Jornal de Angola

Bre­ve

- Nélson Semedo · Wolverhampton · Luanda · Girabola · Mário Fernandes

BEN­FI­CA PERDE CIN­CO MI­LHÕES DE EU­ROS COM A SAÍ­DA DE NEL­SON SEMEDO DO BARCELONA

O adeus de Nél­son Semedo ao Barcelona fa­rá com que o Ben­fi­ca não ga­nhe mais cin­co mi­lhões de eu­ros pre­vis­tos aquan­do da ven­da do la­te­ral-di­rei­to in­ter­na­ci­o­nal por­tu­guês aos ca­ta­lães no ve­rão de 2017.

Na al­tu­ra, pa­ra além do va­lor ba­se de 30,5 mi­lhões de eu­ros en­cai­xa­dos, a SAD en­car­na­da e o Barcelona acor­da­ram que o Ben­fi­ca te­ria a re­ce­ber mais cin­co mi­lhões de eu­ros a ca­da 50 jo­gos com­ple­ta­dos por Nél­son Semedo, des­de que jo­gas­se, pe­lo me­nos, 45 mi­nu­tos em ca­da um de­les. Os pri­mei­ros 50 jo­gos fo­ram ra­pi­da­men­te atin­gi­dos, mas a se­gun­da tran­che já não che­ga­rá à Luz. Tu­do por­que o ago­ra atle­ta do Wol­verhamp­ton aca­bou por fa­zer 97 jo­gos cum­prin­do os tais re­qui­si­tos, pe­lo que os ca­ta­lães não te­rão de de­sem­bol­sar mais di­nhei­ro pa­ra os co­fres en­car­na­dos.

Re­cei­os do Sa­gra­da

As re­ac­ções dos clu­bes en­vol­vi­dos na com­pe­ti­ção, à pro­pos­ta de Má­rio Fer­nan­des, não tar­da­ram a che­gar. Ao mes­mo ca­nal des­por­ti­vo, Ze­ca Ro­sa, vi­ce-pre­si­den­te Des­por­ti­vo do Sa­gra­da Es­pe­ran­ça, ape­lou à pon­de­ra­ção na pro­cu­ra de al­ter­na­ti­vas.

Co­nhe­ce­dor da re­a­li­da­de do país, so­bre­tu­do do Les­te, o di­ri­gen­te di­a­man­tí­fe­ro cha­ma a aten­ção pa­ra a pos­si­bi­li­da­de da emen­da sair pi­or que o so­ne­to, no pla­no eco­nó­mi­co, por­que o en­ca­re­cer dos cus­tos da par­ti­ci­pa­ção na pro­va, com a obri­ga­to­ri­e­da­de de tes­ta­gem se­ma­nal de to­dos os in­te­gran­tes do plan­tel, in­cluin­do a es­tru­tu­ra de apoio, ris­co que se quer evi­tar, aca­ba por ser tri­pli­ca­do pe­las di­fi­cul­da­des de des­lo­ca­ção por es­tra­da.

“Va­mos ter de ava­li­ar com al­gu­ma res­pon­sa­bi­li­da­de to­dos es­ses as­pec­tos. Vi­a­jar do Dun­do ao Lu­e­na, nas con­di­ções ac­tu­ais das es­tra­das, é ex­tre­ma­men­te com­pli­ca­do. Fi­ca mais fá­cil vir a Lu­an­da. E se ca­lhar até em ter­mos de cus­tos. Por­tan­to, há to­do um con­jun­to de as­pec­tos que te­mos de ava­li­ar, com res­pon­sa­bi­li­da­de, e de­ci­dir de for­ma mais ob­jec­ti­va. Por­que a pró­pria com­pe­ti­ti­vi­da­de tem de es­tar as­se­gu­ra­da”, dis­se.

Si­lên­cio elei­to­ral

Em­bo­ra ain­da não es­te­ja aber­to o pe­río­do de cam­pa­nha elei­to­ral, o elenco fe­de­ra­ti­vo ces­san­te, en­ca­be­ça­do por Ar­tur de Al­mei­da e Silva, pa­re­ce mais focado nos pre­pa­ra­ti­vos da má­qui­na pa­ra ga­ran­tir a continuida­de à fren­te da con­du­ção dos des­ti­nos da mo­da­li­da­de.

Is­so ex­pli­ca o va­zio, quan­to aos mol­des de dis­pu­ta, la­men­ta­do pe­lo di­rec­tor do Cen­tro Na­ci­o­nal de Me­di­ci­na do Des­por­to, João Mu­li­ma. No en­tan­to, qual­quer mu­dan­ça no fi­gu­ri­no do Gi­ra­bo­la é de­ci­di­da em

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola