Efi­cá­cia nas ope­ra­ções dá pré­mio à Ca­to­ca

A ins­ti­tui­ção foi re­cen­te­men­te dis­tin­gui­da com o ga­lar­dão de me­lhor em­pre­sa por uma or­ga­ni­za­ção in­ter­na­ci­o­nal em fun­ção das bo­as po­lí­ti­cas e de­sem­pe­nho

Jornal de Economia & Financas - - Empresas -

ASo­ci­e­da­deMi­nei­ra de Ca­to­ca fe­cha o ano com mais um re­co­nhe­ci­men­to in­ter­na­ci­o­nal da CFI.co Award pe­la efi­cá­cia das su­as ope­ra­ções. Po­rém, es­te se­rá um dos mais pres­ti­gi­o­sos pré­mi­os, da­da a en­vol­vên­cia que tem a en­ti­da­de pro­mo­to­ra, que pos­sui re­la­ções com as me­lho­res ins­ti­tui­ções do mun­do, co­mo o Ban­co Mun­di­al e Na­ções Uni­das.

Nu­ma ou­tra dis­tin­ção, que acon­te­ceu nos di­as 27 e 28 de No­vem­bro úl­ti­mo no Du­bai, a Ca­to­ca foi ga­lar­do­a­da com o pré­mio in­ter­na­ci­o­nal “The Ma­jes­tic Fal­con Award for Qu­a­lity & Ex­cel­len­ce”.

O pré­mio é or­ga­ni­za­do pe­la As­so­ci­a­ção Otherways Ma­na­ge­ment & Con­sul­ting As­so­ci­a­ti­on e é con­ce­di­do a or­ga­ni­za­ções con­si­de­ra­das “Ex­ce­len­tes” no cam­po da qua­li­da­de e na ges­tão dos seus processos pro­du­ti­vos.

Co­nhe­ci­do co­mo tro­féu “Awards Ma­jes­tic-5” pro­põem-se ga­lar­do­ar as me­lho­res em­pre­sas do mun­do ao ní­vel da implementação de sis­te­mas de ges­tão da qua­li­da­de e da ges­tão em­pre­sa­ri­al nos cin­co con­ti­nen­tes.

Nes­ta no­me­a­ção es­tá pa­ten­te o ele­va­do ní­vel da ges­tão em­pre­sa­ri­al le­va­da a ca­bo pe­la li­de­ran­ça de Ca­to­ca, pe­la apre­sen­ta­ção de bons re­sul­ta­dos eco­nó­mi­co/fi­nan­cei­ros da em­pre­sa, as­sim co­mo pe­lo de­sen­vol­vi­men­to do sistema de ges­tão da qua­li­da­de na cer­ti­fi­ca­ção - re­no­va­ção e tran­si­ção pa­ra a no­va Nor­ma ISO_9001:2015, o que tor­nou Ca­to­ca na 1ª em­pre­sa em An­go­la cer­ti­fi­ca­da pe­la Nor­ma ISO_9001:2015 e a ter­cei­ra a ní­vel mun­di­al.

Es­tes re­sul­ta­dos têm si­do al­can­ça­dos gra­ças à bus­ca de me­lho­ria con­tí­nua do Sistema In­te­gra­do de Ges­tão (SIG), por par­te de to­das as di­rec­ções, de­par­ta­men­tos e sec­to­res de Ca­to­ca.

Ain­da na mes­ma sen­da, no pas­sa­do mês de Ou­tu­bro, a so­ci­e­da­de con­quis­tou a pri­mei­ra edi­ção do pré­mio “ex­cel­lens ci­vi­tas”, co­mo me­lhor em­pre­sa na ca­te­go­ria “com­pro­mis­so”, num even­to re­a­li­za­do em Lu­an­da.

O even­to, pro­mo­vi­do pe­la Fun­da­ção Edu­ar­do dos Santos (FESA), em par­ce­ria com a pri­ce wa­ter hou­se co­o­pers (PwC), re­co­nhe­ceu ou­tras em­pre­sas co­mo a BP An­go­la, a Ode­bre­cht, o gru­po Ra­mos Fer­rei­ra, o Ban­co Ke­ve, a Ensa, a Uni­car­gas, en­tre ou­tras, em dis­tin­tos sec­to­res de ac­ti­vi­da­de.

De acor­do com o jú­ri, “a em­pre­sa ven­ce­do­ra en­con­tra-se de­vi­da­men­te ali­nha­da aos re­qui­si­tos exi­gi­dos no que to­ca à res­pon­sa­bi­li­da­de cor­po­ra­ti­va, a go­ver­na­ti­va e a ges­tão de ris­co, com re­al­ce a saú­de la­bo­ral e apoio às co­mu­ni­da­des, bem co­mo o pi­lar am­bi­en­tal, que re­al­ça as po­lí­ti­cas e prá­ti­cas de ges­tão e de­sem­pe­nho am­bi­en­tal”.

O di­rec­tor-ge­ral da Fesa, João de Deus, ex­pli­cou na oca­sião, que os cri­té­ri­os de ava­li­a­ção ba­se­a­ram-se nas me­to­do­lo­gi­as de aná­li­se crí­ti­ca às res­pos­tas for­ne­ci­das pe­las em­pre­sas ao ques­ti­o­ná­rio de­sen­vol­vi­dos pe­la Fesa e pe­la PWC.

A ini­ci­a­ti­va da Fesa e da PWC pre­ten­de re­co­nhe­cer as em­pre­sas An­go­la­nas mais bem-su­ce­di­das na apli­ca­ção das su­as po­lí­ti­cas de res­pon­sa­bi­li­da­de cor­po­ra­ti­va.

A s em­pre­sas BP An­go­la, Ode­bre­cht, o gru­po Ra­mos Fer­rei­ra, o Ban­co Ke­ve, a Ensa, a Uni­car­gas, en­tre ou­tras em dis­tin­tos sec­to­res de ac­ti­vi­da­de.

ARQUIVO JE

As po­lí­ti­cas da so­ci­e­da­de es­tão de­vi­da­men­te ali­nha­das aos re­qui­si­tos exi­gi­dos no que to­ca à ges­tão do am­bi­en­te

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.