CAR­TAS DOS LEI­TO­RES

Jornal de Angola - - OPINIÃO - PE­DRO DALA Ilha do Mus­su­lo

Pla­ta­for­ma re­li­gi­o­sa

O fim das pla­ta­for­mas re­li­gi­o­sas, tal co­mo de­cre­ta­do há di­as pe­lo Exe­cu­ti­vo, foi dos me­lho­res acon­te­ci­men­tos da se­ma­na que ter­mi­na. Foi as­sim por­que en­ten­do que as vá­ri­as igre­jas e con­fis­sões re­li­gi­o­sas, in­de­pen­den­te­men­te do la­do ecu­mé­ni­co, não de­vem es­tar con­gre­ga­das num úni­co cor­po que as trans­for­ma nu­ma es­pé­cie de “igre­ja úni­ca”. A exis­tên­cia das cha­ma­das "pla­ta­for­mas re­li­gi­o­sas" cons­ti­tuíam, em mi­nha opi­nião, um aten­ta­do à li­ber­da­de de cul­to e a li­ber­da­de de re­li­gião. Vá­ri­os gru­pos que pro­fes­sam cren­ças di­fe­ren­tes nun­ca deviam ser reu­ni­dos sob uma mes­ma teia, em­bo­ra res­pei­to quem as­sim de­fen­da. Em to­do o ca­so, com o fim das pla­ta­for­mas re­li­gi­o­sas jul­go que es­tá na ho­ra e, a jul­gar pe­lo ul­ti­ma­to da­do pe­lo Exe­cu­ti­vo pa­ra a legalização das igre­jas ile­gais, as coi­sas vão me­lho­rar.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.