Bar­ril do Brent com os­ci­la­ção na fas­quia dos 68 e 70 dó­la­res

Pe­tró­leo de re­fe­rên­cia às ex­por­ta­ções an­go­la­nas man­tém o pre­ço que é vis­to co­mo o de es­ta­bi­li­da­de

Jornal de Economia & Financas - - Mercados -

O bar­ril de pe­tró­leo Brent pa­ra en­tre­ga em Mar­ço abriu na quar­ta-fei­ra (31) des­ta se­ma­na em bai­xa de 0,62 por cen­to, no In­ter­con­ti­nen­tal Ex­chan­ge Fu­tu­res (ICE) de Lon­dres, co­ta­do a 68,65 dó­la­res.

Já na ses­são de ter­ça-fei­ra, os pre­ços do pe­tró­leo fe­cha­ram em bai­xa pe­lo se­gun­do dia con­se­cu­ti­vo em Lon­dres e No­va Ior­que. Em Lon­dres, o bar­ril do ti­po Brent per­deu 0,54 por cen­to a 69,08 dó­la­res. Em No­va Ior­que, o bar­ril do pe­tró­leo WTI caiu 1,62 por cen­to co­ta­do a 64,50 dó­la­res. Na vi­são de vá­ri­os ana­lis­tas an­go­la­nos, o pre­ço do cru­de no mer­ca­do in­ter­na­ci­o­nal é vo­lác­til e de­pen­de de vá­ri­os fac­to­res en­tre os qu­ais po­lí­ti­cos.

O em­pre­sá­rio Pe­dro Go­di­nho con­si­de­ra, por exem­plo, que a ins­ta­bi­li­da­de num pon­to do glo­bo co­mo a do Mé­dio Ori­en­te po­de fa­zer com que o pre­ço dis­pa­re a fas­quia dos 80 dó­la­res ou mais, mas ca­so ha­ja es­ta­bi­li­da­de nes­tes pon­tos de con­fli­to o pre­ço ten­de­rá a bai­xar, ou se­ja, es­sa on­da de tensão en­tre os EUA e Co­reia do Nor­te faz com que ha­ja es­pe­cu­la­ção nos pre­ços.

“Mas mes­mo que o bar­ril do pe­tró­leo atin­ja os 80 dó­la­res, não é sus­ten­tá­vel, por­quan­to te­mos es­ta­do a pre­sen­ci­ar o sur­gi­men­to de uma inun­da­ção de pe­tró­leo com a des­co­ber­ta de ou­tros mer­ca­dos. Há paí­ses que não eram pro­du­to­res e com as des­co­ber­tas pas­sa­ram a pro­du­zir e for­ne­cer ao mer­ca­do in­ter­na­ci­o­nal”, dis­se.

Por ou­tro la­do, con­si­de­ra Pe­dro Go­di­nho, nos Es­ta­dos Uni­dos há uma on­da fre­né­ti­ca pa­ra a pro­du­ção de xis­to e foi exac­ta­men­te es­sa pro­du­ção que pro­vo­cou o der­ru­be dos pre­ços do pe­tró­leo a partir de 2013-2014, o que au­men­tou a ofer­ta no mer­ca­do in­ter­na­ci­o­nal e fez bai­xar os pre­ços.

O fi­nal de 2017 e prin­cí­pio de 2018 tem si­do um ano de bo­as no­tí­ci­as pa­ra os pro­du­to­res de pe­tró­leo que têm vis­to uma valorização dos pre­ços de en­co­men­das aos ní­veis pre­vis­tos pe­la Opep.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.