Trans­por­tes per­dem 197,19 mil mi­lhões de kwan­zas

As áre­as da edu­ca­ção, saú­de, ha­bi­ta­ção, ser­vi­ços co­mu­ni­tá­ri­os, re­cre­a­ção, cul­tu­ra e re­li­gião e de­fe­sa fo­ram as que ti­ve­ram um in­cre­men­to mai­or na pro­pos­ta or­ça­men­tal a ser apro­va­da no de­cur­so des­te mês

Jornal de Economia & Financas - - Primeira Página - Ma­teus Ca­vum­bo

Osec­tor­dosT­rans­por­tes so­freu uma subs­tan­ci­al re­du­ção de 372,7 mil mi­lhões pa­ra 175,58 mil mi­lhões de kwan­zas na afec­ta­ção de re­cur­sos cons­tan­tes na pro­pos­ta do Or­ça­men­to Ge­ral do Es­ta­do pa­ra 2018. Em com­pa­ra­ção com o ano de 2017, o sec­tor re­du­ziu de 7,38 por cen­to pa­ra 3,81 sen­do o va­lor do di­fe­ren­ci­al à vol­ta de 197,19 mil mi­lhões de kwan­zas. Os sec­to­res da agri­cul­tu­ra, si­vi­cul­tu­ra, pes­ca e ca­ça, além da in­dús­tria ex­trac­ti­va, trans­for­ma­do­ra e cons­tru­ção, ve­ri­fi­cam-se igual­men­te uma re­du­ção. O pri­mei­ro tem pre­vis­to o mon­tan­te de 39,08 mil mi­lhões de kwan­zas, con­tra os 35,33 de 2017, en­quan­to o se­gun­do Kz 27,06 mil mi­lhões, me­nos do va­lor de 30,07 de 2017.

Além das áre­as enu­me­ra­das, tam­bém o sec­tor am­bi­en­tal te­ve uma bai­xa na ru­bri­ca res­pei­tan­te ao sec­tor so­ci­al. Nes­ta pro­pos­ta que a As­sem­bleia Na­ci­o­nal es­tá pres­tes a apro­var até ao dia 15 de Fe­ve­rei­ro, o am­bi­en­te apa­re­ce com uma ver­ba de 8,12 mil mi­lhões de kwan­zas, con­tra os 14,04 mil mi­lhões de 2017, se­guin­do-se igual­men­te o sec­tor dos as­sun­tos eco­nó­mi­cos ge­rais, co­mer­ci­ais e la­bo­rais com 279,63 mil mi­lhões de kwan­zas, a me­nos do que no or­ça­men­to de 2017 ao qual foi afec­ta­da a ver­ba de 265,16 mil mi­lhões de kwan­zas. A área das co­mu­ni­ca­ções e tec­no­lo­gi­as da in­for­ma­ção bai­xou pa­ra 13,18 con­tra a 19,89 mil mi­lhões de kwan­zas.

As Re­la­ções Ex­te­ri­o­res e In­ves­ti­ga­ção Bá­si­ca tam­bém fo­ram me­nos pri­vi­le­gi­a­das na pro­pos­ta de OGE 2018, ten­do o Mi­nis­té­rio das Fi­nan­ças pro­pos­to pa­ra o pri­mei­ro 39,68 mil mi­lhões, con­tra os 40,21 e o se­gun­do de 3,35 pa­ra 1,40 mil mi­lhões de kwan­zas.

Quan­to aos ser­vi­ços ge­rais, re­du­ziu-se aos ór­gãos exe­cu­ti­vos de 887,12 pa­ra 594,48, ser­vi­ços ge­rais sem in­clu­são da ad­mi­nis­tra­ção pú­bli­ca es­pe­ci­a­li­za­da (1,78 pa­ra 0,67) e os não es­pe­ci­a­li­za­dos 21,92 pa­ra 21,04, além da se­gu­ran­ça e or­dem pú­bli­ca de 477,46 pa­ra 429,70 mil mi­lhões de kwan­zas.

Su­bi­da

Os sec­to­res da edu­ca­ção, saú­de, ha­bi­ta­ção e ser­vi­ços co­mu­ni­tá­ri­os, as­sim co­mo re­cre­a­ção, cul­tu­ra e re­li­gião, de­fe­sa fo­ram a que ti­ve­ram um in­cre­men­to na pro­pos­ta or­ça­men­tal. Por exem­plo, o da edu­ca­ção saiu de Kz 500,56 mil mi­lhões pa­ra 524, 01, saú­de de 310,75 pa­ra 351,84, ha­bi­ta­ção e ser­vi­ços co­mu­ni­tá­ri­os de 339,78 pa­ra 357,68 e re­cre­a­ção, cul­tu­ra e re­li­gião pas­sou de 28,30 mil mi­lhões pa­ra 32,96 e na de­fe­sa de 535,13 pa­ra 545,59 mil mi­lhões de kwan­zas.

No sec­tor eco­nó­mi­co te­ve mais aten­ção o seg­men­to de as­sun­tos eco­nó­mi­cos ge­rais, co­mer­ci­ais e la­bo­rais cu­jo va­lor an­da na or­dem de 265,16 pa­ra 279,63 mil mi­lhões de kwan­zas.

Lei­tu­ra

A fun­da­men­ta­ção or­ça­men­tal ale­ga que a de­com­po­si­ção da des­pe­sa com o sec­tor so­ci­al tra­duz-se em 27 por cen­to ao qual cor­res­pon­dem às des­pe­sas com a edu­ca­ção, 18 pa­ra a saú­de, 35 pa­ra pro­tec­ção so­ci­al, 18 pa­ra ha­bi­ta­ção e ser­vi­ços co­mu­ni­tá­ri­os, 2 pa­ra a re­cre­a­ção, cul­tu­ra e re­li­gião e 0,44 pa­ra as des­pe- sas de pro­tec­ção am­bi­en­tal. As des­pe­sas com o sec­tor so­ci­al e eco­nó­mi­co per­fa­zem 58,97 por cen­to da des­pe­sa fis­cal to­tal, fi­xan­do-se em cer­ca de 2.719,93 mil mi­lhões de kwan­zas, en­quan­to as res­tan­tes em 41,03 % da des­pe­sa to­tal.

Pro­vín­ci­as

Quan­to às pre­vi­sões lo­cais, ape­sar do Mi­nis­té­rio das Fi­nan­ças ter avan­ça­do a pri­o­ri­da­de es­tar cen­tra­da mai­o­ri­ta­ri­a­men­te pa­ra Lu­an­da, Ma­lan­je, Hu­am­bo, Ben­gue­la e Huí­la, na ver­da­de, nes­te con­jun­to Lu­an­da es­tá de fo­ra nas pri­o­ri­da­des. Ma­lan­je te­ve em 2017 a ver­ba de Kz 66,56 e ago­ra na pro­pos­ta apa­re­ce com 98,61 mil mi­lhões, en­quan­to a Huí­la de 71,53 pa­ra 83,04 mil mi­lhões, Ben­gue­la de 95 pa­ra 96 e Hu­am­bo de 96, 35 pa­ra 99,29 mil mi­lhões de kwan­zas.

A ca­pi­tal re­gre­diu de 459,28 pa­ra 416,72, Zai­re de 110,82 pa­ra 80,96 e Uí­ge de 66,76 pa­ra 59,81, Lun­da Nor­te de 53,26 pa­ra 52,22.

No con­jun­to das pro­vín­ci­as, Cu­an­za Nor­te foi a mais pe­na­li­za­da, so­fren­do pa­ra o efei­to uma re­du­ção de 113,25 pa­ra 68,13, en­quan­to Ca­bin­da de 99,62 pa­ra 63,37 mil mi­lhões e Cu­an­za Sul de 90,26 pa­ra 76,82 e Cu­ne­ne de 38,07 pa­ra 36,18 mil mi­lhões de kwan­zas e Bié de 78,17 pa­ra 66,82. As res­tan­tes pro­vín­ci­as subiram o bo­lo co­mo Ben­go (41,95 pa­ra 47, 18), Lun­da Sul ( 28,85 pa­ra 32,01), Cu­an­do Cu­ban­go (de 35,34 pa­ra 40,33), Mo­xi­co (51,78 pa­ra 55,84) e Na­mi­be (38,74 pa­ra 40,60) so­fre­ram um in­cre­men­to no or­ça­men­to. Es­tas pre­vi­sões de des­pe­sas e re­cei­tas das pro­vín­ci­as re­pre­sen­tam as fun­ci­o­nais, ex­cep­to a das es­tru­tu­ras cen­trais do Es­ta­do.

MIQUEAS MACHANGONGO | EDI­ÇÕES NO­VEM­BRO

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.