IPC Na­ci­o­nal va­ria 2,39 por cen­to

Ins­ti­tu­to Na­ci­o­nal de Es­ta­tís­ti­ca (INE) as­se­gu­ra que en­tre os me­ses de Se­tem­bro a Ou­tu­bro do ano em curso o con­su­mi­dor per­deu 2,39 em ca­da 100 kwan­zas gas­tos

Jornal de Economia & Financas - - Finanças -

ín­di­ce de pre­ços no con­su­mi­dor na­ci­o­nal (IPCN) re­gis­tou uma

de 2,39 por cen­to, du­ran­te o pe­río­do de Se­tem­bro a Ou­tu­bro de 2017.

As pro­vín­ci­as que re­gis­ta­ram mai­or au­men­to fo­ram a de Lu­an­da com 2,98 por cen­to, Lunda Sul 2,07, Lunda Nor­te 1,80, Cu­ne­ne 1,77 e Ben­go com 1,72 por cen­to. As pro­vín­ci­as com menor va­ri­a­ção fo­ram as do Cu­an­za Nor­te 1,20, Zai­re 1,33, Bié 1,34, Ca­bin­da 1,38 e Cu­an­do Cu­ban­go com 1,50 por cen­to res­pec­ti­va­men­te.

O sec­tor da Saú­de com 5,06 por cen­to, foi a que re­gis­tou o mai­or au­men­to de pre­ços. Des­ta­cam-se tam­bém o au­men­to dos pre­ços ve­ri­fi­ca­dos nas clas­ses de bens e ser­vi­ços di­ver­sos com 4,03, ves­tuá­rio e calçado com 3,85 e be­bi­das al­coó­li­cas e ta­ba­co com 3,17 por cen­to.

A va­ri­a­ção ho­mó­lo­ga si­tua-se em 26,25 por cen­to, re­gis­tan­do um de­crés­ci­mo de 12,44 pon­tos per­cen­tu­ais com re­la­ção a ob­ser­va­da em igual pe­río­do do ano an­te­ri­or.

Clas­ses de des­pe­sa

A classe ali­men­ta­ção e be­bi­das não al­coó­li­cas foi a que mais con­tri­buiu para o au­men­to do ní­vel ge­ral de pre­ços, com 0,86 pon­tos per­cen­tu­ais du­ran­te o mês de Ou­tu­bro, se­gui­da das clas­ses bens e ser­vi­ços di­ver­sos com 0,28, ves­tuá­rio e calçado com 0,27 e saú­de com 0,23. As res­tan­tes clas­ses ti­ve­ram ta­xas in­fe­ri­o­res a 0,23.

Uma pers­pec­ti­va de mai­or de­ta­lhe é ofe­re­ci­da pe­lo qua­dro abaixo, onde se apre­sen­ta a in­ci­dên­cia in­fla­ci­o­ná­ria em Ou­tu­bro de 24 produtos se­lec­ci­o­na­dos do ca­baz, com mai­or con­tri­bui­ção para a ta­xa de va­ri­a­ção do IPCN que, no seu con­jun­to, re­pre­sen­tam cer­ca de 7 por cen­to do to­tal, mas con­cen­tram cer­ca de 48,96 por cen­to da ta­xa glo­bal de va­ri­a­ção do IPCN em Ou­tu­bro de 2017.

As­sim sen­do, o ní­vel ge­ral do ín­di­ce de pre­ços no con­su­mi­dor (IPC) da pro­vín­cia de Lu­an­da re­gis­tou uma va­ri­a­ção de 2,98 por cen­to du­ran­te o pe­río­do de Se­tem­bro a Ou­tu­bro de 2017.

A classe saú­de foi a que re­gis­tou o mai­or au­men­to de pre­ços com 5,90 por cen­to. Des­ta­cam-se tam­bém o au­men­to dos pre­ços ve­ri­fi­ca­dos nas clas­ses bens e ser­vi­ços di­ver­sos com 4,47 por cen­to, ves­tuá­rio e calçado com 4,41 e la­zer, re­cre­a­ção e cultura com 4,04.

A va­ri­a­ção ho­mó­lo­ga si­tua-se em 28,96 por cen­to, re­gis­tan­do um de­crés­ci­mo de 11,08 pon­tos per­cen­tu­ais com re­la­ção a ob­ser­va­da em igual pe­río­do do ano an­te­ri­or. No grá­fi­co abaixo apre­sen­ta-se a ten­dên­cia da va­ri­a­ção ho­mó­lo­ga de Ou­tu­bro de 2013 a Ou­tu­bro de 2017.

Con­tri­bui­ção por clas­ses

A classe ali­men­ta­ção e be­bi­das não al­coó­li­cas foi a que mais con­tri­buiu para o au­men­to do ní­vel ge­ral de pre­ços em Lu­an­da, se­gui­da de bens e ser­vi­ços di­ver­sos, ves­tuá­rio, calçado e saú­de.

Uma pers­pec­ti­va de mai­or de­ta­lhe é ofe­re­ci­da pe­lo qua­dro abaixo, onde se apre­sen­ta a in­ci­dên­cia in­fla­ci­o­ná­ria em Ou­tu­bro de 24 produtos se­lec­ci­o­na­dos do ca­baz, com mai­or con­tri­bui­ção para a ta­xa de va­ri­a­ção do IPC Lu­an­da que, no seu con­jun­to, re­pre­sen­tam 10 por cen­to do to­tal, mas con­cen­tram cer­ca de 52,82 por cen­to da ta­xa glo­bal de va­ri­a­ção do IPC Lu­an­da em Ou­tu­bro de 2017.

EDI­ÇÕES NO­VEM­BRO

Con­su­mi­do­res per­de­ram o seu poder de com­pra en­tre Se­tem­bro e Ou­tu­bro

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.