Re­de vai ser ex­pan­di­da pa­ra co­brir mais ci­da­dãos

Mi­nis­tro Pi­tra Neto exal­ta a qua­li­da­de dos ser­vi­ços e diz que o su­ces­so re­si­de na for­ma­ção con­tí­nua dos tra­ba­lha­do­res

Jornal de Angola - - SOCIEDADE - Edi­val­do Cris­tó­vão |

O mi­nis­tro da Ad­mi­nis­tra­ção Pú­bli­ca, Tra­ba­lho e Se­gu­ran­ça So­ci­al, An­tó­nio Pi­tra Neto, dis­se, em Lu­an­da, que a re­de do Ser­vi­ço In­te­gra­do de Aten­di­men­to ao Ci­da­dão (SIAC) vai con­ti­nu­ar a ser ex­pan­di­da pa­ra me­lhor ser­vir o ci­da­dão e as em­pre­sas.

O mi­nis­tro, que fa­la­va no ac­to co­me­mo­ra­ti­vo do dé­ci­mo ani­ver­sá­rio do SIAC, as­si­na­la­do na se­gun­da-feira, re­fe­riu que um dos pon­tos mais im­por­tan­tes pa­ra o su­ces­so da ins­ti­tui­ção é a apos­ta na for­ma­ção con­tí­nua dos fun­ci­o­ná­ri­os. “Por is­so, o grau de exi­gên­cia e pro­fis­si­o­na­lis­mo é vi­sí­vel e as ca­rac­te­rís­ti­cas dos fun­ci­o­ná­ri­os têm si­do apre­ci­a­das por to­dos. Nos pró­xi­mos pas­sos va­mos pro­cu­rar in­tro­du­zir ou­tros ser­vi­ços que ain­da não fa­zem par­te da gre­lha”, dis­se.

Pa­ra já, foi inau­gu­ra­do um Da­ta­cen­ter pa­ra me­lho­rar a pla­ta­for­ma tec­no­ló­gi­ca, tor­nan­do o ser­vi­ço mais cé­le­re e com mai­or qua­li­da­de. O SIAC con­tri­bui pa­ra a qua­li­fi­ca­ção, va­lo­ri­za­ção e de­sen­vol­vi­men­to de com­pe­tên­ci­as in­di­vi­du­ais e das equi­pas, vi­san­do in­cre­men­tar o com­pro­mis­so e a iden­ti­fi­ca­ção com os pa­drões de ex­ce­lên­cia do ser­vi­ço pú­bli­co.

O di­rec­tor-ge­ral do SIAC, An­sel­mo Monteiro, sa­li­en­tou que o gran­de de­sa­fio da ins­ti­tui­ção é che­gar a to­das as pro­vín­ci­as, com o ob­jec­ti­vo de apro­xi­mar ca­da vez mais os ser­vi­ços pú­bli­cos aos ci­da­dãos, e, num es­pí­ri­to de co­la­bo­ra­ção com as ad­mi­nis­tra­ções mu­ni­ci­pais e par­cei­ros, al­can­çar uma me­lho­ria quan­ti­ta­ti­va e qua­li­ta­ti­va dos ser­vi­ços.

An­sel­mo Monteiro dis­se que nu­ma pri­mei­ra fa­se o pro­jec­to de ex­pan­são vai ser re­a­li­za­do nas pro­vín­ci­as da Huí­la, Cu­an­za-Sul e Cu­an­zaNor­te, ao mes­mo tem­po que se faz o au­men­to da ca­pa­ci­da­de de aten­di­men­to em Ben­gue­la e Lu­an­da, com a cons­tru­ção de uma uni­da­de nas cen­tra­li­da­des do Lo­bi­to e Ki­lam­ba.

Nos seus dez anos de exis­tên­cia o SIAC já aten­deu mais de 17 mi­lhões de pes­so­as e ar­re­ca­dou pa­ra os co­fres do Es­ta­do 105 mil mi­lhões de kwan­zas. Ou­tros 690 mil mi­lhões de kwan­zas fo­ram an­ga­ri­a­dos pa­ra a Se­gu­ran­ça So­ci­al.

