Fi­del foi exem­plo de hu­mil­da­de e pa­tri­o­tis­mo

Ami­gos e com­pa­nhei­ros re­cor­dam o ca­rác­ter e hu­ma­nis­mo do lí­der da re­vo­lu­ção cu­ba­na

Jornal de Angola - - POLÍTICA -

O mi­nis­tro da De­fe­sa Nacional, João Lourenço, con­si­de­ra o co­man­dan­te Fi­del Cas­tro, fa­le­ci­do sex­ta-fei­ra, aos 90 anos, um exem­plo de hu­mil­da­de, hu­ma­nis­mo, pa­tri­o­tis­mo e de in­ter­na­ci­o­na­lis­mo em de­fe­sa da cau­sa do po­vo cu­ba­no, dos la­ti­no-ame­ri­ca­nos e afri­ca­nos, com Angola co­mo o exem­plo mais em­ble­má­ti­co.

Nu­ma men­sa­gem de condolências, João Lourenço afir­mou que o mo­men­to é de pro­fun­da dor e cons­ter­na­ção e, em no­me do Mi­nis­té­rio da De­fe­sa Nacional, das For­ças Ar­ma­das An­go­la­nas e do seu pró­prio, cur­va-se pe­ran­te a me­mó­ria de Fi­del Cas­tro e apre­sen­ta às For­ças Ar­ma­das Re­vo­lu­ci­o­ná­ri­as de Cu­ba e ao po­vo cu­ba­no sen­ti­dos pê­sa­mes.

A so­li­da­ri­e­da­de que Cu­ba brin­dou à lu­ta dos po­vos co­lo­ni­za­dos, em es­pe­ci­al ao po­vo an­go­la­no, foi tam­bém des­ta­ca­da pe­lo Presidente da Re­pú­bli­ca e Co­man­dan­te-emChe­fe das For­ças Ar­ma­das An­go­la­nas, tão lo­go to­mou co­nhe­ci­men­to da mor­te do lí­der re­vo­lu­ci­o­ná­rio.

José Edu­ar­do dos San­tos en­vi­ou uma men­sa­gem ao Presidente cu­ba­no na qual con­si­de­ra Fi­del Cas­tro uma fi­gu­ra ím­par de trans­cen­den­te im­por­tân­cia his­tó­ri­ca que mar­cou a sua épo­ca pe­lo pa­pel que de­sem­pe­nhou no seu país e nas gran­des trans­for­ma­ções da hu­ma­ni­da­de, em prol da li­ber­da­de, jus­ti­ça so­ci­al e de­sen­vol­vi­men­to dos po­vos.

Após su­bli­nhar a ines­que­cí­vel con­tri­bui­ção de Cu­ba, sob a li­de­ran­ça de Fi­del Cas­tro, na de­fe­sa e ma­nu­ten­ção da so­be­ra­nia e in­te­gri­da­de ter­ri­to­ri­al de Angola, na re­sis­tên­cia à agres­são do en­tão re­gi­me ra­cis­ta sul-africano, o Presidente José Edu­ar­do dos San­tos ma­ni­fes­tou pro­fun­da cons­ter­na­ção e trans­mi­tiu as su­as pro­fun­das condolências ao ho­mó­lo­go Raúl Cas­tro Ruz, ao Go­ver­no, ao po­vo cu­ba­no e à fa­mí­lia en­lu­ta­da.

Pedro Mu­tin­di, go­ver­na­dor do Cu­an­do Cu­ban­go, con­si­de­rou a mor­te do an­ti­go Presidente de Cu­ba, Fi­del de Cas­tro, uma gran­de tra­gé­dia que aba­la o po­vo an­go­la­no, o mun­do so­ci­a­lis­ta e o po­vo he­rói­co cu­ba­no. O go­ver­na­dor re­co­nhe­ceu que atra­vés das su­as idei­as de­ter­mi­nan­tes, as tro­pas cu­ba­nas com­ba­te­ram jun­to das en­tão For­ças Po­pu­la­res de Li­ber­ta­ção de Angola (FAPLA) até à pro­cla­ma­ção da In­de­pen­dên­cia, a 11 de No­vem­bro de 1975, e a der­ro­tar os exér­ci­tos in­va­so­res do en­tão re­gi­me de apartheid sul-africano, fac­to que per­mi­tiu a in­de­pen­dên­cia da Na­mí­bia. Pedro Mu­tin­di su­bli­nhou que o MPLA e o po­vo an­go­la­no con­si­de­ram sem­pre to­das as ac­ções do co­man­dan­te Fi­del Cas­tro, que es­ta­rão sem­pre vi­vas nes­ta so­ci­e­da­de.

