Apps de stre­a­ming musical

O YouTu­be e a Spo­tify são as pla­ta­for­mas mais po­pu­la­res a ní­vel in­ter­na­ci­o­nal

Jornal de Economia & Financas - - Lazer -

Com o sur­gi­men­to dos CDs pi­ra­tas e dos downloads ile­gais, o mo­de­lo tra­di­ci­o­nal de ne­gó­cio do sec­tor musical entrou em co­lap­so pa­ra gra­va­do­ras e pro­du­to­res du­ran­te os pri­mei­ros anos des­te sé­cu­lo. O CD já cum­priu o seu pa­pel e os downloads de mú­si­ca ain­da não eram gran­des o su­fi­ci­en­te pa­ra com­pen­sar as per­das. A in­dús­tria fo­no­grá­fi­ca ti­nha pou­cas soluções e lu­ta­va pa­ra de­sen­vol­ver ca­nais de dis­tri­bui­ção efi­ca­zes na era di­gi­tal.

Nos úl­ti­mos anos, o sur­gi­men­to do stre­a­ming sob de­man­da foi uma pos­sí­vel so­lu­ção pa­ra os pro­ble­mas da in­dús­tria fo­no­grá­fi­ca que, de­pois de anos de de­clí­nio, vol­tou a cres­cer. Po­rém, ape­sar de ser o ca­mi­nho cer­to a se­guir, os ser­vi­ços de stre­a­ming, a exem­plo do Spo­tify, cos­tu­ma­vam re­ce­ber crí­ti­cas por não pa­gar os ar­tis­tas ade­qua­da­men­te.

Um úni­co stre­am, de fac­to, tem um va­lor mui­to bai­xo. No en­tan­to, exis­te uma di­fe­ren­ça subs­tan­ci­al en­tre os ser­vi­ços que com­pe­tem pe­lo di­nhei­ro dos ou­vin­tes.

1. YouTu­be – Com 8,4 por cen­to do mer­ca­do de stre­a­ming musical, a pla­ta­for­ma pa­ga aos ar­tis­tas usd 0,00074, por fai­xa trans­mi­ti­da;

2. Pan­do­ra – O serviço pos­sui a se­gun­da mai­or fa­tia do mer­ca­do mun­di­al de stre­a­ming. O apli­ca­ti­vo re­pas­sa usd 0,00134 por trans­mis­são;

3. Spo­tify – Res­pon­sá­vel por qu­a­se me­ta­de (47por cen­to) do to­tal de re­pro­du­ções sob de­man­da, a pla­ta­for­ma pa­ga ao ar­tis­ta o ter­cei­ro va­lor mais bai­xo, usd 0,00397 por tí­tu­lo trans­mi­ti­do;

4. Google Play Mu­sic – De­ten­to­ra de 2,4 do mer­ca­do, o apli­ca­ti­vo re­mu­ne­ra os ar­tis­tas em usd 0,00611 por mú­si­ca;

5. De­e­zer – Ain­da pou­co di­fun­di­da, a pla­ta­for­ma de­tém 1,9 das trans­mis­sões e re­pas­sa aos ar­tis­tas usd 0,00624;

6. Ama­zon – Dona de 44 do e-com­mer­ce nor­te-ame­ri­ca­no, con­ta com a pla­ta­for­ma Ama­zon Mu­sic Un­li­mi­ted, res­pon­sá­vel por 1,9 por cen­to do mer­ca­do. O re­pas­se aos ar­tis­tas é de usd 0,00740 por fai­xa trans­mi­ti­da;

7. Ap­ple Mu­sic – Com 10,5 por cen­to do mar­ket sha­re e 38 mi­lhões de as­si­nan­tes em Fe­ve­rei­ro, a pla­ta­for­ma re­pas­sa usd 0,00783 por trans­mis­são;

8. Ti­dal – Res­pon­sá­vel por ape­nas 0,5 por cen­to do mer­ca­do de stre­a­ming musical, pa­ga o ter­cei­ro va­lor mais al­to por fai­xa trans­mi­ti­da: usd 0,01284;

9. Rhap­sody – A em­pre­sa tem uma par­ti­ci­pa­ção de mer­ca­do de ape­nas 0,3 por cen­to, mas re­pas­sa o se­gun­do mai­or va­lor por tí­tu­lo trans­mi­ti­do: usd 0,01682;

10. Xbox Mu­sic – Com a me­nor par­ti­ci­pa­ção (0,1%), o apli­ca­ti­vo tem a me­lhor re­mu­ne­ra­ção pa­ra os ar­tis­tas: usd 0,02730.

DR

Pla­ta­for­mas di­gi­tais tor­na­ram mais fá­cil a bus­ca musical e di­fí­cil as ven­das

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.