Oi­to mi­lhões de BI em to­do o ter­ri­tó­rio

A me­ta é abrir um pos­to em ca­da mu­ni­cí­pio e aca­bar com o ele­va­do nú­me­ro de fal­si­fi­ca­ções

Jornal de Angola - - PARTADA - JOSINA DE CAR­VA­LHO |

O mi­nis­tro da Jus­ti­ça e dos Di­rei­tos Hu­ma­nos, Rui Man­guei­ra, re­ve­lou on­tem aos de­pu­ta­dos da As­sem­bleia Na­ci­o­nal que de 2010 até ao pre­sen­te mês fo­ram emi­ti­dos em to­do o país oi­to mi­lhões de Bi­lhe­tes de Iden­ti­da­de

De 2010 até ao pre­sen­te mês fo­ram emi­ti­dos em to­do o país, oi­to mi­lhões de Bi­lhe­tes de Iden­ti­da­de, in­for­mou on­tem, em Lu­an­da, o mi­nis­tro da Jus­ti­ça e dos Di­rei­tos Hu­ma­nos, Rui Man­guei­ra.

Em res­pos­ta às vá­ri­as pre­o­cu­pa­ções dos de­pu­ta­dos da As­sem­bleia Na­ci­o­nal, du­ran­te o encontro com os ór­gãos da ad­mi­nis­tra­ção da jus­ti­ça e ins­ti­tui­ções es­sen­ci­ais ao sec­tor, Rui Man­guei­ra co­mu­ni­cou que são emi­ti­dos, em mé­dia, 1.600.000 Bi­lhe­tes de Iden­ti­da­de por ano, nos 102 pos­tos de emis­são exis­ten­tes no país.

“Ti­ve­mos di­fi­cul­da­des fi­nan­cei­ras, re­la­ti­va­men­te à ges­tão do pro­ces­so de emis­são de bi­lhe­tes, mas a si­tu­a­ção já es­tá re­sol­vi­da”, ga­ran­tiu o mi­nis­tro, adi­an­tan­do que a me­ta é abrir um pos­to de emis­são em ca­da mu­ni­cí­pio e aca­bar com o ele­va­do nú­me­ro de fal­si­fi­ca­ções de do­cu­men­tos por par­te de ci­da­dãos es­tran­gei­ros.

Em ca­so de dú­vi­da da au­ten­ti­ci­da­de dos do­cu­men­tos apre­sen­ta­dos pa­ra emis­são do Bi­lhe­te de Iden­ti­da­de, Rui Man­guei­ra dis­se que o pro­ces­so é en­ca­mi­nha­do ao Mi­nis­té­rio pa­ra aná­li­se. Nes­tes ca­sos, re­fe­riu, o do­cu­men­to não é emi­ti­do no mes­mo dia, ao con­trá­rio dos pro­ces­sos sem qual­quer ir­re­gu­la­ri­da­de.

Gui­ché Úni­co em Vi­a­na

Em re­la­ção à ne­ces­si­da­de de aber­tu­ra de mais gui­chés úni­cos no país, o mi­nis­tro da Jus­ti­ça anun­ci­ou a trans­fe­rên­cia, em Ja­nei­ro pró­xi­mo, do Gui­ché Úni­co dos Co­quei­ros pa­ra o Pó­lo In­dus­tri­al de Vi­a­na.

Rui Man­guei­ra dis­se que es­tá tam­bém pre­vis­ta pa­ra o pró­xi­mo ano, a aber­tu­ra des­tes ser­vi­ços nas ca­pi­tais das pro­vín­ci­as de Ben­gue­la, Huí­la e Hu­am­bo e mais tar­de nou­tras ca­pi­tais pro­vin­ci­ais. O Mi­nis­té­rio da Jus­ti­ça e dos Di­rei­tos Hu­ma­nos vai, tam­bém, es­ten­der em to­do o país o pro­gra­ma “Nas­cer com o Re­gis­to”, pa­ra tor­nar obri­ga­tó­rio o re­gis­to de nas­ci­men­to nas ma­ter­ni­da­des. Nes­te mo­men­to, in­for­mou, já fo­ram dis­tri­buí­dos li­vros às au­to­ri­da­des e par­tei­ras tra­di­ci­o­nais, pa­ra o ca­das­tra­men­to das cri­an­ças nas­ci­das fo­ra das ma­ter­ni­da­des. Pos­te­ri­or­men­te, os fun­ci­o­ná­ri­os do re­gis­to ci­vil vão fa­zer men­sal­men­te o re­gis­to des­tas cri­an­ças e das na­do-mor­tas.

Rui Man­guei­ra fez sa­ber que as cri­an­ças nas­ci­das em An­go­la, cu­jos pais são es­tran­gei­ros, po­dem tam­bém ser re­gis­ta­das nas ma­ter­ni­da­des. Mas aler­tou que o re­gis­to não dá di­rei­to à na­ci­o­na­li­da­de, an­tes dos 18 anos. No ca­so dos apá­tri­das, dis­se que o Es­ta­do de­ve en­con­trar me­ca­nis­mos pa­ra dar so­lu­ção ao pro­ble­ma.