O go­ver­na­dor João Bap­tis­ta Kus­su­mua con­si­de­rou o ex-Presidente de Cu­ba uma das pes­so­as mais in­flu­en­tes do sé­cu­lo XX, pe­la sua ca­pa­ci­da­de de lu­ta pe­la au­to­de­ter­mi­na­ção dos po­vos. Nu­ma ce­ri­mó­nia de hon­ras fú­ne­bres ao Co­man­dan­te­em-Che­fe da re­vo­lu­ção cu­ba­na, or­ga­ni­za­da pe­los seus com­pa­tri­o­tas re­si­den­tes na pro­vín­cia do Hu­am­bo, o go­ver­na­dor re­al­çou que o mun­do per­deu um gran­de lí­der, que tam­bém se ba­teu pe­la cau­sa dos an­go­la­nos.

“Não so­mos só com­pa­nhei­ros, mas ver­da­dei­ros ir­mãos, por­que qual­quer pes­soa que der­ra­ma o seu san­gue pe­lo ou­tro é um fi­el ami­go. Foi exac­ta­men­te o que se pas­sou em Angola, on­de mui­tos fi­lhos de Cu­ba lu­ta­ram pa­ra a con­ser­va­ção da nos­sa In­de­pen­dên­cia”, des­ta­cou, su­bli­nhan­do que Fi­del foi um ver­da­dei­ro ir­mão dos an­go­la­nos, de­fen­den­do os seus mais no­bres an­sei­os, des­de os pri­mór­di­os da in­de­pen­dên­cia. Kus­su­mua re­al­çou tam­bém o pa­pel de Cu­ba na for­ma­ção de qua­dros an­go­la­nos em vá­ri­os do­mí­ni­os, com des­ta­que pa­ra os sec­to­res da saú­de e edu­ca­ção. Na ce­ri­mó­nia fo­ram li­das men­sa­gens dos An­ti­gos Es­tu­dan­tes em Cu­ba (Cai­ma­ne­ros) e da rei­to­ria da Uni­ver­si­da­de José Edu­ar­do dos San­tos (UJES), pe­lo seu rei­tor Cris­tó­vão Si­mões, e da co­mu­ni­da­de cu­ba­na em ser­vi­ço na pro­vín­cia.

João Er­nes­to dos San­tos “Li­ber­da­de” tam­bém la­men­tou a mor­te de Fi­del Cas­tro, que con­si­de­ra uma das fi­gu­ras ca­ris­má­ti­cas da his­tó­ria po­lí­ti­ca do seu país, que des­de mui­to ce­do sa­cri­fi­cou a sua vi­da em de­fe­sa do bem-es­tar do po­vo cu­ba­no.

O go­ver­na­dor do Mo­xi­co acres­cen­ta que o lí­der cu­ba­no sou­be de­fen­der a lu­ta dos po­vos co­lo­ni­za­dos e a sua trans­cen­dên­cia in­ter­na­ci­o­nal le­vou à de­fe­sa da in­te­gri­da­de ter­ri­to­ri­al de Angola, tor­nan­do-se uma re­fe­rên­cia in­con­tor­ná­vel em Áfri­ca e no mun­do. Por es­ta ra­zão, ex­pres­sa a sua “pro­fun­da dor e cons­ter­na­ção”.

AAs­so­ci­a­ção Clu­be dos Com­ba­ten­tes e Ami­gos da Ba­ta­lha do Cui­to Cu­a­na­va­le ma­ni­fes­tou-se cons­ter­na­da pe­la mor­te do an­ti­go Presidente cu­ba­no. Na men­sa­gem as­si­na­da pe­lo seu presidente exe­cu­ti­vo, Jus­ti­no Mo­rais Da­mião, a As­so­ci­a­ção res­sal­ta as qua­li­da­des hu­ma­nas e in­te­lec­tu­ais do lí­der da re­vo­lu­ção cu­ba­na, on­de se des­ta­ca a pron­ti­dão em pres­tar aju­da a ou­tros paí­ses.

O jor­nal cu­ba­no Gran­ma con­vo­ca a to­dos os lei­to­res, den­tro e fo­ra de Cu­ba, pa­ra que com­par­ti­lhem a sua his­tó­ria pes­so­al so­bre Fi­del Cas­tro, opi­niões, ane­do­tas, en­con­tros, im­pres­sões e tu­do o que os te­nha uni­do a es­te ho­mem de es­ta­tu­ra uni­ver­sal.

SAN­TOS PEDRO

Fi­del Cas­tro res­pon­deu à so­li­ci­ta­ção de Angola e en­vi­ou com­ba­ten­tes pa­ra tra­var as for­ças ini­mi­gas que ten­ta­vam im­pe­dir a in­de­pen­dên­cia

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.