Águas re­si­du­ais no Kilamba

Jornal de Angola - - OPINIÃO - abor­dou a si­tu­a­ção das águas re­si­du­ais do Kilamba que po­dem da­ni­fi­car o as­fal­to da via Ex­pres­so. JOÃO GON­ZA­GA DI­AS Kilamba

Eu, João Gon­za­ga Di­as, de 62 anos de ida­de, ci­da­dão an­go­la­no, re­si­den­te na Cen­tra­li­da­de do Kilamba des­de 2013, cli­en­te da EPAL-EP, ve­nho so­li­ci­tar a pu­bli­ca­ção da se­guin­te si­tu­a­ção: des­de Ja­nei­ro de 2016 que os mo­ra­do­res da Cen­tra­li­da­de do Kilamba e ac­tu­al­men­te o KK-5000 são obri­ga­dos a pa­gar na fac­tu­ra­ção men­sal uma ta­ri­fa de água de sa­ne­a­men­to (esgotos) em 80 por cen­to adi­ci­o­na­do ao to­tal do con­su­mo men­sal.

Na re­a­li­da­de es­ta água é re­si­du­al im­pró­pria pa­ra con­su­mo, e vai de­sa­guar nu­ma la­goa ou ba­cia de re­ten­ção, si­tu­a­da nas ime­di­a­ções da via Ex­pres­so, a céu aber­to, pe­ri­gan­do o am­bi­en­te e a saú­de pú­bli­ca. Con­tac­tan­do a EPAL-Agên­cia do Kilamba, e a sua Di­rec­çãoGe­ral, es­ta es­cla­re­ceu-me, que de­via exis­tir uma es­ta­ção de re­ci­cla­gem de águas re­si­du­ais no Kilamba (esgotos) mas que, por mo­ti­vos des­co­nhe­ci­dos, não se con­cre­ti­zou es­te pro­jec­to, ra­zão pe­la qu­al as águas dos esgotos vão de­sa­guar nu­ma zo­na pan­ta­no­sa, jun­to à via Ex­pres­so. Eu per­gun­to: por que ra­zão os mo­ra­do­res de­vem ser obri­ga­dos a pa­gar men­sal­men­te es­ta água, dos esgotos do Kilamba, de um pro­jec­to que nun­ca fun­ci­o­nou de acor­do com a re­por­ta­gem da TPA no dia 1/11/2018, no no­ti­ciá­rio das 13 ho­ras, que

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.