Go­ver­no in­cen­ti­va api­cul­tu­ra na Chi­bia

Ad­mi­nis­tra­ção lo­cal es­tá a tra­ba­lhar em par­ce­ria com em­pre­sas pa­ra oa re­to­ma da pro­du­ção do mel na re­gião e con­tri­buir pa­ra o sus­ten­to das vá­ri­as fa­mí­li­as

Jornal de Economia & Financas - - Infra-Estrutura - Arão Mar­tins na Chi­bia

Aad­mi­nis­tra­ção mu­ni­ci­pal da Chi­bia, pro­vín­cia da Huíla, es­tá a in­cen­ti­var as fa­mí­li­as cam­po­ne­sas a pri­ma­rem­pe­la­pro­du­ção­do­mel,por­se­rum dos mé­to­dos de au­men­tar A ren­da. Pa­ra tal, a ad­mi­nis­tra­ção mu­ni­ci­pal da Chi­bia, es­tá a tra­ba­lhar com a em­pre­sa “Jar­dins da Yo­ba”, li­ga­da ao ra­mo da agri­cul­tu­ra e pe­cuá­ria, bem co­mo na pro­du­ção e dis­tri­bui­ção de col­mei­as me­lho­ra­das, nas co­mu­nas do Jau, Ca­pun­da Ca­vi­lon­go e co­mu­na se­de.

O ad­mi­nis­tra­dor mu­ni­ci­pal ad­jun­to da Chi­bia, Jai Fre­de­ri­co, que pres­tou a in­for­ma­ção ao JE dis­se que o pro­jec­to es­tá a ser de­sen­vol­vi­do em par­ce­ria com a em­pre­sa enun­ci­a­da e vi­sa me­lho­rar a qua­li­da­de de vi­da das fa­mí­li­as cam­po­ne­sas.

Jai Fre­de­ri­co re­co­nhe­ceu que a api­cul­tu­ra é uma das ac­ti­vi­da­des ca­pa­zes de cau­sar im­pac­tos po­si­ti­vos, tan­to so­ci­ais, quan­to eco­nó­mi­cas, além de con­tri­buir pa­ra a ma­nu­ten­ção e pre­ser­va­ção dos ecos­sis­te­mas exis­ten­tes.

Fri­sou que o mel con­tém pro­teí­nas, di­ver­sos sais mi­ne­rais e vi­ta­mi­nas es­sen­ci­ais à saú­de, além do al­to va­lor ener­gé­ti­co, pos­sui pro­pri­e­da­des me­di­ci­nais e é um ali­men­to de re­co­nhe­ci­da ac­ção an­ti­bac­te­ri­a­na.

No mu­ni­cí­pio da Chi­bia, re­fe­riu, com o pro­pó­si­to de con­tri­buir pa­ra uma qua­li­da­de de vi­da me­lhor às fa­mí­li­as cam­po­ne­sas, a ad­mi­nis­tra­ção mu­ni­ci­pal lo­cal es­tá a in­cen­ti­var a pro­du­ção do mel, com a dis­tri­bui­ção de col­mei­as me­lho­ra­das.

Dis­se que ape­sar da ac­ti­vi­da­de ser re­mo­ta, no mu­ni­cí­pio, ain­da exis­te um gran­de po­ten­ci­al apí­co­la (flo­ra e cli­ma), por ex­plo­rar e gran­de pos­si­bi­li­da­de de se ma­xi­mi­zar a pro­du­ção, in­cre­men­tan­do tam­bém o ne­go­cio apí­co­la. In­for­mou que fo­ram já pro­du­zi­das e dis­tri­buí­das mais de 50 col­mei­as e o ob­jec­ti­vo, é de atin­gir mais de 250 api­cul­to­res até fi­nais do ano em cur­so.

Dis­se que, além da en­tre­ga das col­mei­as, es­tão a ser re­a­li­za­das ac­ções que vi­sam dis­se­mi­nar ao pro­du­tor, co­nhe­ci­men­tos so­bre bi­o­lo­gia das abe­lhas, téc­ni­cas de ma­ne­jo e co­lhei­ta do mel, pra­gas e do­en­ças dos en­xa­mes, im­por­tân­cia eco­nó­mi­ca, mer­ca­do e co­mer­ci­a­li­za­ção.

O res­pon­sá­vel afir­mou que a api­cul­tu­ra tam­bém di­mi­nui as quei­ma­das. Com is­so, o mel tem uma gran­de im­por­tân­cia eco­nó­mi­ca e é fon­te de Jai Fre­de­ri­co afir­mou que o ga­nho es­tá a ser de­sen­vol­vi­do, so­bre­tu­do nas co­mu­nas de Ca­pun­da Ca­vi­lon­go e Jau, com ob­jec­ti­vo de pro­mo­ver a ge­ra­ção e trans­fe­rên­cia de tec­no­lo­gi­as, que vi­sem a me­lho­ria do de­sem­pe­nho da ex­plo­ra­ção apí­co­la, con­tri­buin­do des­sa for­ma, pa­ra o au­men­to da pro­du­ti­vi­da­de e me­lho­ria da qua­li­da­de dos pro­du­tos da col­meia.

“O mel é usa­do co­mo ali­men­to pe­lo ho­mem des­de a pré-his­to­ria. Com o tem­po, o ho­mem foi apren­den­do a pro­te­ger seus en­xa­mes, com a ins­ta­la­ção de col­mei­as me­lho­ra­das e ma­ne­jo de for­ma que hou­ves­se mai­or pro­du­ção de mel, sem cau­sar pre­juí­zo as abe­lhas”, dis­se.

Re­co­nhe­ceu que es­sa ac­ti­vi­da­de atra­ves­sou o tem­po, ga­nhou o mun­do e se tor­nou uma im­por­tan­te fon­te de ren­da pa­ra va­ri­as fa­mí­li­as e é nes­ta ba­se que a ad­mi­nis­tra­ção mu­ni­ci­pal da Chi­bia, es­tá a pro­cu­rar in­cen­ti­var tais prá­ti­cas”, dis­se.

O di­rec­tor de pro­du­ção da em­pre­sa “Jar­dins da Yo­ba”, João sa­rai­va, dis­se que ac­tu­al­men­te, além do mel, po­de se ob­ter di­ver­sos pro­du­tos co­mo o pó­len apí­co­la, a ge­leia re­al e a ce­ra. Acres­cen­tou que jun­ta­men­te com o mel, as abe­lhas for­ne­cem ou­tros pro­du­tos.

EDIÇÕES NO­VEM­BRO

O mel po­de ser um dos me­ca­nis­mos pa­ra as fa­mí­li­as cam­po­ne­sas a ní­vel da re­gião au­men­ta­rem os seus ren­di­men­tos

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.