Ci­da­de do Dun­do aco­lhe o ac­to do 17 de Se­tem­bro

Ce­le­bra­ções des­te ano do Dia do Fun­da­dor da Na­ção e do He­rói Na­ci­o­nal de­cor­rem em to­do o país e nas em­bai­xa­das

Jornal de Angola - - POLÍTICA -

A ci­da­de do Dun­do es­tá pre­pa­ra­da pa­ra aco­lher, do­min­go, o ac­to cen­tral do 17 de Se­tem­bro, Dia do Fun­da­dor da Na­ção e do He­rói Na­ci­o­nal que de­cor­re sob o le­ma “Com os ide­ais de Neto, di­ver­si­fi­que­mos a eco­no­mia de An­go­la”.

As co­me­mo­ra­ções do dia 17 de Se­tem­bro co­me­ça­ram no dia 10, em to­do o país e nas mis­sões di­plo­má­ti­cas e con­su­la­res de An­go­la com ob­jec­ti­vo de enal­te­cer a fi­gu­ra e a obra do Dr. An­tó­nio Agos­ti­nho Neto, pri­mei­ro Pre­si­den­te de An­go­la, re­ve­ren­ci­ar a sua con­tri­bui­ção na li­ber­da­de de An­go­la e de Áfri­ca, em par­ti­cu­lar, a re­gião Aus­tral, bem co­mo os es­for­ços pa­ra a con­quis­ta da paz em to­do o ter­ri­tó­rio na­ci­o­nal. A da­ta lem­bra igual­men­te o le­ga­do po­lí­ti­co do pri­mei­ro Pre­si­den­te da Re­pú­bli­ca de An­go­la e do He­rói Na­ci­o­nal.

O pe­río­do de ce­le­bra­ções da da­ta de­cor­re até ao dia 25 de Se­tem­bro. Num me­mo­ran­do, o Mi­nis­té­rio da Ad­mi­nis­tra­ção do Ter­ri­tó­rio in­di­ca que a ce­le­bra­ção dos 95 anos so­bre o nascimento de Agos­ti­nho Neto vem re­co­nhe­cer as su­as qua­li­da­des en­quan­to hu­ma­nis­ta, mé­di­co, ho­mem de le­tras e, aci­ma de tu­do, na­ci­o­na­lis­ta con­vic­to e en­tre­gue de cor­po e al­ma às cau­sas da pá­tria an­go­la­na.

“A vi­são es­tra­té­gi­ca do Pre­si­den­te Dr. An­tó­nio Agos­ti­nho Neto es­tá pa­ten­te nos inú­me­ros dis­cur­sos que le­gou aos an­go­la­nos”, des­ta­ca o do­cu­men­to, su­bli­nhan­do que, nas su­as múl­ti­plas in­ter­ven­ções pú­bli­cas, al­gu­mas ho­je acha­das sol­tas e ou­tras agru­pa­das em com­pên­di­os, Agos­ti­nho Neto ma­ni­fes­tou uma pre­o­cu­pa­ção per­ma­nen­te com o fu­tu­ro de uma Na­ção que, ven­ci­da a luta pe­la In­de­pen­dên­cia, pre­pa­ra­va-se pa­ra uma ba­ta­lha ain­da mai­or: a luta pe­lo de­sen­vol­vi­men­to, pe­lo pro­gres­so.

“Não fos­se ele um mé­di­co, tei­ma­va em, dis­cur­so após dis­cur­so, pas­sar a re­cei­ta pa­ra que fos­se pos­sí­vel, en­tão, ga­ran­tir pa­ra ca­da an­go­la­no um fu­tu­ro me­lhor”, lê-se no me­mo­ran­do, su­bli­nhan­do que Agos­ti­nho Neto elen­cou, en­tre as su­as pri­o­ri­da­des, a for­ma­ção do ho­mem, fun­da­da nu­ma edu­ca­ção de qua­li­da­de.

Neto de­fen­deu, igual­men­te, a pres­ta­ção de ser­vi­ços de saú­de à es­ca­la na­ci­o­nal, pers­pec­ti­vou, já na al­tu­ra, uma po­lí­ti­ca eco­nó­mi­ca as­sen­te na di­ver­si­fi­ca­ção, atra­vés da apos­ta na Agri­cul­tu­ra que se­ria, co­mo dis­se inú­me­ras ve­zes, a ba­se pa­ra que a In­dús­tria pu­des­se ser o fac­tor de­ci­si­vo.

