JO­VENS APRENDEM FA­ZER NE­GÓ­CIO

Jornal de Economia & Financas - - Empresas -

Cin­quen­ta jo­vens fre­quen­tam des­de se­gun­da­fei­ra a se­gun­da fa­se do cur­so de em­pre­en­de­do­ris­mo so­bre “Co­mo ini­ci­ar um ne­gó­cio”, uma pro­mo­ção da ad­mi­nis­tra­ção mu­ni­ci­pal do Ki­lam­ba Ki­a­xi. O cur­so, que tem a du­ra­ção de cin­co di­as, vi­sa ca­pa­ci­tar os par­ti­ci­pan­tes a mon­tar um ne­gó­cio e es­ta a ser mi­nis­tra­do por um for­ma­dor do Ins­ti­tu­to Na­ci­o­nal de Pe­que­nas e Mé­di­as Em­pre­sas (Ina­pem). Em de­cla­ra­ções à An­gop, o for­ma­dor es­cla­re­ceu que nes­te pri­mei­ro mó­du­lo, os par­ti­ci­pan­tes vão apren­der a fa­zer um bom pla­ne­a­men­to de ne­gó­cio de for­mas a di­mi­nuir as in­cer­te­zas de ris­co que os in­ves­ti­men­tos acar­re­tam. Con­si­de­rou que a for­ma­ção é a ba­se pa­ra quem quer ini­ci­ar um ne­gó­cio, mas acon­se­lhou aos fu­tu­ros in­ves­ti­do­res que te­nham co­nhe­ci­men­tos da ac­ti­vi­da­de que pre­ten­dem ini­ci­ar. “Mui­tas em­pre­sas vão à fa­lên­cia por­que os seus pro­po­nen­tes têm pou­cas in­for­ma­ções so­bre a área de in­ves­ti­men­to, que é pri­mei­ra bar­rei­ra que en­con­tram”, se­gun­do o for­ma­dor. Pon­tu­a­li­zou ser tam­bém im­por­tan­tes que o em­pre­en­de­dor in­ves­ti­gue o mer­ca­do e que ao lon­go do ne­gó­cio con­ti­nue a es­tu­dar o mer­ca­do con­su­mi­dor e for­ne­ce­dor. Dis­se ser im­por­tan­te que as pes­so­as sai­bam que mon­tar um ne­gó­cio é uma ar­te e uma téc­ni­ca e al­go que re­quer co­nhe­ci­men­tos. Se­gun­do o for­ma­dor, no mer­ca­do an­go­la­no exis­tem mui­tos exem­plos de su­ces­so de ne­gó­ci­os de ci­da­dãos que fo­ram for­ma­dos no Ina­pem.

EDUARDO CU­NHA | EDIÇÕES NO­VEM­BRO

For­ma­ção é fun­da­men­tal

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.