An­go­sat 1 em fa­se de in­te­gra­ção do sa­té­li­te com mó­du­lo lan­ça­dor

Go­ver­no ga­ran­te que téc­ni­cos an­go­la­nos e rus­sos estão a tra­ba­lhar para o cum­pri­men­to dos pra­zos es­ta­be­le­ci­dos nu­ma al­tu­ra em que apro­xi­ma­da­men­te 65 por cen­to da ca­pa­ci­da­de da ban­da KU já estão re­ser­va­das

Jornal de Economia & Financas - - Empresas -

Olan­ça­men­to em ór­bi­ta do “An­go­sat 1” en­con­tra-se na fa­se de in­te­gra­ção do sa­té­li­te ao mó­du­lo “lan­ça­dor”, se­gun­do afir­mou, na pas­sa­da se­gun­da-fei­ra, em Lu­an­da, o mi­nis­tro das Te­le­co­mu­ni­ca­ções e Tec­no­lo­gi­as de In­for­ma­ção, José Carvalho da Ro­cha.

De acor­do com o ti­tu­lar da pas­ta das Te­le­co­mu­ni­ca­ções e Tec­no­lo­gi­as de In­for­ma­ção, téc­ni­cos an­go­la­nos e rus­sos estão a tra­ba­lhar para que o lan­ça­men­to acon­te­ça nos pra­zos es­ta­be­le­ci­dos e por se tra­tar de um pro­ces­so com­ple­xo, a da­ta es­tá de­pen­den­te des­ta in­te­gra­ção.

Es­te pro­jec­to, acres­cen­tou o go­ver­nan­te, co­me­çou há mais de 10 anos e vá­ri­as ge­ra­ções tra­ba­lha­ram para que o mes­mo te­nha o su­ces­so de­se­ja­do, dentro do pro­gra­ma es­tra­té­gi­co es­pa­ci­al do Exe­cu­ti­vo, no qual o An­go­sat 1 é uma peça des­te pro­gra­ma e é pre­ci­so ter em con­ta que uma vez lan­ça­do não tem vol­ta e nem obe­de­ce er­ros.

“Es­ta­mos na rec­ta fi­nal des­te pro­jec­to e na in­te­gra­ção do sa­té­li­te com o lan­ça­dor, que irá de­ter­mi­nar a da­ta do lan­ça­men­to”, ex­pli­cou.

Ga­ran­ti­as

No dia 13 de No­vem­bro de 2017, o vi­ce-pri­mei­ro mi­nis­tro da Fe­de­ra­ção Rus­sa, Yu­ri Trut­nev ga­ran­tiu que o sa­té­li­te An­go­Sat 1, cons­truí­do pe­la Cor­po­ra­ção Ener­gé­ti­ca de Mís­sil e Es­pa­ço da Rús­sia, para o Go­ver­no an­go­la­no, es­tá pro­gra­ma­do para ser lan­ça­do em De­zem­bro do ano em curso.

A con­fir­ma­ção foi da­da à saí­da de uma au­di­ên­cia com o Pre­si­den­te da Re­pú­bli­ca, João Lourenço.

Yu­ri Trut­nev, que es­te­ve em Lu­an­da para uma vi­si­ta de al­gu­mas ho­ras, con­si­de­rou um ga­nho para os dois Es­ta­dos o lan­ça­men­to do pri­mei­ro sa­té­li­te an­go­la­no.

O cen­tro de con­tro­lo e mis­são de satélites do An­go­sat 1 en­con­tra-se na co­mu­na da Funda, Nor­te da pro­vín­cia de Lu­an­da.

Co­mo sa­té­li­te ge­o­es­ta­ci­o­ná­rio ar­ti­fi­ci­al, o An­go­sat es­ta­rá lo­ca­li­za­do a 36 mil qui­ló­me­tros a ní­vel do mar.A sua ve­lo­ci­da­de coin­ci­di­rá com o da ro­ta­ção da terra e con­se­gui­rá co­brir um ter­ço do glo­bo ter­res­tre.

O An­go­sat, cons­truí­do na Rús­sia, com mil 55 qui­lo­gra­mas e 262.4 qui­lo­gra­mas de car­ga útil, fi­ca­rá na po­si­ção or­bi­tal 14.5 E e te­rá uma potência de três mil 753 W, na ban­da CKu, com 16C+6Ku re­pe­ti­do­res. Te­rá 15 anos de “vi­da útil”.

O sa­té­li­te an­go­la­no vai pos­suir um cen­tro pri­má­rio de con­tro­lo e mis­são em An­go­la e ou­tro se­cun­dá­rio na Rús­sia.

Vendas as­se­gu­ra­das

De acor­do com a ges­to­ra da em­pre­sa In­fra­sat, res­pon­sá­vel pe­las vendas do An­go­sat 1, que fa­la­va no workshop so­bre “Im­pac­to so­ci­o­e­co­nó­mi­co do An­go­sat 1”, há ain­da dis­po­ní­veis para ne­go­ci­ar 35 por cen­to.

A ban­da KU, acres­cen­tou, tem mais pro­cu­ra no mer­ca­do afri­ca­no, en­quan­to a ban­da C, com mais de­man­da no eu­ro­peu, tem 82 por cen­to dis­po­ní­vel, es­tan­do os seus 18 por cen­to já ven­di­dos.

Quan­to ao mer­ca­do na­ci­o­nal dis­se te­rem vendido 87 por cen­to da ban­da C e os 13 fo­ram para o mer­ca­do in­ter­na­ci­o­nal, para a ban­da KU 53, que foi alo­ca­do ao mer­ca­do in­ter­na­ci­o­nal, e 47 ao mer­ca­do na­ci­o­nal.

Para ela, hou­ve uma in­ci­dên­cia em cin­co sec­to­res pri­mor­di­ais de ven­da de ban­da que são o das te­le­co­mu­ni­ca­ções, mé­dia, defesa e se­gu­ran­ça, pe­tro­lí­fe­ras e nos de pres­ta­ção de ser­vi­ços, com re­al­ce para a úl­ti­ma área.

As re­ser­vas, de acor­do com a ad­mi­nis­tra­do­ra, são pa­gas num va­lor equi­va­len­te à pri­mei­ra pres­ta­ção de mo­do a garantir a com­pra, daí exis­ti­rem já re­ser­vas de Mo­çam­bi­que, Le­sotho,

O CEN­TRO DE CON­TRO­LO E MIS­SÃO DE SATÉLITES DO ANGOSAT1 EN­CON­TRA-SE NA CO­MU­NA DA FUNDA, NOR­TE DE LU­AN­DA

Con­go Bra­za­vi­le, Con­go De­mo­crá­ti­co, To­go e uma ne­go­ci­a­ção em curso com o Reino da Bél­gi­ca.

O pro­jec­to An­go­Sat 1 es­tá a ser exe­cu­ta­do desde 2012. No âm­bi­to do pro­gra­ma, foi cons­truí­do um sa­té­li­te equi­pa­do com trans­mis­sor. O pró­xi­mo pas­so é en­viá-lo para a ór­bi­ta ter­res­tre.

O cen­tro de con­tro­lo e mis­são de satélites do An­go­sat 1 en­con­tra-se na co­mu­na da Funda, Nor­te da pro­vín­cia de Lu­an­da.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.