Em­pre­en­de­do­ris­mo no país atrai pes­so­as com de­fi­ci­ên­cia

Jornal de Angola - - SOCIEDADE - CE­SAR AN­DRÉ |

Um se­mi­ná­rio so­bre em­pre­en­de­do­ris­mo foi re­a­li­za­do no úl­ti­mo fim-de-se­ma­na, em Lu­an­da, com o ob­jec­ti­vo de con­tri­buir pa­ra a re­du­ção da po­bre­za no seio das pes­so­as com de­fi­ci­ên­cia, atra­vés da pro­mo­ção de ac­ti­vi­da­des ge­ra­do­ras de ren­di­men­tos.

O se­mi­ná­rio, pro­mo­vi­do pe­la Li­ga de Apoio à In­te­gra­ção dos De­fi­ci­en­tes (LARDEF), es­tá in­te­gra­do no pro­gra­ma co­me­mo­ra­ti­vo do vi­gé­si­mo ani­ver­sá­rio da or­ga­ni­za­ção não go­ver­na­men­tal.

Ori­en­ta­do pe­lo con­sul­tor Car­do­so Di­as, o se­mi­ná­rio foi re­a­li­za­do em dois di­as e vi­sou do­tar os par­ti­ci­pan­tes de co­nhe­ci­men­tos e ex­pe­ri­ên­ci­as so­bre opor­tu­ni­da­des de ne­gó­ci­os co­mo em­pre­en­de­do­res.

En­tre os te­mas abor­da­dos es­tão “As fa­ses do em­pre­en­de­do­ris­mo”, o “Ti­po de ne­gó­ci­os e opor­tu­ni­da­des de su­ces­so ou ame­a­ças de ris­cos” e “As no­ções so­bre or­ça­men­tos: ca­pi­tal ini­ci­al, des­pe­sas e re­cei­tas”.

A di­rec­to­ra-ge­ral da Li­ga de Apoio à In­te­gra­ção dos De­fi­ci­en­tes, Car­la Luís, dis­se on­tem ao Jor­nal de An­go­la que um dos ob­jec­ti­vos do encontro foi do­tar os seus as­so­ci­a­dos de fer­ra­men­tas so­bre o em­pre­en­de­do­ris­mo pa­ra que pos­sam cri­ar o seu pró­prio ne­gó­cio.

Car­la Luís apon­tou o em­pre­en­de­do­ris­mo co­mo factor im­por­tan­te na ge­ra­ção de em­pre­go e ri­que­za, por pro­mo­ver o cres­ci­men­to eco­nó­mi­co e me­lho­rar as con­di­ções das fa­mí­li­as e co­mu­ni­da­des.

António Afon­so, um dos par­ti­ci­pan­tes no encontro, re­co­nhe­ceu ter si­do pro­vei­to­sa a for­ma­ção por ter apren­di­do no­ções de ges­tão de pe­que­nos ne­gó­ci­os e so­bre co­mo cri­ar um ne­gó­cio. Ida­li­na Bo­ta dis­se que a ac­ção é uma ini­ci­a­ti­va lou­vá­vel, por ter con­se­gui­do apren­der “bo­as coi­sas”, co­mo, por exem­plo, cri­ar o seu pró­prio ne­gó­cio e dei­xar de ser de­pen­den­te.

Bran­ca Kin­jan­go, em­pre­en­de­do­ra e mem­bro da Li­ga de Apoio à In­te­gra­ção dos De­fi­ci­en­tes, de­cla­rou que o se­mi­ná­rio foi re­a­li­za­do “nu­ma al­tu­ra em que mui­tos dos as­so­ci­a­dos ne­ces­si­tam de fer­ra­men­tas pa­ra me­lhor ge­rir os seus ne­gó­ci­os”.

Co­mo em­pre­en­de­do­ra, Bran­ca Kin­jan­go afir­mou que ac­ções do gé­ne­ro de­vem ser es­ten­di­das às zo­nas ru­rais, por se­rem áre­as on­de a co­mu­ni­ca­ção tar­da a che­gar.

Moi­sés Panzo, de­fi­ci­en­te vi­su­al, su­bli­nhou que a ac­ção for­ma­ti­va foi bem re­ce­bi­da, mas pe­diu que, nou­tras oca­siões, a or­ga­ni­za­ção do even­to con­tra­te um es­pe­ci­a­li­da­de em Brail­le.

DO­MIN­GOS CADÊNCIA

A in­clu­são so­ci­al é uma re­a­li­da­de no país

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.