Pri­mei­ra-mi­nis­tra tem di­fi­cul­da­des pa­ra ne­go­ci­ar

Jornal de Angola - - MUNDO -

A pri­mei­ra-mi­nis­tra bri­tâ­ni­ca, The­re­sa May, ad­mi­tiu que a pre­o­cu­pa­ção pe­las fu­tu­ras ne­go­ci­a­ções so­bre o “Bre­xit”, a saí­da do Rei­no Uni­do da União Eu­ro­peia, não a dei­xam dor­mir por­que há as­sun­tos “mui­to com­ple­xos” pe­la fren­te.

“Nes­te tra­ba­lho, não há tem­po pa­ra dor­mir”, dis­se May nu­ma en­tre­vis­ta pu­bli­ca­da on­tem pe­lo jor­nal “The Sun­day Ti­mes”, na qual afir­mou que o país en­fren­ta “um mo­men­to de mu­dan­ça” e de “de­sa­fio”.

“Qu­e­ro as­se­gu­rar que o que fa­ze­mos per­mi­ti­rá que o Rei­no Uni­do fun­ci­o­ne pa­ra to­dos e que sai­a­mos e cri­e­mos um no­vo pa­pel no mun­do de­pois do 'Bre­xit'”, de­cla­rou May, cu­jos co­men­tá­ri­os são si­mi­la­res à pro­mes­sa que fez ao as­su­mir o po­der em Ju­lho pa­ra aten­der às ne­ces­si­da­des de to­da a po­pu­la­ção.

De acor­do com a go­ver­nan­te, é pos­sí­vel “fa­zer (do 'Bre­xit') um su­ces­so, mas es­tes são as­sun­tos re­al­men­te com­ple­xos e é pre­ci­so con­se­guir o me­lhor acor­do pos­sí­vel pa­ra o Rei­no Uni­do”.

Ao re­fe­rir-se às di­fí­ceis de­ci­sões que pre­ci­sa de to­mar co­mo pri­mei­ra-mi­nis­tra, May avan­çou que se tem per­gun­ta­do se faz bem as coi­sas, pois “se a pes­soa sou­ber que faz o cer­to, tem a segurança e a ener­gia” pa­ra de­fen­der o que for de­ci­di­do.

Pa­ra to­mar de­ci­sões, May dis­se que olha “as pro­vas, tra­ba­lha so­bre os ar­gu­men­tos por­que tem que pen­sar nas con­sequên­ci­as in­vo­lun­tá­ri­as”.

May já in­for­mou que vai ac­ti­var o ar­ti­go 50 do Tra­ta­do de Lis­boa an­tes de fi­nais de Mar­ço de 2017, o que ini­cia um pe­río­do de ne­go­ci­a­ções de dois anos so­bre os ter­mos da saí­da. Sen­do as­sim, o Rei­no Uni­do po­de es­tar fo­ra do blo­co eu­ro­peu em 2019. Os bri­tâ­ni­cos vo­ta­ram a fa­vor da saí­da da UE no re­fe­ren­do fei­to no dia 23 de Ju­nho.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.