pró­xi­mo ano lec­ti­vo, a per­mi­tir que os es­tu­dan­tes pro­ve­ni­en­tes das pro­vín­ci­as fre­quen­tem as au­las e re­si­dam nas su­as ins­ta­la­ções.

Com a cons­tru­ção do in­ter­na­to, afec­to à se­gun­da fa­se do Ce­ar­te, en­tre­gue on­tem pe­la em­prei­tei­ra res­pon­sá­vel pe­la sua edi­fi­ca­ção e do au­di­tó­rio, a em­pre­sa por­tu­gue­sa So­ma­gue, aos mi­nis­té­ri­os da Cultura e da Edu­ca­ção, os es­tu­dan­tes vêem re­sol­vi­do um con­jun­to de di­fi­cul­da­des en­fren­ta­das há dois anos.

O pro­jec­to tem co­mo pri­o­ri­da­de es­tu­dan­tes pro­ve­ni­en­tes das pro­vín­ci­as, com o in­tui­to de pro­por­ci­o­nar co­mo­di­da­de, se­gu­ran­ça e ver re­sol­vi­dos al­guns pro­ble­mas li­ga­dos à saú­de e ao aces­so às au­las.

Mui­tos es­tu­dan­tes, en­tre os quais ado­les­cen­tes, ar­ren­da­ram re­si­dên­ci­as nas áre­as li­mí­tro­fes e per­cor­rem qui­ló­me­tros a pé de­vi­do à au­sên­cia de uma li­nha de trans­por­tes pú­bli­cos na­que­la zo­na, mo­ti­vo pe­lo qual o in­ter­na­men­to é pri­o­ri­da­de.

A di­rec­to­ra do Com­ple­xo das Es­co­las de Ar­te re­ve­lou que os mo­to­ta­xis­tas são a úni­ca al­ter­na­ti­va, um ser­vi­ço in­se­gu­ro, mas ga­ran­tiu ser uma ques­tão a ser re­sol­vi­da an­tes do pró­xi­mo ano lec­ti­vo.

As ope­ra­do­ras do ra­mo dos trans­por­tes apoi­a­vam os es­tu­dan­tes e fun­ci­o­ná­ri­os do Ce­artye, de­vi­do um acor­do com o Mi­nis­té­rio da Cultura e, se­gun­do Ana­be­la Cu­nha, de­sis­ti­ram “por con­si­de­ra­rem uma ro­ta pou­co ren­tá­vel e des­co­nhe­ci­da.” Ana­be­la Cu­nha ga­ran­tiu, por ou­tro, que as exi­gên­ci­as pa­ra o aces­so ao Ce­ar­te vão pros­se­guir o que é co­mum em mui­tas es­co­las com in­ter­na­to em An­go­la, em que se des­ta­cam os ins­ti­tu­tos mé­di­os agrá­ri­os.

Uma equi­pa dos mi­nis­té­ri­os da Cultura e da Edu­ca­ção es­tá a ana­li­sar os cri­té­ri­os de aces­so ao in­ter­na­men­to, nos quais fa­zem par­te o pa­ga­men­to ou não de uma quo­ta. Pa­ra Ana­be­la Cu­nha, o in­ter­na­to é um ser­vi­ço ins­ti­tu­ci­o­na­li­za­do e mais ori­en­ta­do que vai per­mi­tir um me­lhor acom­pa­nha­men­to dos es­tu­dan­tes.

O es­pa­ço, cu­ja pri­o­ri­da­de são alu­nos oriun­dos das 17 pro­vín­ci­as, tem ca­pa­ci­da­de pa­ra al­ber­gar 96 es­tu­dan­tes, em 24 quar­tos, com qua­tro ca­mas ca­da, re­par­ti­dos em igual nú­me­ro pa­ra ca­da gé­ne­ro, e oi­to pa­ra pro­fes­so­res. O au­di­tó­rio, en­tre­gue on­tem, es­tá equi­pa­do com tec­no­lo­gi­as de som, lu­zes de pon­ta e pal­co com an­ti-der­ra­pa­gem, con­di­ções pa­ra al­ber­gar ac­ti­vi­da­des di­ver­sas, co­mo con­cer­tos de mú­si­ca, dan­ça, te­a­tro e pro­jec­ção de fil­mes.

O es­pa­ço tem mais de 300 lu­ga­res e tem co­mo pri­o­ri­da­de as ac­ti­vi­da­des das ins­ti­tui­ções li­ga­das ao Mi­nis­té­rio da Cultura e in­te­res­sa­dos com o ob­jec­ti­vo de ren­ta­bi­li­zar os gas­tos do Ce­ar­te. O ac­to de inau­gu­ra­ção con­tou com a pre­sen­ça dos mi­nis­tros da Cultura e da Edu­ca­ção, Ca­ro­li­na Cer­quei­ra e Pin­da Si­mão, e de mem­bros do Exe­cu­ti­vo.

VIGAS DA PURIFICAÇÃO

Es­tu­dan­tes do Com­ple­xo das Es­co­las de Ar­tes du­ran­te a exi­bi­ção de um es­pec­tá­cu­lo de te­a­tro on­tem na inau­gu­ra­ção do au­di­tó­rio da ins­ti­tui­ção

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.