Pre­ço do brent re­fe­rên­cia an­go­la­na atin­ge os 54 dó­la­res

Ne­go­ci­a­ções des­ta se­ma­na re­flec­tem o efei­to po­si­ti­vo que as en­co­men­das es­tão a re­gis­tar de for­ma con­se­cu­ti­va ul­tra­pas­sa­do os te­mo­res so­bre as ame­a­ças nor­te-co­re­a­nas

Jornal de Economia & Financas - - Mercados - Isa­que Lou­ren­ço

As en­co­men­das do brent pa­ra en­tre­ga em No­vem­bro, es­ta se­ma­na, ini­ci­a­ram as tran­sac­ções, no In­ter­con­ti­nen­tal Ex­chan­ge de Lon­dres, com um pre­ço al­to. Por ca­da bar­ril co­bra­va-se 54,02 dó­la­res, sen­do es­te o va­lor mais al­to das úl­ti­mas se­te se­ma­nas.

Ape­sar da li­gei­ra que­da ob­ser­va­da na ter­ça-fei­ra (12), on­de o bar­ril (equi­va­len­te a 126 litros) es­te­ve co­ta­do nos 53,71 dó­la­res, as tran­sac­ções de­cor­rem num ce­ná­rio bem mais op­ti­mis­ta.

Os te­mo­res so­bre even­tu­ais con­tor­nos ne­ga­ti­vos do ac­tu­al am­bi­en­te de ten­são en­tre os Es­ta­dos Uni­dos da Amé­ri­ca e seus ali­a­dos con­tra a Co­reia do Nor­te fo­ram ven­ci­dos.

As en­co­men­das na qu­ar­ta-fei­ra (13), com um pre­ço de 54,68 dó­la­res, ain­da ini­ci­a­ram sob o ba­lan­ço do fecho do dia an­te­ri­or, mo­men­to em que atin­giu-se os 54,38. A su­bi­da foi de mais de 0,40 pon­tos per­cen­tu­ais.

De acor­do com o sí­tio de in­ter­net da In­ves­ting.com, es­pe­ci­a­li­za­do nas tran­sac­ções dos fu­tu­ros, o fecho de ter­ça-fei­ra ob­ser­vou um va­lor de 54,27 num con­tra­to de mil bar­rís e com va­ri­a­ção diá­ria en­tre 54,05 e os 54,71 dó­la­res.

O In­ves­ting.com re­fe­ren­cia, igual­men­te, que o úl­ti­mo dia de “rol­lo­ver”, que é o nú­me­ro de en­co­men­das ne­ces­sá­ri­as pa­ra dar se­gui­men­to a uma da­da tran­sac­ção, foi em 27 de Agos­to e a li­qui­da­ção fí­si­ca da­ta­da de 29 de Se­tem­bro. A va­ri­a­ção apre­sen­ta­da num ano é de 12,23 por cen­to. To­do es­te ce­ná­rio le­vou mai­or con­fi­an­ça jun­to dos com­mo­di­ti­es.

Angola ven­de LNG

A Angola LNG vai for­ne­cer gás a uma em­pre­sa eu­ro­peia, com se­de na Ale­ma­nha, nos ter­mos de um acor­do de ven­das as­si­na­do es­ta se­ma­na, em Lu­an­da, en­tre as du­as par­tes.

Nos ter­mos do en­ten­di­men­to ora as­si­na­do, a Angola LNG fa­rá en­tre­gas de car­re­ga­men­to de gás em di­ver­sos pon­tos do mun­do à Rwest, uma em­pre­sa eu­ro­peia de co­mer­ci­a­li­za­ção de ener­gia, com se­de na Ale­ma­nha, e com for­te pre­sen­ça tam­bém na Ho­lan­da e Rei­no Uni­do.

Re­cen­te­men­te, a Angola LNG as­si­na­ra já um con­tra­to idên­ti­co com a em­pre­sa ho­lan­de­sa Vi­tol, es­pe­ci­a­li­za­da na co­mer­ci­a­li­za­ção e dis­tri­bui­ção de pro­du­tos ener­gé­ti­cos a ní­vel glo­bal.

A Angola LNG é um pro­jec­to in­te­gra­do de apro­vei­ta­men­to de gás. In­clui uma fá­bri­ca de pro­ces­sa­men­to de LNG no onsho­re, um ter­mi­nal ma­rí­ti­mo e ins­ta­la­ções de car­re­ga­men­to, bem co­mo a pos­si­bi­li­da­de de pro-

EN­CO­MEN­DAS NA QU­AR­TA-FEI­RA, COM UM PRE­ÇO DE 54,68 DÓ­LA­RES, INI­CI­A­RAM AIN­DA SOB O BA­LAN­ÇO DO FECHO AN­TE­RI­OR

ce­der ao de­sen­vol­vi­men­to de gás não as­so­ci­a­do (NAG).

O con­sór­cio in­dus­tri­al re­co­lhe, pro­ces­sa e co­mer­ci­a­li­za anu­al­men­te cer­ca de 5,2 mi­lhões de toneladas de LNG (in­cluin­do for­ne­ci­men­to de gás na­tu­ral ao mer­ca­do do­més­ti­co) e lí­qui­dos (pro­pa­no, bu­ta­no e con­den­sa­dos), a par­tir da sua fá­bri­ca na ci­da­de do Soyo, pro­vín­cia an­go­la­na do Zai­re.

MENAHEN KAHANA | AFP

As pla­ta­for­mas pe­tro­lí­fe­ras são cen­tros de ope­ra­ção tec­no­ló­gi­ca de re­fe­rên­cia

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.