Jornal de Angola

Cer­ca de du­as mil pes­so­as aguar­dam na fi­la pa­ra a adop­ção de cri­an­ças

Mi­nis­tra Faus­ti­na Al­ves ape­la que se con­ti­nue a tra­ba­lhar no pro­ces­so de lo­ca­li­za­ção e reu­ni­fi­ca­ção fa­mi­li­ar

- Ma­nu­e­la Go­mes Society · Family · Parenting · Kids · Luanda · Angola

Pe­lo me­nos 2.000 pes­so­as no país es­tão na lis­ta de es­pe­ra das di­rec­ções pro­vin­ci­ais da Ac­ção So­ci­al, Fa­mí­lia e Igual­da­de do Gé­ne­ro, pa­ra adop­ção de cri­an­ças, se­gun­do da­dos do Ins­ti­tu­to Na­ci­o­nal da Cri­an­ça (INAC).

A in­for­ma­ção foi avan­ça­da, on­tem, em Luanda, pe­la mi­nis­tra da Ac­ção So­ci­al, Fa­mí­lia e Igual­da­de do Gé­ne­ro, Faus­ti­na Al­ves, que in­ter­veio no se­mi­ná­rio na­ci­o­nal so­bre “Pro­ce­di­men­tos ad­mi­nis­tra­ti­vos e ju­di­ci­ais pa­ra adop­ção de cri­an­ças em An­go­la”.

A go­ver­nan­te dis­se ser ne­ces­sá­rio que as di­rec­ções mu­ni­ci­pais da Ac­ção So­ci­al con­ti­nu­em a tra­ba­lhar na pro­mo­ção das ac­ções de lo­ca­li­za­ção e reu­ni­fi­ca­ção fa­mi­li­ar de cri­an­ças per­di­das ou, su­pos­ta­men­te, aban­do­na­das.

No en­tan­to, con­si­de­rou fun­da­men­tal que as Sa­las de Fa­mí­li­as dos Tri­bu­nais Pro­vin­ci­ais cri­em um cadastro úni­co de can­di­da­tos à adop­ção e de re­que­ren­tes, as­sim co­mo os Jul­ga­dos de Me­no­res, pa­ra que con­ti­nu­em a tra­ba­lhar no pro­ces­so de au­to­ri­za­ção pro­vi­só­rio e ex­cep­ci­o­nal do aco­lhi­men­to de cri­an­ças em es­ta­do de aban­do­no ou em si­tu­a­ção de ris­co.

“A ins­ti­tu­ci­o­na­li­za­ção é ex­cep­ci­o­nal e, quan­do ne­ces­sá­ria, de­ve ser uma for­ma de tran­si­ção pa­ra co­lo­ca­ção em fa­mí­lia subs­ti­tu­ta”, dis­se a mi­nis­tra, que ape­lou a uma re­fle­xão ur­gen­te so­bre a ne­ces­si­da­de de se de­fi­nir uma en­ti­da­de res­pon­sá­vel pe­lo cum­pri­men­to dos com­pro­mis­sos in­ter­na­ci­o­nais as­su­mi­dos, no con­tex­to da Con­ven­ção Re­la­ti­va à Pro­tec­ção das Cri­an­ças e à Co­o­pe­ra­ção em Ma­té­ria de Adop­ção In­ter­na­ci­o­nal.

Pa­ra Faus­ti­na Al­ves, as di­rec­ções mu­ni­ci­pais da Ac­ção So­ci­al, no âm­bi­to da mu­ni­ci­pa­li­za­ção da Ac­ção So­ci­al, têm sa­bi­do im­ple­men­tar ri­go­ro­sa­men­te as ori­en­ta­ções, vi­san­do, so­bre­tu­do, a pro­tec­ção da cri­an­ça em si­tu­a­ção de vul­ne­ra­bi­li­da­de so­ci­al.

No país exis­tem 118 la­res de in­fân­cia e cen­tros de aco­lhi­men­to que al­ber­gam um nú­me­ro apro­xi­ma­do de 8.092 cri­an­ças, dos ze­ro aos 17 anos. "A ques­tão que co­lo­ca­mos é sa­ber o porquê da exis­tên­cia de tan­tas cri­an­ças em la­res de in­fân­cia e cen­tros de aco­lhi­men­to e, mui­tas de­las, à es­pe­ra de se­rem adop­ta­das", su­bli­nhou.

So­bre a exis­tên­cia de mui­tos me­no­res nos la­res e em cen­tros de aco­lhi­men­to, a mi­nis­tra dis­se que a mai­o­ria dos adop­tan­tes pre­fe­rem cri­an­ças até aos três anos e gran­de par­te de­las já pas­sou des­ta fai­xa etá­ria.

A Cons­ti­tui­ção da Re­pú­bli­ca de An­go­la con­sa­gra o di­rei­to da cri­an­ça à aten­ção es­pe­ci­al da fa­mí­lia, da so­ci­e­da­de e do Es­ta­do os quais, em es­trei­ta co­la­bo­ra­ção, de­vem as­se­gu­rar a sua am­pla pro­tec­ção con­tra to­das as for­mas de aban­do­no, dis­cri­mi­na­ção, opres­são, ex­plo­ra­ção e exer­cí­cio abu­si­vo de au­to­ri­da­de na fa­mí­lia e nas de­mais ins­ti­tui­ções.

O Es­ta­do re­gu­la a adop­ção de cri­an­ças, pro­mo­ve a sua in­te­gra­ção num am­bi­en­te fa­mi­li­ar sa­dio e ve­la pe­lo seu de­sen­vol­vi­men­to in­te­gral. Nos ter­mos da Lei nº1/88, de 20 de Fe­ve­rei­ro, a adop­ção vi­sa a pro­tec­ção so­ci­al, mo­ral e afec­ti­va da cri­an­ça, cons­ti­tuin­do en­tre o adop­ta­do e adop­tan­te o vín­cu­lo de pa­ren­tes­co, igual àque­le que li­ga os fi­lhos aos pais na­tu­rais.

 ??  ??
 ?? CON­TREI­RAS PIPA | EDI­ÇÕES NO­VEM­BRO ?? Pro­ce­di­men­tos ad­mi­nis­tra­ti­vos e ju­di­ci­ais pa­ra a adop­ção de cri­an­ças abor­da­dos on­tem
CON­TREI­RAS PIPA | EDI­ÇÕES NO­VEM­BRO Pro­ce­di­men­tos ad­mi­nis­tra­ti­vos e ju­di­ci­ais pa­ra a adop­ção de cri­an­ças abor­da­dos on­tem

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola