Re­gião Nor­te fa­vo­re­ci­da com Kz 335,5 mil milhões

Go­ver­nos das pro­vín­ci­as de Ma­lan­je, Ben­go, Lu­an­da, Ca­bin­da, Zai­re, Cu­an­za Nor­te e Uí­ge pri­o­ri­za­ram para 2018 o investimento nos sec­to­res da edu­ca­ção, saú­de, ha­bi­ta­ção, ser­vi­ços pú­bli­cos e co­mu­ni­tá­ri­os

Jornal de Economia & Financas - - Oge 2018 - Mateus Ca­vum­bo

Are­gião Nor­te do país, que com­pre­en­de as se­te pro­vín­ci­as, no­me­a­da­men­te Lu­an­da, Ben­go, Ma­lan­je, Ca­bin­da, Zai­re, Cu­an­za Nor­te e Uí­ge, per­ma­ne­ce a li­de­rar na afec­ta­ção de re­cur­sos no Or­ça­men­to Ge­ral do Es­ta­do para 2018. Na pro­pos­ta ini­ci­al, a Zo­na Nor­te apa­re­ce com 834.762 mil milhões de kwan­zas (8.62 por cen­to), en­quan­to a par­te Sul (Ben­gue­la, Bié, Cu­an­za Sul, Cu­ne­ne, Huí­la, Hu­am­bo e Na­mi­be) com 499.170 mil milhões de kwan­zas (5.16) e o Les­te (Lun­da Sul, Mo­xi­co, Lun­da Nor­te e Cu­an­do Cu­ban­go) com 180.397 mil milhões de kwan­zas (1.87). O di­fe­ren­ci­al das do­ta­ções en­tre as lo­ca­li­da­des do Nor­te e do Sul está à vol­ta de 335.591 mil milhões de kwan­zas. Ape­sar da pro­pos­ta do au­men­to de ver­bas, em comparação com o ano de 2017, o or­ça­men­to atri­buí­do à re­gião Nor­te di­mi­nuiu dras­ti­ca­men­te em 124 mil milhões de kwan­zas e a do Sul em 9 mil milhões. Já para o Les­te, hou­ve uma su­bi­da de 11 mil milhões de kwan­zas. Em 2017, o valor ca­bi­men­ta­do para aque­la re­gião era de 169,23 mil milhões de kwan­zas me­nos de 180,397 mil milhões da pro­pos­ta de 2018.

Dis­tri­bui­ção

Sem a in­clu­são do au­men­to de 8 mil milhões de kwan­zas anun­ci­a­dos pu­bli­ca­men­te para o sec­tor da Edu­ca­ção, quer a re­gião Nor­te, quer a Sul e mes­mo o Les­te, vão continuar a in­ves­tir for­te­men­te na saú­de e edu­ca­ção. Este seg­men­to, so­bre­tu­do na zo­na Nor­te, te­rá ra­zões su­fi­ci­en­tes para cres­cer em 2018, ten­do em con­ta o vo­lu­me fi­nan­cei­ro alo­ca­do. Nas despesas por fun­ção, no Nor­te, o sec­tor edu­ca­ti­vo te­rá uma ver­ba de 142.691 mil milhões de kwan­sec­to­res zas, en­quan­to a Saú­de kz 139.412 mil milhões e ha­bi­ta­ção 44.7 mil milhões. Por exem­plo em Lu­an­da, os dois sec­to­res sociais per­fa­zem 54,83 p0r cen­to do or­ça­men­to por fun­ção des­ti­na­do à ca­pi­tal do país, dis­tri­buin­do em 71.547 e 28.370 mil milhões de kwan­zas, res­pec­ti­va­men­te. As ou­tras áre­as se­guem os ser­vi­ços pú­bli­cos ge­rais com 30,56 por cen­to, Ha­bi­ta­ção e Ser­vi­ços Co­mu­ni­tá­ri­os com 5,59. Para Ca­bin­da, os da Edu­ca­ção ab­sor­vem 60,42 por cen­to do total do or­ça­men­to por fun­ção de 31.157 mil milhões de kwan­zas, en­quan­to os ser­vi­ços pú­bli­cos ge­rais 19,35, ha­bi­ta­ção e ser­vi­ços co­mu­ni­tá­ri­os com 11,68. A área dos as­sun­tos eco­nó­mi­cos vai ser con­tem­pla­da com 1,02 mil milhões de kwan­zas. Na pro­vín­cia do Zai­re, pri­o­ri­za-se o sec­tor da Ha­bi­ta­ção e Ser­vi­ços Co­mu­ni­tá­ri­os com 34,82 por cen­to num valor que cor­res­pon­de a 10.315 mil milhões de kwan­zas, a seguir a Edu­ca­ção com 25,04 ten­do na ru­bri­ca 7,418 mil milhões de kwan­zas. A Saú­de vem na ter­cei­ra com uma ver­ba de 5,1 mil milhões, re­pre­sen­tan­do 17,37 do valor glo­bal das despesas por fun­ção do Zai­re de 29,6 mil milhões de kwan­zas. Qu­an­to ao Cu­an­za Nor­te, a Edu­ca­ção, Saú­de e ser­vi­ços ge­rais li­de­ram na in­ten­ção de in­ves­ti­men­tos com 20.582 mil milhões, sen­do re­par­ti­dos em 10,136 (38,79), 6.188 (23,68) e 4.258 (16.29 por cen­to) mil milhões, res­pec­ti­va­men­te. Nas despesas por fun­ção, o Cu­an­za Nor­te te­rá um valor apro­xi­ma­do de 26,133 mil milhões de kwan­zas. O valor de 49.833.942 mil milhões de kwan­zas é o que cons­ta da pro­pos­ta das despesas por fun­ção do OGE 2018 para a pro­vín­cia do Uí­ge. Nes­ta lo­ca­li­da­de do Nor­te es­tão pre­vis­tos in­ves­tir-se 26.649 mil milhões de kwan­zas no sec­tor da Edu­ca­ção e da Saú­de 8.859 mil milhões de kwan­zas e para Ha­bi­ta­ção e Ser­vi­ços Co­mu­ni­tá­ri­os 4.055 mil milhões. No Ben­go, a in­ten­ção de in­ves­ti­men­tos re­cai para a Edu­ca­ção (10,109 mil milhões), Ha­bi­ta­ção e Ser­vi­ços Co­mu­ni­tá­ri­os (7.777 mil milhões) e Saú­de (6.734 mil milhões). Os in­ves­ti­men­tos lo­cais in­ci­dem so­bre a cons­tru­ção e ape­tre­cha­men­to de es­co­las, hos­pi­tais, abas­te­ci­men­to de água, ha­bi­ta­ção, sa­ne­a­men­to bá­si­co e in­fra-es­tru­tu­ra ur­ba­na.

A ZO­NA LES­TE TE­VE UMA SU­BI­DA DE 11 MIL MILHÕES DE KWAN­ZAS NA PRO­POS­TA DO OGE INI­CI­AL.

EDU­AR­DO CUNHA | MA­LAN­JE | EDIÇÕES NO­VEM­BRO

Cu­an­za Nor­te é a quarta da zo­na com 68,112 mil milhões de kwan­zas Ma­lan­je é a se­gun­da com 98,609 mil milhões de kwan­zas

SANTOSPEDRO | EDIÇÕES NO­VEM­BRO

FI­LI­PE BOTELHO | UÍ­GE | EDIÇÕES NO­VEM­BRO

Uí­ge é a sex­ta com uma ver­ba de 59,807 mil milhões de kwan­zas

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.