No­va ope­ra­do­ra mó­vel a ca­mi­nho

Go­ver­no vai lan­çar um con­cur­so pú­bli­co in­ter­na­ci­o­nal para um quar­to “ope­ra­dor glo­bal” de te­le­co­mu­ni­ca­ções

Jornal de Economia & Financas - - Empresas -

O Go­ver­no an­go­la­no vai lan­çar um con­cur­so pú­bli­co in­ter­na­ci­o­nal para um quar­to “ope­ra­dor glo­bal” de te­le­co­mu­ni­ca­ções, in­cluin­do a re­de fixa, mó­vel e de te­le­vi­são por subs­cri­ção, in­te­gran­do o Es­ta­do a es­tru­tu­ra ac­ci­o­nis­ta com 45 por cen­to do ca­pi­tal.

O anún­cio foi fei­to, na pas­sa­da se­gun­da-fei­ra, em Lu­an­da, pe­lo mi­nis­tro das Te­le­co­mu­ni­ca­ções e Tec­no­lo­gi­as de In­for­ma­ção, José Carvalho da Ro­cha, ga­ran­tin­do que até fi­nal des­te ano o re­gu­la­dor do sec­tor te­rá dis­po­ní­veis os ca­der­nos de en­car­gos para os in­ves­ti­do­res in­te­res­sa­dos.

“Va­mos au­men­tar a con­cor­rên­cia. Vai me­lho­rar o ser­vi­ço e va­mos ac­tu­ar so­bre os pre­ços e a qua­li­da­de do ser­vi­ço”, afir­mou o go­ver­nan­te.

Acres­cen­tou que o Mi­nis­té­rio das Te­le­co­mu­ni­ca­ções e Tec­no­lo­gi­as de In­for­ma­ção já re­ce­beu “vá­ri­as” ma­ni­fes­ta­ções de in­te­res­se por par­te de in­ves­ti­do­res na­ci­o­nais e es­tran­gei­ros, mas que o pro­ces­so, até à es­co­lha fi­nal do ope­ra­dor, “não se­rá con­cluí­do em me­nos de três me­ses”.

Em si­mul­tâ­neo, acres­cen­tou José Carvalho da Ro­cha, o Es­ta­do vai pri­va­ti­zar 45 por cen­to do ca­pi­tal so­ci­al da em­pre­sa pú­bli­ca An­go­la Te­le­com, que ac­tu­al­men­te se de­di­ca ape­nas à re­de fixa.

Es­tas me­di­das in­se­rem-se na re­es­tru­tu­ra­ção do sec­tor das Te­le­co­mu­ni­ca­ções em An­go­la e para “di­na­mi­zar o mer­ca­do”. Pas­sam a exis­tir ape­nas dois tí­tu­los para ope­ra­do­res, mul­ti-ser­vi­ço e glo­bal, es­te de­sig­na­do co­mo tí­tu­lo uni­fi­ca­do e que per­mi­te pres­tar to­do o ti­po de co­mu­ni­ca­ções, mó­veis e fi­xas. A pri­va­ti­za­ção par­ci­al da An­go­la Te­le­com, em pro­ces­so de re­es­tru­tu­ra­ção, per­mi­ti­rá garantir, dis­se o mi­nis­tro, o investimento ne­ces­sá­rio à sua en­tra­da, tam­bém, nas co­mu­ni­ca­ções mó­veis.

O mes­mo acon­te­ce­rá com a quar­ta li­cen­ça que ago­ra se­gui­rá para con­cur­so pú­bli­co, per­mi­tin­do, além de te­le­co­mu­ni­ca­ções mó­veis e fi­xas, tam­bém da­dos e te­le­vi­são por subs­cri­ção.

Ac­tu­al­men­te, o mer­ca­do das te­le­co­mu­ni­ca­ções mó­veis pos­sui três ope­ra­do­ras glo­bais, no­me­a­da­men­te An­go­la Te­le­com (pú­bli­ca), Uni­tel e Mo­vi­cel (pri­va­das).

MO­TA AMBRÓSIO | EDI­ÇÕES NO­VEM­BRO

Mi­nis­tro das Te­le­co­mu­ni­ca­ções e Tec­no­lo­gi­as, José Carvalho da Ro­cha

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.