Ban­co rus­so pre­pa­ra cré­di­to pa­ra An­go­la

An­drey Kos­tiv ga­ran­tiu que téc­ni­cos do ban­co es­tão a tra­ba­lhar com as au­to­ri­da­des an­go­la­nas pa­ra re­es­tru­tu­ra­ção da dí­vi­da con­traí­da pe­lo Es­ta­do

Jornal de Angola - - PARTADA - Cân­di­do Bes­sa

O se­gun­do mai­or ban­co da Rús­sia, o VTB, es­tá a pre­pa­rar no­vos fi­nan­ci­a­men­tos pa­ra An­go­la, de­pois de ter li­de­ra­do com su­ces­so um con­sór­cio de ins­ti­tui­ções fi­nan­cei­ras que fi­nan­ci­ou o sa­té­li­te An­go­sat 1. De acor­do com o pre­si­den­te do ban­co, An­drey Kos­tiv, que foi on­tem re­ce­bi­do pe­lo Che­fe de Es­ta­do, João Lou­ren­ço, téc­ni­cos da ins­ti­tui­ção es­tão a tra­ba­lhar com au­to­ri­da­des an­go­la­nas na re­es­tru­tu­ra­ção da dí­vi­da con­traí­da pe­lo Es­ta­do ao VTB, na or­dem dos três mil mi­lhões de dó­la­res e 180 mi­lhões de eu­ros, pa­ra vi­a­bi­li­zar no­vos fi­nan­ci­a­men­to.

O ban­co rus­so VTB, lí­der do con­sór­cio de ban­cos que fi­nan­ci­ou o sa­té­li­te an­go­la­no An­go­sat 1, es­tá a pre­pa­rar no­vos fi­nan­ci­a­men­tos pa­ra pro­jec­tos nas áre­as da in­dús­tria, agri­cul­tu­ra e ener­gia e águas em An­go­la.

De acor­do com o pre­si­den­te do ban­co, An­drey Kos­tiv, que foi on­tem re­ce­bi­do pe­lo Che­fe de Es­ta­do, João Lou­ren­ço, téc­ni­cos da ins­ti­tui­ção es­tão a tra­ba­lhar com as au­to­ri­da­des an­go­la­nas na re­es­tru­tu­ra­ção da dí­vi­da con­traí­da pe­lo Es­ta­do ao VTB, na or­dem dos 1,3 mil mi­lhões de dó­la­res e 180 mi­lhões de eu­ros, pa­ra vi­a­bi­li­zar no­vos fi­nan­ci­a­men­tos.

Se­gun­do mai­or ban­co da Rús­sia, o VTB abriu, em 2006, em Lu­an­da, o VTB-Áfri­ca, seu bra­ço fi­nan­cei­ro no país, com os ca­pi­tais re­par­ti­dos em 66 por cen­to rus­sos e 34 por cen­to de ci­da­dãos an­go­la­nos. O gru­po téc­ni­co cri­a­do en­tre téc­ni­cos do Mi­nis­té­rio das Fi­nan­ças e do VTB vão, igual­men­te, tra­ba­lhar nas emis­sões de obri­ga­ções no va­lor que ron­dam en­tre os dois e três mi­lhões de dó­la­res.

Até ao mo­men­to a ope­ra­ção mais ex­pres­si­va fo­ram os 320 mi­lhões de dó­la­res in­ves­ti­dos no sa­té­li­te an­go­la­no. O in­ves­ti­men­to foi ge­ri­do por três con­tra­tos: da cons­tru­ção, alu­guer do seg­men­to es­pa­ci­al e do seg­men­to ter­res­tre.

A res­pon­sa­bi­li­da­de do Go­ver­no an­go­la­no foi ga­ran­tir a for­ma­ção dos es­pe­ci­a­lis­tas e a cons­tru­ção de in­fra-es­tru­tu­ras em ter­ra pa­ra as­se­gu­rar o apoio dos ser­vi­ços de ges­tão do sa­té­li­te. Pa­ra ga­ran­tir a sus­ten­ta­bi­li­da­de da dí­vi­da e do res­pec­ti­vo ser­vi­ço, o Exe­cu­ti­vo de­ci­diu ne­go­ci­ar o re­es­ca­lo­na­men­to da dí­vi­da com os prin­ci­pais par­cei­ros bi­la­te­rais e alar­gar a ba­se de in­ves­ti­do­res em Tí­tu­los do Te­sou­ro.

Ao Mi­nis­té­rio das Fi­nan­ças foi in­cum­bi­da a mis­são de con­cluir a aná­li­se de sus­ten­ta­bi­li­da­de da dí­vi­da de An­go­la que , em 2013, era equi­va­len­te a 24,5 por cen­to de to­da a ri­que­za pro­du­zi­da no país du­ran­te o ano, mas, em 2016 já equi­va­lia a 56 por cen­to.O gru­po es­tá pre­sen­te em mais de 20 paí­ses e com uma for­te pre­sen­ça na área de ban­ca de in­ves­ti­men­to. Em 2011, o VTB Ca­pi­tal re­ce­beu mais de 15 dis­tin­ções in­ter­na­ci­o­nais in­cluin­do de Me­lhor Ban­co de In­ves­ti­men­to na Rús­sia pe­la Glo­bal Fi­nan­ce e pe­la World Fi­nan­ce.

