Cin­fo­tec ini­cia ci­clo for­ma­ti­vo

Ins­ti­tui­ção pre­ten­de as­se­gu­rar mão-de-obra es­pe­ci­a­li­za­da pa­ra co­brir os actuais dé­fi­ces por téc­ni­cos nas di­fe­ren­tes áre­as

Jornal de Economia & Financas - - Empresas -

OCen­tro In­te­gra­do de For­ma­ção Tec­no­ló­gi­ca (Cin­fo­tec) anun­ci­ou es­ta se­ma­na, em Lu­an­da, que pre­ten­de for­mar, no pre­sen­te ano lec­ti­vo, três mil 334 pes­so­as, de acor­do com o di­rec­tor-ge­ral.

Gil­ber­to Fi­guei­ra, que fa­la­va à An­gop, por oca­sião da aber­tu­ra do no­vo ci­clo for­ma­ti­vo da ins­ti­tui­ção, re­fe­riu que são áre­as de for­ma­ção as de tec­no­lo­gi­as de in­for­ma­ção e co­mu­ni­ca­ção, me­câ­ni­ca e pro­du­ção, elec­tri­ci­da­de e me­ca­tró­ni­ca , me­tro­lo­gia, ma­nu­ten­ção in­dus­tri­al, sol­da­du­ra, en­tre ou­tros.

De acor­do com o res­pon­sá­vel, o cen­tro tem par­ce­ri­as com as di­ver­sas em­pre­sas, quer pú­bli­cas, quer pri­va­das do mer­ca­do que ofe­re­cem es­tá­gi­os pa­ra os for­man­dos de­pois dos mes­mos te­rem con­cluí­do a sua for­ma­ção.

A tí­tu­lo de exem­plo, in­di­cou que em 2016, uma em­pre­sa, cu­jo no­me não re­ve­lou, re­cru­tou do cen­tro 170 for­man­dos pa­ra fa­zer par­te dos seus qua­dros e con­tri­buí­rem pa­ra o de­sen­vol­vi­men­to e cres­ci­men­to do pais.

O ges­tor in­for­mou que pa­ra o pre­sen­te ano, pre­ten­de-se con­so­li­dar um con­cur­so li­ga­do à for­ma­ção pro­fis­si­o­nal de for­ma que os for­man­dos do Cin­fo­tec pos­sam in­te­ra­gir num am­bi­en­te agra­dá­vel com alu­nos de ou­tros cen­tros e de for­ma­ção pú­bli­co-pri­va­das, as­sim co­mo uni­ver­si­da­des li­ga­das à área de en­ge­nha­ria.

Es­cla­re­ceu que o mes­mo tem co­mo ob­jec­ti­vo não só o de pro­vo­car a in­te­rac­ção aos jo­vens, mas tam­bém me­lho­rar a qua­li­da­de de en­si­no a ní­vel do país.

O Cin­fo­tec tem ain­da agen­da­do pa­ra o mês de Abril um le­que de cur­sos de qua­li­fi­ca­ção, mor­men­te, de frio e re­fri­ge­ra­ção in­dus­tri­al, ener­gi­as re­no­vá­veis, ba­te-cha­pa e pin­tu­ra.

A ins­ti­tui­ção con­ta de igual mo­do com cur­sos de hi­gi­e­ne e segurança no tra­ba­lho, hi­dráu­li­ca e pneu­má­ti­ca, me­câ­ni­ca-au­to, to­dos in­se­ri­dos es­te ano.

O Cin­fo­tec, ins­ti­tui­ção de for­ma­ção pro­fis­si­o­nal tec­no­ló­gi­ca, tu­te­la­da pe­lo Mi­nis­té­rio da Ad­mi­nis­tra­ção Pú­bli­ca, Tra­ba­lho e Segurança So­ci­al, ac­tua no sis­te­ma Na­ci­o­nal de For­ma­ção Pro­fis­si­o­nal, no do­mí­nio das tec­no­lo­gi­as apli­ca­das, mi­nis­tran­do cur­sos de Ní­vel IV, ten­do co­mo mo­de­lo prin­cí­pio de fun­ci­o­na- men­to o re­la­ci­o­na­men­to pri­vi­le­gi­a­do com em­pre­sas e de­mais ins­ti­tui­ções pú­bli­cas e pri­va­das, do sec­tor pro­du­ti­vo da in­dús­tria na­ci­o­nal, com as quais es­ta­be­le­ceu par­ce­ri­as.

O cen­tro con­ta, ac­tu­al­men­te, com 34 for­ma­do­res na­ci­o­nais, 16 sa­las de au­las teó­ri­cas, 22 la­bo­ra­tó­ri­os e cin­co ofi­ci­nas no con­jun­to das qua­tro áre­as, de­sig­na­da­men­te, Me­câ­ni­ca, Elec­tri­ci­da­de, Me­ca­tró­ni­ca, Te­o­lo­gia de In­for­ma­ção e Te­le­co­mu­ni­caç­ções.

O Cen­tro pre­ten­de ser um im­por­tan­te su­por­te pa­ra as em­pre­sas an­go­la­nas e es­tran­gei­ras al­can­ça­rem os mais al­tos ní­veis de ac­tu­a­li­za­ção tec­no­ló­gi­ca e de qua­li­fi­ca­ção dos seus re­cur­sos hu­ma­nos.

Por ou­tro la­do, o di­rec­tor Gil­ber­to Fi­guei­ra fez sa­ber tam­bém que os cur­sos de aper­fei­ço­a­men­to di­ri­gi­dos aos jo­vens sãos os que mais se des­ta­cam no pla­no de férias do ano lec­ti­vo 2017 no Cen­tro In­te­gra­do de For­ma­ção Tec­no­ló­gi­ca (Cin­fo­tec). Os cur­sos têm du­ra­ção de 2 a 3 me­ses e são os mais so­li­ci­ta­dos fi­na­lis­tas do en­si­no mé­dio.

CONTREIRAS PI­PA

A ins­ti­tui­ção pre­ten­de ser um im­por­tan­te su­por­te pa­ra as em­pre­sas an­go­la­nas

CONTREIRAS PI­PA

Ac­tu­al­men­te o cen­tro con­ta com 34 for­man­dos na­ci­o­nais e 22 la­bo­ra­tó­ri­os

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.