Con­tas ao Isep são en­tre­gues

Os re­la­tó­ri­os anu­ais pa­ra ho­mo­lo­ga­ção de­pois de 30 de Abril en­tra­ram ao Ins­ti­tu­to do Sec­tor Em­pre­sa­ri­al Pú­bli­co sem que hou­ves­se qual­quer no­ti­fi­ca­ção do ór­gão o que de­no­ta me­lho­ri­as

Jornal de Economia & Financas - - Empresas - Xa­vi­er An­tó­nio

OIns­ti­tu­to pa­ra o Sec­tor Em­pre­sa­ri­al Pú­bli­co (ISEP) já tem em sua pos­se um nú­me­ro con­si­de­rá­vel de Re­la­tó­ri­os de Con­tas de vá­ri­as em­pre­sas do sec­tor pú­bli­co, se­gun­do re­ve­lou ao JE, o co­or­de­na­dor da Comissão de Ges­tão, Val­ter Rui Barros.

O ges­tor fez sa­ber que os do­cu­men­tos já es­tão a ser ava­li­a­dos pa­ra ser en­tre­gue ao or­ga­nis­mo de tu­te­la. “Em­bo­ra o pra­zo limite pa­ra a en­tre­ga fi­nal dos re­la­tó­ri­os de con­tas das em­pre­sas é 30 de Abril des­te ano, a Comissão não tem au­to­ri­za­ção pa­ra ho­mo­lo­gar”, dis­se.

Pa­ra o res­pon­sá­vel, é im­por­tan­te que as em­pre­sas pú­bli­cas ga­nhem ca­da vez mais cons­ci­ên­cia da cul­tu­ra de apre­sen­ta­ção de con­tas.

As­se­gu­rou que no pas­sa­do era pre­ci­so pres­si­o­ná-las e mui­tas de­las não ti­nham as con­tas fe­cha­das no pra­zo es­ta­be­le­ci­do.

“Há em­pre­sas que não apre­sen­ta­vam con­tas de­vi­do a di­fi­cul­da­des que os ór­gãos de ges­tão apre­sen­ta­vam do pon­to de vis­ta da ges­tão da coi­sa pú­bli­ca, por is­so, o desafio nos pró­xi­mos tem­pos se­rá olhar pa­ra o de­sem­pe­nho ope­ra­ci­o­nal des­tas em­pre­sas”, su­bli­nhou o Co­or­de­na­dor da Comissão de Ges­tão do Isep.

O INS­TI­TU­TO DE GES­TÃO DE AC­TI­VOS E PAR­TI­CI­PA­ÇÃO DO ES­TA­DO (IGAPE) SUBSTITUI O ISEP

Isep dá lu­gar ao Igape

Se­gun­do uma fon­te bem iden­ti­fi­ca­da, em fun­ção do pro­ces­so de re­es­tru­tu­ra­ção em cur­so, hou­ve al­gu­mas al­te­ra­ções no es­ta­tu­to or­gâ­ni­co do Isep, que pas­sa­rá a ter uma ou­tra de­sig­na­ção pa­ra Ins­ti­tu­to de Ges­tão de Ac­ti­vos e Par­ti­ci­pa­ção do Es­ta­do (IGAPE) e con­ti­nu­a­rá a ser tu­te­la­do pe­lo Ministério das Fi­nan­ças.

Avan­çou igual­men­te que a pro­pos­ta já foi sub­me­ti­da ao Con­se­lho de Ministros pa­ra a sua apro­va­ção nos pró­xi­mos di­as.

A Comissão de Ges­tão do Isep até à no­me­a­ção do fu­tu­ro pre­si­den­te do Con­se­lho de Ad­mi­nis­tra­ção é co­or­de­na­da por Val­ter Rui Di­as Barros, e in­te­gra ain­da Natacha So­fia Bar­ra­das, Eli­a­ne Ma­ria For­tes dos San­tos, Ana Ma­ria Pau­lo Ma­nu­el e Jo­sé de Car­va­lho Ta­va­res. Os in­te­gran­tes lhes fo­ram in­cum­bi­da a missão de ela­bo­rar a pro­pos­ta do no­vo Es­ta­tu­to Or­gâ­ni­co do Ins­ti­tu­to, re­de­fi­nir os ob­jec­ti­vos e a sua es­tra­té­gia, bem co­mo es­ta­be­le­cer a me­to­do­lo­gia e abor­da­gem de ac­tu­a­ção do ins­ti­tu­to jun­to das em­pre­sas do Sec­tor Em­pre­sa­ri­al Pú­bli­co.