Ac­tu­al­men­te o SIAC con­ta com 12 uni­da­des es­pa­lha­das por no­ve pro­vín­ci­as e um to­tal de 1.221 tra­ba­lha­do­res.

Ser­vi­ço mo­der­no e sim­ples

De acor­do com di­rec­tor­ge­ral do SIAC o le­ma “Sim­pli­fi­ca­ção e Mo­der­ni­za­ção Ad­mi­nis­tra­ti­va” vi­sa, es­sen­ci­al­men­te, con­so­li­dar, aper­fei­ço­ar e ge­ne­ra­li­zar as me­di­das no seio dos dis­tin­tos ser­vi­ços pú­bli­cos cen­trais e lo­cais, pa­ra que o pa­ci­en­te, alu­no/estudante, nu­ben­te, tra­ba­lha­dor, con­tri­buin­te, can­di­da­to ao em­pre­go, pen­si­o­nis­ta, se­gu­ra­do, in­ves­ti­dor na­ci­o­nal ou es­tran­gei­ro, em su­ma, qual­quer uten­te, cli­en­te ou con­su­mi­dor, en­con­tre a com­pe­tên­cia, a ci­vi­li­da­de, a pron­ti­dão e o ri­gor no tra­ta­men­to das su­as ques­tões, com a ob­ser­vân­cia es­tri­ta da lei, do in­te­res­se pú­bli­co e dos di­rei­tos e ex­pec­ta­ti­vas le­gí­ti­mas.

O SIAC tem por mis­são a des­bu­ro­cra­ti­za­ção e sim­pli­fi­ca­ção da pres­ta­ção de ser­vi­ços pú­bli­cos, dis­po­ni­bi­li­zar con­di­ções fí­si­cas e am­bi­en­tais ade­qua­das aos ci­da­dãos e uni­for­mi­zar os pa­drões de aten­di­men­to, quer no sec­tor pú­bli­co ad­mi­nis­tra­ti­vo quer no sec­tor pri­va­do.

Tem co­mo vi­são ser uma ins­ti­tui­ção pú­bli­ca com al­to pa­drão de aten­di­men­to e qua­li­da­de na pres­ta­ção de ser­vi­ços pú­bli­cos e pri­va­dos atra­vés da ino­va­ção dos ser­vi­ços e dos pro­ce­di­men­tos de aten­di­men­to.

A ac­tu­a­ção do SIAC en­glo­ba os se­guin­tes va­lo­res: fo­co na re­la­ção uten­te/cli­en­te – pro­cu­rar a sua sa­tis­fa­ção ple­na, cri­ar e man­ter uma re­la­ção de pro­xi­mi­da­de com o ci­da­dão, pra­ti­can­do e pro­mo­ven­do a le­ga­li­da­de, pro­bi­da­de, le­al­da­de, isen­ção, trans­pa­rên­cia, im­par­ci­a­li­da­de, res­pon­sa­bi­li­da­de e cor­te­sia; a com­pe­tên­cia pro­fis­si­o­nal – pro­mo­ven­do a ino­va­ção e mo­der­ni­za­ção dos ser­vi­ços e das tec­no­lo­gi­as de in­for­ma­ção.

A mis­são do SIAC é des­bu­ro­cra­ti­zar e sim­pli­fi­car a pres­ta­ção de ser­vi­ços pú­bli­cos e uni­for­mi­zar os pa­drões de aten­di­men­to, quer no sec­tor pú­bli­co ad­mi­nis­tra­ti­vo quer no sec­tor pri­va­do

EDI­VAL­DO CRIS­TÓ­VÃO | EDI­ÇÕES NO­VEM­BRO Pi­tra Neto con­fra­ter­ni­zou lon­ga­men­te com fun­ci­o­ná­ri­os e uten­tes do SIAC Ta­la­to­na

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.