Pro­ce­di­men­tos pa­ra vis­tos es­tão mais aces­sí­veis e rá­pi­dos

Jornal de Angola - - POLÍTICA -

O em­bai­xa­dor

do Bra­sil em An­go­la acon­se­lhou os ci­da­dãos an­go­la­nos a dis­pen­sa­rem os in­ter­me­diá­ri­os pa­ra ob­ten­ção de vis­tos, em tro­ca de com­pen­sa­ção fi­nan­cei­ra.

Paulino Ne­to dis­se que o pe­di­do de vis­tos de en­tra­da pa­ra o Bra­sil e os pro­ce­di­men­tos pa­ra a sua ob­ten­ção já es­tão aces­sí­veis e mais rá­pi­dos com a en­tra­da em fun­ci­o­na­men­to, des­de o mês de Se­tem­bro, do Cen­tro de Pro­ces­sa­men­to de Da­dos de­no­mi­na­do "Vi­sa Cen­ter", ge­ri­do por uma em­pre­sa de re­no­me in­ter­na­ci­o­nal.

Há um ano no car­go, Paulino Ne­to dis­se que os re­qui­si­tos con­tes­ta­dos an­te­ri­or­men­te, par­ti­cu­lar­men­te a obri­ga­ção de uma ren­da igual ou superior a 400 mil kwan­zas, fo­ram eli­mi­na­dos, por­que a mai­o­ria dos an­go­la­nos não au­fe­re tal sa­lá­rio. "Po­dem ir ao si­te da em­bai­xa­da ver os re­qui­si­tos e en­tre­gar di­rec­ta­men­te o pro­ces­so ao Vi­sa Cen­ter e não vão pe­dir 100.000 kwan­zas pa­ra o vis­to, co­mo já ou­vi", ga­ran­tiu o di­plo­ma­ta, dan­do a co­nhe­cer que o vis­to de en­tra­da é tra­ta­do em dez di­as úteis.

Em mé­dia, in­for­mou, são pas­sa­dos cer­ca de 20.000 vis­tos de en­tra­da por ano. O nú­me­ro re­du­ziu nos úl­ti­mos anos de­vi­do à cri­se eco­nó­mi­ca que An­go­la vi­ve, mas nos úl­ti­mos me­ses, fri­sou, ten­de a ele­var-se. Pa­ra fa­ci­li­tar os ci­da­dãos an­go­la­nos que vi­a­jam com frequên­cia pa­ra o Bra­sil, Paulino Ne­to dis­se que a em­bai­xa­da es­tá a con­ce­der vis­tos de um ano pa­ra múl­ti­plas en­tra­das e já não per­dem va­li­da­de após 90 di­as sem o seu uso. No fu­tu­ro, dis­se, te­rão va­li­da­de de dois anos. "Es­pe­ra­mos me­lho­rar ain­da mais o aten­di­men­to e a ra­pi­dez no pro­ces­sa­men­to de vis­tos", dis­se o di­plo­ma­ta, acres­cen­tan­do que vi­vem em An­go­la cer­ca de 15.000 bra­si­lei­ros.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.