O an­te­ri­or Con­se­lho de Ad­mi­nis­tra­ção do Isep, pre­si­di­do pe­lo Hen­da In­glês, era fa­zer com que as em­pre­sas pú­bli­cas che­gas­sem até ao ano de 2017 com as con­tas ho­mo­lo­ga­das sem re­ser­vas, sen­do que a lei pre­vê san­ções às or­ga­ni­za­ções em­pre­sa­ri­ais que mos­tras­sem re­sis­tên­cia no cum­pri­men­to das re­co­men­da­ções.

Da­dos do Isep in­di­cam que em 2017 fo­ram ho­mo­lo­ga­das 57 em­pre­sas pú­bli­cas, den­tre as quais ape­nas oi­to apro­va­das sem re­ser­vas, 19 ho­mo­lo­ga­das com re­ser­vas, 9 não ho­mo­lo­ga­das, e seis ex­cep­ci­o­nal­men­te ho­mo­lo­ga­das.

Se­gun­do apu­rou o JE ,o Es­ta­do pos­sui 91 em­pre­sas, en­tre ac­ti­vas, re­si­du­ais com ac­ti­vi­da­de re­si­du­al em fa­se de de­sen­vol­vi­men­to e re­cu­pe­ra­ção da sua ca­pa­ci­da­de de ex­plo­ra­ção, em­pre­sas em fa­se de ar­ran­que e em­pre­sas pa­ra­li­sa­das.

Pri­va­ti­za­ções em bre­ve

Con­tu­do, o pro­ces­so de pri­va­ti­za­ção de em­pre­sas pú­bli­cas de­ve ar­ran­car ain­da es­te mês de Abril, se­gun­do pre­ten­sões do Exe­cu­ti­vo. A me­di­da a de­cor­rer via Bol­sa de Va­lo­res vi­sa ma­xi­mi­zar as re­cei­tas pa­ra o Es­ta­do e ga­ran­tia do aces­so aos pe­que­nos subs­cri­to­res. Por ou­tro la­do, o Fun­do Mo­ne­tá­rio In­ter­na­ci­o­nal (FMI) acon­se­lha tam­bém o Exe­cu­ti­vo a en­cer­rar as em­pre­sas que se en­con­tram em es­ta­do de in­sol­vên­cia e re­es­tru­tu­rar ou pri­va­ti­zar as ine­fi­ci­en­tes.

Na sua úl­ti­ma vi­si­ta ao país aque­la ins­ti­tui­ção fi­nan­cei­ra re­co­men­da ain­da ser ur­gen­te re­di­men­si­o­nar o sec­tor em­pre­sa­ri­al do pú­bli­co, de mo­do a re­du­zir o far­do do te­sou­ro e au­men­tar a eficiência eco­nó­mi­ca.

O FMI su­ge­re que as em­pre­sas es­ta­tais in­sol­ven­tes de­vem ser en­cer­ra­das e as em­pre­sas ine­fi­ci­en­tes mas eco­no­mi­ca­men­te viá­veis de­vem ser re­es­tru­tu­ra­das ou pri­va­ti­za­das.

Atri­bui­ções

O de­cre­to Exe­cu­ti­vo 401/15 de 2015 de­ter­mi­na que as em­pre­sas pú­bli­cas e com do­mí­nio pú­bli­co de­vem pro­ce­der à apre­sen­ta­ção de Re­la­tó­rio de Con­tas nu­ma ba­se tri­mes­tral, com re­fe­rên­cia a 31 de Mar­ço, 30 de Ju­nho e 30 de Se­tem­bro e re­me­tê-las ao Ins­ti­tu­to pa­ra o Sec­tor Em­pre­sa­ri­al Pú­bli­co num pra­zo não in­fe­ri­or a 15 di­as a con­tar da da­ta do fi­nal de ca­da pe­río­do.

DR

Em­pre­sa Por­tuá­ria de Lu­an­da cons­ta en­tre as 11 em­pre­sas que viu as su­as con­tas ho­mo­lo­ga­das sem re­ser­vas em 2017

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.