Pa­tro­cí­nio ju­di­ciá­rio

Quan­to à ques­tão do pa­tro­cí­nio ju­di­ciá­rio, o mi­nis­tro as­se­gu­rou que es­tá pre­vis­to na pro­pos­ta de Lei do Or­ça­men­to Ge­ral do Es­ta­do de 2017 o va­lor de 37.438.000 de kwan­zas pa­ra es­te fim, que cor­res­pon­de a 0.07 por cen­to do or­ça­men­to do Mi­nis­té­rio da Jus­ti­ça e dos Di­rei­tos Hu­ma­nos. A ges­tão des­te pa­tro­cí­nio es­tá a car­go da Or­dem dos Ad­vo­ga­dos de An­go­la, ra­zão pe­la qual o Mi­nis­té­rio da Jus­ti­ça e dos Di­rei­tos Hu­ma­nos não tem o con­tro­lo dos ac­tos pra­ti­ca­dos pe­los ad­vo­ga­dos, nem da sua re­mu­ne­ra­ção. “Quan­do for apro­va­da a Lei da Ad­vo­ca­cia, que já deu en­tra­da no Par­la­men­to, o Mi­nis­té­rio te­rá pos­si­bi­li­da­de de con­tro­lar a for­ma de pa­ga­men­to des­tes pro­fis­si­o­nais de Jus­ti­ça”, afir­mou.

O Mi­nis­té­rio da Jus­ti­ça e dos Di­rei­tos Hu­ma­nos es­tá a tra­ba­lhar no Pro­jec­to de Lei da De­fe­sa Pú­bli­ca, pa­ra re­sol­ver es­ta la­cu­na, que vai du­rar ain­da al­guns anos pa­ra ser pre­en­chi­da, re­fe­riu o mi­nis­tro, que con­si­de­rou “mui­to de­se­qui­li­bra­da” a dis­tri­bui­ção de ad­vo­ga­dos pe­lo país. Lu­an­da tem mais de 800 ad­vo­ga­dos, Ben­gue­la cer­ca de 30 e ou­tras ne­nhum pro­fis­si­o­nal des­ta área. Com a im­ple­men­ta­ção do Pro­jec­to da Re­for­ma da Jus­ti­ça e do Di­rei­to, o país vai ter de­fen­so­res pú­bli­cos pa­ra tra­ba­lha­rem nas pro­vín­ci­as sem ad­vo­ga­dos. “A gran­de ques­tão é co­mo im­ple­men­tar um pro­jec­to des­ta na­tu­re­za que é mui­to ca­ro e que vai ter im­pac­to no OGE, na me­di­da em que vai obri­gar à ad­mis­são de no­vos fun­ci­o­ná­ri­os”, dis­se o mi­nis­tro, sa­li­en­tan­do que o or­ça­men­to atri­buí­do ao Mi­nis­té­rio da Jus­ti­ça nos úl­ti­mos dois anos não ul­tra­pas­sa 45 por cen­to das re­ais ne­ces­si­da­des des­te de­par­ta­men­to mi­nis­te­ri­al.

Pro­ces­so de aus­cul­ta­ção

O encontro de on­tem en­tre os de­pu­ta­dos e os Ór­gãos da Ad­mi­nis­tra­ção da Jus­ti­ça mar­cou o fim do pro­ces­so de in­te­rac­ção com os mem­bros do Exe­cu­ti­vo so­bre a Pro­pos­ta de Lei do OGE 2017.

Em de­cla­ra­ções à im­pren­sa, em no­me de to­das as co­mis­sões de tra­ba­lho es­pe­ci­a­li­za­das da As­sem­bleia Na­ci­o­nal, o de­pu­ta­do do MPLA Emí­lio Ho­mem dis­se que os par­la­men­ta­res es­tão mu­ni­dos de in­for­ma­ções su­fi­ci­en­tes pa­ra pre­pa­rar um con­jun­to de re­co­men­da­ções pa­ra a Pro­pos­ta de Lei do OGE 2017.

“É um or­ça­men­to di­fí­cil e mui­to aper­ta­do, ten­do em con­ta a si­tu­a­ção fi­nan­cei­ra ac­tu­al. Mas se­rá exe­cu­ta­do, à me­di­da do pos­sí­vel, pa­ra o cum­pri­men­to dos pro­gra­mas pre­vis­tos”, fri­sou.

O pas­so se­guin­te, ex­pli­cou, é a ela­bo­ra­ção dos pa­re­ce­res de acor­do com as si­tu­a­ções re­gis­ta­das no encontro de on­tem, pa­ra que a quin­ta Co­mis­são, en­quan­to co­or­de­na­do­ra do pro­ces­so de aus­cul­ta­ção, ela­bo­re o re­la­tó­rio pa­re­cer con­jun­to fi­nal e pre­pa­re o pro­jec­to de re­so­lu­ção.

A vo­ta­ção fi­nal glo­bal da Pro­pos­ta de Lei do OGE 2017 acon­te­ce no dia 14 de De­zem­bro.

ARIMATEIA BAP­TIS­TA

O pro­ces­so de emis­são do Bi­lhe­te de Iden­ti­da­de a ní­vel do país vai co­nhe­cer nos pró­xi­mos tem­pos maior di­na­mis­mo

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.