Cor­ri­da às va­gas cres­ce na UAN

Uni­ver­si­da­de Agos­ti­nho Neto abre por­tas e quer con­ti­nu­ar a li­de­rar o pro­ces­so de en­si­no nu­ma al­tu­ra em que con­ta com 45 cur­sos dis­tri­buí­dos nas no­ve uni­da­des or­gâ­ni­cas

Jornal de Economia & Financas - - Capa -

Ter­mi­na ama­nhã, o pro­ces­so de ins­cri­ção pa­ra uma va­ga na Uni­ver­si­da­de Agos­ti­nho Neto Fe­ve­rei­ro.(UAN), sen­do que os exa­mes de ad­mis­são co­me­çam no dia 30 e ter­mi­nam a 6 de

Por es­tes di­as, o cor­re-cor­re de jo­vens e en­car­re­ga­dos de edu­ca­ção, ávi­dos de en­con­trar uma va­ga, jun­to do Cam­pus Uni­ver­si­tá­rio da UAN tem si­do uma cons­tan­te.

Pa­ra es­te ano lec­ti­vo, a ins­ti­tui­ção de en­si­no su­pe­ri­or pú­bli­ca anun­ci­ou que tem dis­po­ní­vel 5.385 va­gas, con­tra um to­tal de 4.800 do ano pas­sa­do.

Pro­ces­so de ins­cri­ção

Da­dos da ins­ti­tui­ção in­di­cam que pa­ra es­te ano pre­vê-se 50 mil can­di­da­tos, sen­do que por ca­da ins­cri­ção, a uni­ver­si­da­de co­bra qua­tro mil kwanzas (por um cur­so) e seis mil kwanzas por dois cur­sos, pa­ra ca­da can­di­da­to.

Fa­lan­do à im­pren­sa, o co­or­de­na­dor da sub­co­mis­são de co­mu­ni­ca­ção da Co­mis­são Téc­ni­ca do Exa­me de Aces­so a UAN-2017, Ar­lin­do Isa­bel, in­for­mou que o va­lor co­bra­do é um emo­lu­men­to es­ta­be­le­ci­do pa­ra su­por­tar os cus­tos da ope­ra­ção, que en­vol­ve mais de 500 fun­ci­o­ná­ri­os, en­tre pro­fes­so­res, fun­ci­o­ná­ri­os não do­cen­tes e es­tu­dan­tes.

Es­ta co­bran­ça, des­ta­cou é fei­ta por que o pro­ces­so de ins­cri­ção não tem co­ber­tu­ra no Or­ça­men­to Ge­ral do Es­ta­do, nu­ma al­tu­ra em que há ne­ces­si­da­de de se dis­tri­buir fo­lhe­tos e re­gu­la­men­tos a to­dos os can­di­da­tos.

As co­bran­ças no ac­to de ins­cri­ção são uma de­ci­são in­ter­na da Uni­ver­si­da­de Agos­ti­nho Neto, apro­va­da pe­los ór­gãos da ins­ti­tui­ção de en­si­no su­pe­ri­or.

A Lei de Ba­ses do Sis­te­ma de Edu­ca­ção e En­si­no de­fi­ne o re­gi­me ju­rí­di­co do En­si­no Su­pe­ri­or, com re­al­ce pa­ra as des­pe­sas re­la­ti­vas às ins­cri­ções, as­sis­tên­cia às au­las, ma­te­ri­al es­co­lar e ou­tros en­car­gos.

Com cer­ca de 45 cur­sos, dis­tri­buí­dos nas no­ve uni­da­des or­gâ­ni­cas, es­tão dis­po­ní­veis na Uni­ver­si­da­de Agos­ti­nho Neto (UAN).

His­to­ri­al

O en­si­no su­pe­ri­or foi im­plan­ta­do em An­go­la no ano de 1962, com a cri­a­ção dos Es­tu­dos Ge­rais Uni­ver­si­tá­ri­os de An­go­la.

A Igre­ja Ca­tó­li­ca ti­nha, po­rém, cri­a­do em 1958 o seu Se­mi­ná­rio, com es­tu­dos su­pe­ri­o­res em Lu­an­da e no Hu­am­bo.

Na cri­a­ção dos Es­tu­dos Ge­rais Uni­ver­si­tá­ri­os de An­go­la, se­guiu-se os cur­sos nas ci­da­des de Lu­an­da (me­di­ci­na, ci­ên­ci­as e en­ge­nha­ri­as), Hu­am­bo (agro­no­mia e ve­te­ri­ná­ria) e Lubango (le­tras, ge­o­gra­fia e pe­da­go­gia).

Com a pro­cla­ma­ção da in­de- pen­dên­cia política de An­go­la, em 1975, foi cri­a­da a Uni­ver­si­da­de de An­go­la (em 1976), man­ten­do-se uma úni­ca ins­ti­tui­ção de en­si­no su­pe­ri­or de âm­bi­to na­ci­o­nal. No ano de 1985, a Uni­ver­si­da­de de An­go­la pas­sou a de­sig­nar-se Uni­ver­si­da­de Agos­ti­nho Neto, que se man­te­ve até 2009 co­mo úni­ca ins­ti­tui­ção es­ta­tal de en­si­no su­pe­ri­or no país.

Des­de 2009, al­tu­ra em que foi des­mem­bra­da a Uni­ver­si­da­de Agos­ti­nho Neto, até ago­ra a ins­ti­tui­ção se man­tém co­mo sen­do a mai­or es­co­la de en­si­no su­pe­ri­or do país.

A li­be­ra­li­za­ção do en­si­no su­pe­ri­or, com a pro­mo­ção da cri­a­ção de uma re­de de ins­ti­tui­ções pri­va­das tem con­tri­buí­do sig­ni­fi­ca­ti­va­men­te pa­ra ex­pan­são do sec­tor em to­do o ter­ri­tó­rio na­ci­o­nal.

DR

As­pi­ran­tes a Uni­ver­si­da­de Agos­ti­nho Neto du­ran­te o pe­río­do das ins­cri­ções no Cam­pus do Ca­ma­ma em Lu­an­da

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.