“As po­lí­ti­cas pú­bli­cas, pe­las quais se gui­am o de­sen­vol­vi­men­to de An­go­la, con­ti­nu­am a se­guir es­se ca­mi­nho há bas­tan­te tra­ça­do pe­lo Pre­si­den­te Agos­ti­nho Neto”, su­bli­nha o do­cu­men­to pa­ra acres­cen­tar que, com as elei­ções ge­rais re­a­li­za­das a 23 de Agos­to úl­ti­mo, os an­go­la­nos cau­ci­o­na­ram um pro­gra­ma de Go­ver­no, cu­jos pi­la­res as­sen­tam, jus­ta­men­te, na di­ver­si­fi­ca­ção da eco­no­mia. Pres­tí­gio in­ter­na­ci­o­nal A fi­gu­ra de Agos­ti­nho Neto go­za de pres­tí­gio tam­bém no es­tran­gei­ro. Re­cen­te­men­te, a Or­ga­ni­za­ção de So­li­da­ri­e­da­de com os Po­vos da Ásia, Áfri­ca e Amé­ri­ca La­ti­na atri­bui-lhe, em Ha­va­na, a tí­tu­lo pós­tu­mo, a Or­dem de So­li­da­ri­e­da­de “El Meh­di Ben Bar­ka”.

Cri­a­da há 51 anos, a or­ga­ni­za­ção man­tém vi­vos os ob­jec­ti­vos e prin­cí­pi­os da sua fun­da­ção, en­tre os quais se des­ta­ca a luta dos paí­ses dos três con­ti­nen­tes con­tra a do­mi­na­ção co­lo­ni­al e im­pe­ri­a­lis­ta e a de­fe­sa do di­rei­to à in­de­pen­dên­cia de ca­da po­vo.

Com se­de em Ha­va­na, a or­ga­ni­za­ção con­ta com um se­cre­ta­ri­a­do exe­cu­ti­vo in­ter­na­ci­o­nal, for­ma­do por qua­tro re­pre­sen­tan­tes de ca­da um dos três con­ti­nen­tes, de­tém des­de 1998 a con­di­ção de ONG, com sta­tus con­sul­ti­vo es­pe­ci­al no Con­se­lho Eco­nó­mi­co e So­ci­al da Or­ga­ni­za­ção das Na­ções Uni­das (ONU).

Uma das mai­o­res con­quis­tas da or­ga­ni­za­ção é a re­vis­ta Tri­con­ti­nen­tal, seu ór­gão ofi­ci­al, que sur­giu quan­do es­ta or­ga­ni­za­ção edi­tou o tex­to da men­sa­gem de Er­nes­to Che Gu­e­va­ra, num fo­lhe­to em que anun­ci­a­va nu­ma das su­as pá­gi­nas a pró­xi­ma saí­da da pu­bli­ca­ção.

A Or­ga­ni­za­ção de So­li­da­ri­e­da­de com os Po­vos da Ásia, Áfri­ca e Amé­ri­ca La­ti­na tem uma es­trei­ta re­la­ção de in­ter­câm­bio e de co­la­bo­ra­ção com um gran­de nú­me­ro de for­ças po­lí­ti­cas a ní­vel mun­di­al e tem o res­pei­to e o apoio in­ter­na­ci­o­nal de­vi­do ao tra­ba­lho que de­sen­vol­ve.

Agos­ti­nho Neto foi dis­tin­gui­do pe­la Or­ga­ni­za­ção de So­li­da­ri­e­da­de com os Po­vos da Ásia, Áfri­ca e Amé­ri­ca La­ti­na pe­la luta con­tra a do­mi­na­ção co­lo­ni­al e de­fe­sa da in­de­pen­dên­cia dos po­vos

ARQUIVO | EDI­ÇÕES NO­VEM­BRO Ac­ti­vi­da­des têm co­mo le­ma “Com os ide­ais de Neto, di­ver­si­fi­que­mos a eco­no­mia de An­go­la”

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.