Go­ver­no pre­pa­ra au­tar­qui­as lo­cais

Bor­ni­to de Sousa re­a­fir­mou on­tem que as au­tar­qui­as lo­cais de­vem ser im­ple­men­ta­das ain­da nes­ta le­gis­la­tu­ra e de­fen­deu que mu­ni­cí­pi­os te­nham ca­pa­ci­da­de de res­pon­der aos de­sa­fi­os pa­ra re­du­zir as as­si­me­tri­as re­gi­o­nais

Jornal de Angola - - PARTADA - Ade­li­na Iná­cio

O Vi­ce-Pre­si­den­te da Re­pú­bli­ca, Bor­ni­to de Sousa, anun­ci­ou on­tem que o Go­ver­no pre­ten­de des­con­cen­trar com­pe­tên­ci­as e mei­os pa­ra os mu­ni­cí­pi­os, co­me­çan­do na edu­ca­ção e saú­de, an­tes da re­a­li­za­ção das pri­mei­ras elei­ções au­tár­qui­cas até 2022. Bor­ni­to de Sousa fa­la­va na aber­tu­ra do Fó­rum das Cidades e Mu­ni­cí­pi­os,que ter­mi­na hoje em Lu­an­da.

O Vi­ce-Pre­si­den­te da Re­pú­bli­ca con­si­de­ra ur­gen­te a ela­bo­ra­ção do no­vo re­gi­me fi­nan­cei­ro lo­cal de su­por­te às au­tar­qui­as lo­cais. Bor­ni­to de Sousa, que fa­lou na aber­tu­ra do Fó­rum das Cidades e Mu­ni­cí­pi­os, lem­brou que já foi apre­ci­a­do um me­mo­ran­do so­bre a desconcentração de ar­re­ca­da­ção lo­cal de re­cei­tas e a sua afec­ta­ção aos mu­ni­cí­pi­os.

Pa­ra o Vi­ce-Pre­si­den­te da Re­pú­bli­ca, o re­for­ço da desconcentração ad­mi­nis­tra­ti­va e a mu­ni­ci­pa­li­za­ção de ser­vi­ços de­vem ser vis­tos co­mo uma eta­pa que con­du­zi­rá à des­cen­tra­li­za­ção ad­mi­nis­tra­ti­va e à re­a­li­za­ção das pri­mei­ras elei­ções au­tár­qui­cas no país.

Bor­ni­to de Sousa re­a­fir­mou que as au­tar­qui­as lo­cais de­vem ser im­ple­men­ta­das ain­da nes­ta le­gis­la­tu­ra. Pa­ra o Vi­ce-Pre­si­den­te da Re­pú­bli­ca to­dos os ser­vi­ços bá­si­cos de­vem ser en­ca­mi­nha­dos pa­ra os mu­ni­cí­pi­os, por ser lá on­de se de­ve ter os ser­vi­ços de qua­li­da­de e ser ca­paz de res­pon­der aos de­sa­fi­os pa­ra re­du­zir as as­si­me­tri­as re­gi­o­nais.

O Vi­ce-Pre­si­den­te da Re­pú­bli­ca fa­lou do te­ma es­co­lhi­do pa­ra es­ta edi­ção “Re­for­mar o Es­ta­do pa­ra me­lhor ser­vir o ci­da­dão” e adi­an­tou que es­ta re­for­ma é tão ur­gen­te quan­to ne­ces­sá­ria, pa­ra que o país te­nha uma ad­mi­nis­tra­ção pú­bli­ca mo­der­na, efi­ci­en­te e par­ti­ci­pa­da.