O VTB Áfri­ca é um ban­co co­mer­ci­al com três áre­as de ac­tu­a­ção es­pe­cí­fi­cas, no­me­a­da­men­te, ban­ca de in­ves­ti­men­to, cor­po­ra­te e re­ta­lho. A área de re­ta­lho tem por ob­jec­ti­vo ser­vir so­men­te os co­la­bo­ra­do­res das em­pre­sas, que são os cli­en­tes.

A re­de de dis­tri­bui­ção es­tá di­rec­ci­o­na­da pa­ra o mer­ca­do em­pre­sa­ri­al e, por is­so, con­ta ape­nas com 1 agência em Lu­an­da. An­drey Kos­tiv ga­ran­tiu igual­men­te que o VTB vai, em bre­ve, in­tro­du­zir no­vos mei­os e cré­di­tos pa­ra pro­jec­tos con­cre­tos em An­go­la. Emis­são de eu­ro­bonds Num des­pa­cho pre­si­den­ci­al de 21 de Agos­to do ano pas­sa­do, ain­da na vi­gên­cia do an­te­ri­or Exe­cu­ti­vo li­de­ra­do pe­lo Pre­si­den­te Jo­sé Edu­ar­do dos San­tos, o Go­ver­no an­go­la­no es­co­lhia os rus­sos do VTB pa­ra con­du­zir a es­tra­té­gia pa­ra uma se­gun­da emis­são de 'eu­ro­bonds', ou dí­vi­da so­be­ra­na em mo­e­da es­tran­gei­ra, pa­ra cap­tar até 2.000 mi­lhões de dó­la­res no mer­ca­do ex­ter­no.

O Es­ta­do an­go­la­no es­tre­ou-se na emis­são de 'eu­ro­bonds' em No­vem­bro de 2015, an­ga­ri­an­do en­tão, no mer­ca­do ex­ter­no, cer­ca de 1.500 mi­lhões de dó­la­res, atra­vés de um con­sór­cio de ban­cos li­de­ra­do pe­lo nor­te­a­me­ri­ca­no Gold­man Sa­chs In­ter­na­ti­o­nal e que in­cluiu ain­da o ale­mão Deuts­che Bank e os chi­ne­ses da ICBC In­ter­na­ti­o­nal. Os juros da pri­mei­ra emis­são an­go­la­na de 'eu­ro­bonds' fo­ram con­fir­ma­dos em 9,5 por cen­to, a li­qui­dar aos dias 12 de Maio e 12 de No­vem­bro de ca­da ano, a par­tir de 2016.

Além de co­brir as ne­ces­si­da­des de fi­nan­ci­a­men­to do Es­ta­do, col­ma­tan­do a que­bra nas re­cei­tas fis­cais de­cor­ren­tes da ex­por­ta­ção de pe­tró­leo, es­ta ope­ra­ção per­mi­tiu igual­men­te o aces­so a di­vi­sas, que o país ne­ces­si­ta­va no­me­a­da­men­te pa­ra ga­ran­tir as im­por­ta­ções de ali­men­tos e ma­té­ria-pri­ma.

O Pla­no Anu­al de En­di­vi­da­men­to pa­ra 2017 não pre­via, ini­ci­al­men­te, no­va emis­são de 'eu­ro­bonds', mas es­se pla­ne­a­men­to es­ta­va de­pen­den­te das con­di­ções fi­nan­cei­ras. O pla­no pre­via ne­ces­si­da­des bru­tas de fi­nan­ci­a­men­to no mer­ca­do na or­dem dos 4,667 bi­liões de, sen­do 75 por cen­to des­te to­tal pa­ra an­ga­ri­ar no mer­ca­do in­ter­no.

O VTB li­de­rou o con­sór­cio ban­cá­rio que fi­nan­ci­ou, em 320 mi­lhões de dó­la­res, o sa­té­li­te an­go­la­no, An­go­sat 1 que foi co­lo­ca­do em ór­bi­ta com su­ces­so no dia 26 de De­zem­bro a par­tir do cos­mó­dro­mo Bai­ko­nur

FRAN­CIS­CO BER­NAR­DO | EDI­ÇÕES NO­VEM­BRO Dí­vi­da de An­go­la es­te­ve no cen­tro do en­con­tro en­tre o Che­fe de Es­ta­do e An­drey Kos­tiv

FRAN­CIS­CO BER­NAR­DO | EDI­ÇÕES NO­VEM­BRO Che­fe de Es­ta­do re­ce­beu on­tem o lí­der do se­gun­do mai­or ban­co da Rús­sia com qu­em dis­cu­tiu no­vos fi­nan­ci­a­men­tos

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.