Es­co­a­men­to da co­lhei­ta deixa in­qui­e­ta Una­ca

A agre­mi­a­ção dos cam­po­ne­ses an­go­la­nos pede no seu dia mais ac­ções do Go­ver­no para ga­ran­tir ali­men­tos

Jornal de Economia & Financas - - Pecuária - An­tó­nio Eu­gé­nio

Há ne­ces­si­da­de de se cri­ar um pro­jec­to viá­vel, que fa­ci­li­te o es­co­a­men­to do pro­du­to do cam­po para os cen­tros ur­ba­nos, de­pois de ter fra­cas­sa­do o Pro­gra­ma de Aqui­si­ção de Produtos Agro-Pe­cuá­ri­os (PAPAGRO).

Esta po­si­ção foi de­fen­di­da pe­lo pre­si­den­te da União Na­ci­o­nal das As­so­ci­a­ções de Cam­po­ne­ses An­go­la­nos (UNA­CA), Al­ba­no Lus­sa­ti, em en­tre­vis­ta ao JE, ten­do ape­la­do ao Mi­nis­té­rio do Co­mér­cio e par­cei­ros, a ur­gên­cia na re­vi­são do pro­jec­to, pe­lo fac­to de es­tar a de­te­ri­o­rar-se mui­ta pro­du­ção agrí­co­la.

Na opinião do ges­tor, o Papagro es­ta­va mui­to à “les­te” dos cam­po­ne­ses, sem tra­zer so­lu­ções viá­veis, daí que se de­ve cri­ar um me­ca­nis­mo que apro­xi­me a vi­da ru­ral aos gran­des cen­tros de con­su­mo, nu­ma al­tu­ra em que, a agri­cul­tu­ra fa­mi­li­ar con­ti­nua a ser prin­ci­pal “for­ne­ce­do­ra de ali­men­tos para o mercado”.

A fon­te avan­ça para a ne­ces­si­da­de de se cri­ar re­si­dên­ci­as no meio ru­ral e con­di­ções bá­si­cas, co­mo por exem­plo, luz e água po­tá­vel, pos­tos de saú­de, in­fra-es­tru­tu­ras de la­zer para evi­tar a fu­ga dos jo­vens do cam­po para as ci­da­des.

Es­co­a­men­to da pro­du­ção

Um dos gran­des cons­tran­gi­men­tos que os cam­po­ne­ses têm vi­vi­do, prende-se com o es­co­a­men­to da pro­du­ção para a ci­da­de.

A Una­ca de­fen­de a cons­tru­ção de vi­as ro­do­viá­ri­as para as áre­as pro­du­ti­vas.

Al­ba­no Ce­les­te Lus­sa­ti au­gu­ra que a sa­fra des­te ano se­ja po­si­ti­va, da­da as con­di­ções que fo­ram pos­tas à dis­po­si­ção dos cam­po­ne­ses. O ges­tor apon­ta a baixa do pre­ço de adu­bo, em que o sa­co de 50 qui­lo­gra­mas cus­ta­va 30 mil kwan­zas, con­tra os ac­tu­ais 5.500.

Por ou­tro la­do, o res­pon­sá­vel aler­ta ao Go­ver­no para pôr fim a usur­pa­ção de ter­re­nos agrí­co­las por par­te de al­guns em­pre­sá­ri­os em co­ni­vên­cia com as ad­mi­nis­tra­ções mu­ni­ci­pais e co­mu­nais, o que tem pro­vo­ca­do prejuízos aos agri­cul­to­res.

A Una­ca ce­le­brou a 6 de Fe­ve­rei­ro o seu 28º ani­ver­sá­rio, com um cres­ci­men­to as­si­na­lá­vel, já que ac­tu­al­men­te con­tro­la 2.900 co­o­pe­ra­ti­vas es­pa­lha­das a ní­vel de to­do o ter­ri­tó­rio na­ci­o­nal.

A AGRI­CUL­TU­RA FA­MI­LI­AR CON­TI­NUA A SER O PRIN­CI­PAL FORNECEDOR DE ALI­MEN­TOS PARA O MERCADO

FI­LI­PE BOTELHO | UÍ­GE| EDIÇÕES NO­VEM­BRO

Cam­po­ne­ses as­so­ci­a­dos tra­ba­lham a ter­ra para ali­men­tar o mercado

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.