Pa­ra que tal acon­te­ça, Bor­ni­to de Sousa de­fen­de mais e me­lhor co­or­de­na­ção en­tre as ad­mi­nis­tra­ção cen­tral e a ad­mi­nis­tra­ção lo­cal. A ideia é que o ci­da­dão se­ja mais ou­vi­do e ser­vi­do e par­ti­ci­pe na go­ver­na­ção. Na pers­pec­ti­va do Vi­ce-Pre­si­den­te da Re­pú­bli­ca, a re­for­ma do Es­ta­do é in­dis­pen­sá­vel pa­ra um ser­vi­ço de ex­ce­lên­cia ao ci­da­dão, por is­so se de­ve do­tar os ór­gãos da ad­mi­nis­tra­ção lo­cal de mei­os ins­ti­tu­ci­o­nais, téc­ni­cos e hu­ma­nos à al­tu­ra des­sa exi­gên­cia.

Pa­ra o êxi­to des­sas ac­ções, se­gun­do Bor­ni­to de Sousa, de­ve-se pro­mo­ver a desconcentração e a des­cen­tra­li­za­ção ad­mi­nis­tra­ti­vas, tor­nan­do ca­da vez mais efi­ca­zes os me­ca­nis­mos de co­or­de­na­ção, mo­ni­to­ri­za­ção e ava­li­a­ção dos pro­gra­mas de de­sen­vol­vi­men­to lo­cal.

Pos­tu­ra dos mu­ni­cí­pi­os

O Vi­ce-Pre­si­den­te da Re­pú­bli­ca re­co­nhe­ceu que a mu­ni­ci­pa­li­za­ção exi­ge das au­to­ri­da­des uma no­va pos­tu­ra “sob pe­na de não pas­sar de mais uma boa von­ta­de". "Mu­ni­ci­pa­li­zar sig­ni­fi­ca en­ca­rar o mu­ni­cí­pio co­mo a fon­te do de­sen­vol­vi­men­to na­ci­o­nal”, lem­brou Bor­ni­to de Sousa, pa­ra quem os ser­vi­ços pú­bli­cos de­vem ser re­es­tru­tu­ra­dos. Is­so, acres­cen­tou, en­vol­ve mais com­pe­tên­ci­as, mais re­cur­sos fi­nan­cei­ros e mais e me­lho­res re­cur­sos hu­ma­nos pa­ra os mu­ni­cí­pi­os.

Pa­ra o Vi­ce-Pre­si­den­te da Re­pú­bli­ca, a mu­ni­ci­pa­li­zar im­põe, tam­bém, que a ad­mi­nis­tra­ção cen­tral e a ad­mi­nis­tra­ção lo­cal do Es­ta­do ce­dam es­pa­ço à ad­mi­nis­tra­ção mu­ni­ci­pal.

Bor­ni­to de Sousa anun­ci­ou que o Exe­cu­ti­vo es­tá a pre­pa­rar-se pa­ra apre­ci­ar um con­jun­to de me­di­das no do­mí­nio do re­for­ço da desconcentração ad­mi­nis­tra­ti­va e de uma mai­or ar­ti­cu­la­ção en­tre a ad­mi­nis­tra­ção cen­tral e a ad­mi­nis­tra­ção lo­cal. Es­tas me­di­das pre­vêem a trans­fe­rên­cia gra­du­al de com­pe­tên­ci­as, re­cur­sos fi­nan­cei­ros e re­cur­sos hu­ma­nos pa­ra os mu­ni­cí­pi­os. O Vi­ce-Pre­si­den­te da Re­pú­bli­ca afir­mou que a re­for­ma do Es­ta­do co­me­ça­rá com o re­for­ço da desconcentração ad­mi­nis­tra­ti­va.

Ins­pec­ções sec­to­ri­ais

Bor­ni­to de Sousa de­fen­de a re­es­tru­tu­ra­ção dos ser­vi­ços de ins­pec­ção da ad­mi­nis­tra­ção do ter­ri­tó­rio e os ser­vi­ços de ins­pec­ção sec­to­ri­ais pa­ra que os mes­mos te­nham ca­pa­ci­da­de de acom­pa­nhar e ori­en­tar pa­ra uma ac­ção cor­rec­ta. O Vi­ce-Pre­si­den­te da Re­pú- bli­ca en­ten­de que os ser­vi­ços de ins­pec­ção de­sem­pe­nham um pa­pel in­subs­ti­tuí­vel no pro­ces­so de mu­ni­ci­pa­li­za­ção de mo­do a pre­ve­nir que de­ter­mi­na­dos er­ros se­jam co­me­ti­dos e a agir em con­for­mi­da­de em re­la­ção con­du­tas le­si­vas ao in­te­res­se pú­bli­co.

O Vi­ce-Pre­si­den­te da Re­pú­bli­ca dis­se que mui­tos pro­ble­mas que o país en­fren­ta no do­mí­nio da Saú­de po­dem ser so­lu­ci­o­na­dos com a im­ple­men­ta­ção de um mo­de­lo de mu­ni­ci­pa­li­za­ção dos ser­vi­ços de saú­de ade­qua­do à ca­da re­a­li­da­de. “Pre­ci­sa­mos de fa­zer com que as uni­da­des pri­má­ri­as de pres­ta­ção de ser­vi­ços de saú­de se­jam uni­da­des de re­fe­rên­cia no sen­ti­do de que pres­tem ao ci­da­dão um ser­vi­ço hu­ma­ni­za­do e pro­fis­si­o­nal e um ser­vi­ço de qua­li­da­de”, de­fen­deu Bor­ni­to de Sousa.

O Vi­ce-Pre­si­den­te da Re­pú­bli­ca en­ten­de que, se a mu­ni­ci­pa­li­za­ção dos ser­vi­ços de saú­de for bem con­du­zi­da, o país vai dar um bom con­tri­bu­to pa­ra o res­ga­te da con­fi­an­ça do ci­da­dão nas ins­ti­tui­ções sa­ni­tá­ri­as. Bor­ni­to de Sousa de­fen­de que as mes­mas me­di­das de­vem ser adap­ta­das no sec­tor da Edu­ca­ção. “Pre­ci­sa­mos de iden­ti­fi­car cor­rec­ta­men­te que ta­re­fas de­vem ser mu­ni­ci­pa­li­za­das, do­tar os mu­ni­cí­pi­os de qua­dros com­pe­ten­tes pa­ra as exe­cu­tar e as­su­mir o com­pro­mis­so de tra­ba­lhar pa­ra me­lho­rar, em quan­ti­da­de e em qua­li­da­de, a pres­ta­ção de ser­vi­ços de edu­ca­ção”, dis­se.

Vi­ce-Pre­si­den­te, Bor­ni­to de Sousa, pe­diu uma re­fle­xão so­bre os pro­ces­sos de ar­re­ca­da­ção e afec­ta­ção de cer­tas re­cei­tas di­rec­ta­men­te aos mu­ni­cí­pi­os, pa­ra fo­men­tar mai­or cul­tu­ra de ar­re­ca­da­ção de re­cur­sos

O Vi­ce-Pre­si­den­te da Re­pú­bli­ca aler­tou que a mu­ni­ci­pa­li­zar os ser­vi­ços, trans­fe­rir re­cur­sos fi­nan­cei­ros, re­for­çar a desconcentração de com­pe­tên­ci­as, sem ter um pla­no mu­ni­ci­pal es­tru­tu­ra­do, po­de le­var a re­sul­ta­dos de­sas­tro­sos. Por is­so, de­fen­de que no mu­ni­cí­pio exis­ta um pla­no mu­ni­ci­pal ade­qua­do à sua re­a­li­da­de, ca­paz de iden­ti­fi­car, cor­rec­ta­men­te, as ne­ces­si­da­des e po­ten­ci­a­li­da­des de ca­da re­gião e de­fi­ni­dor do ca­mi­nho a se­guir.

DOMBELE BERNARDO | EDIÇÕES NOVEMBRO

Vi­ce-Pre­si­den­te abriu Fó­rum das Cidades e Mu­ni­cí­pi­os

DOMBELE BERNARDO | EDIÇÕES NOVEMBRO

Vi­ce-Pre­si­den­te da Re­pú­bli­ca e o mi­nis­tro da Ad­mi­nis­tra­ção do Ter­ri­tó­rio e Re­for­ma do Es­ta­do du­ran­te o fó­rum

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.