“Fi­nan­ci­a­men­to agrí­co­la é pa­ra agen­tes com ex­pe­ri­ên­cia e não pa­ra aven­tu­rei­ros

Jornal de Economia & Financas - - Primeira Página - FAUS­TO CAR­VA­LHO SIMÕES

Osec­tor agro-pe­cuá­rio cons­ti­tuiu-se a área de elei­ção do Exe­cu­ti­vo an­go­la­no no âm­bi­to da diversificação eco­nó­mi­ca, pers­pec­ti­van­do a lon­go pra­zo que a economia não te­nha uma de­pen­dên­cia ex­ces­si­va do petróleo. Pa­ra dar ro­bus­tez à pro­du­ção agro-ali­men­tar, es­tá em cur­so um pro­gra­ma de con­ces­são de cré­di­to agrí­co­la ao em­pre­sa­ri­a­do.

A me­di­da vi­sa tam­bém ga­ran­tir a au­to-su­fi­ci­ên­cia e se­gu­ran­ça ali­men­tar, ex­por­tar o ex­ce­den­te, ge­rar ri­que­za pa­ra as fa­mí­li­as e re­du­zir a im­por­ta­ção de pro­du­tos ali­men­ta­res fei­tos lo­cal­men­te.

Cons­ti­tui uma mais-va­lia, já que po­de­rá ge­rar mais pos­tos de tra­ba­lho no cam­po e pau­la­ti­na­men­te de­be­lar a mi­sé­ria e o défice ali­men­tar.

Fa­ce a ex­pe­ri­ên­ci­as do pas­sa­do, a re­por­ta­gem do JE con­tac­tou al­guns ci­da­dãos que emi­ti­ram as su­as opi­niões às medidas que o Exe­cu­ti­vo pre­ten­de adop­tar.

Aler­tam no cui­da­do da se­lec­ção dos be­ne­fi­ciá­ri­os, pa­ra se evitar que os mes­mos ca­na­li­zem o in­ves­ti­men­to pa­ra be­ne­fí­ci­os pró­pri­os, ao invés de in­ves­ti­rem no sec­tor. Há quem re­ve­la que mui­tos no pas­sa­do re­ce­be­ram fi­nan­ci­a­men­tos e não de­ram em na­da.

Por exem­plo, o eco­no­mis­ta Faus­to de Car­va­lho Simões de­fen­de que o fi­nan­ci­a­men­to de­ve incidir a agen­tes com ex­pe­ri­ên­cia re­co­nhe­ci­da na ex­plo­ra­ção agrí­co­la ao con­trá­rio dos me­ros aven­tu­rei­ros que vão ape­nas em bus­ca de di­nhei­ro.

Acres­cen­ta que se de­ve evitar em­pre­sá­ri­os paraquedistas. Já o fun­ci­o­ná­rio Pascoal Cu­a­bia, o di­nhei­ro a dis­po­ni­bi­li­zar de­ve cumprir o seu pa­pel que pas­sa pe­lo au­men­to da pro­du­ção na­ci­o­nal e aca­bar com os pro­ble­mas de es­cas­sez ali­men­tar.

O engenheiro agró­no­mo Pascoal de Cas­tro é apo­lo­gis­ta que an­tes da con­ces­são do cré­di­to se fa­ça um levantamento fí­si­co da ter­ra agrária dis­po­ní­vel, cre­di­bi­li­da­de do pro­jec­to, lo­ca­li­za­ção e uma fis­ca­li­za­ção efi­caz ao be­ne­fi­ciá­rio.

Há tam­bém a ne­ces­si­da­de de se po­ten­ci­ar à agri­cul­tu­ra fa­mi­li­ar com um fi­nan­ci­a­men­to que pas­sa pe­la dis­po­ni­bi­li­za­ção de mei­os de tra­ba­lho e fer­ti­li­zan­tes, as­sim co­mo se es­ta­be­le­ça um pe­río­do pa­ra amor­ti­zar pau­la­ti­na­men­te a dí­vi­da.

O es­tu­dan­te uni­ver­si­tá­rio Eric­son Ama­do su­ge­re que o fi­nan­ci­a­men­to de­ve di­rec­ci­o­nar em gran­de me­di­da a agri­cul­tu­ra fa­mi­li­ar, por ser a fran­ja que du­ran­te anos ali-

Faus­to Simões Eco­no­mis­ta O FINANCIAMNETO DE­VE INCIDIR A AGEN­TES COM EX­PE­RI­ÊN­CIA RE­CO­NHE­CI­DA AO INVÉS DOS AVEN­TU­REI­ROS QUE VÃO APE­NAS ATRÁS DO DI­NHEI­RO PA­RA EVI­TA­REM OS PARAQUEDISTAS.

For­tu­na­to Má­rio Es­tu­dan­te DE­VE-SE FA­ZER UMA SE­LEC­ÇÃO RI­GO­RO­SA DOS CAN­DI­DA­TOS, FIS­CA­LI­ZAR E ES­TA­BE­LE­CER JUROS QUE NÃO PREJUDIQUEM O INTERESSADO DA­DA A COM­PLE­XI­DA­DE DO MO­MEN­TO.

men­tou o mer­ca­do que su­por­ta gran­de par­te da so­ci­e­da­de.

Ou­tro es­tu­dan­te uni­ver­si­tá­rio For­tu­na­to Má­rio, diz que a se­lec­ção ri­go­ro­sa dos can­di­da­tos, fis­ca­li­za­ção ri­ja e es­ta­be­le­cer juros que não prejudiquem o interessado, da­da a com­ple­xi­da­de do ra­mo agrí­co­la.

É a favor que mui­tos be­ne­fi­ci­a­dos, an­tes de se­rem

Pascoal Cu­a­bia Fun­ci­o­ná­rio pú­bli­co O DI­NHEI­RO DE­VE CUMPRIR COM O SEU PA­PEL QUE PAS­SA PE­LO AU­MEN­TO DA PRO­DU­ÇÃO NA­CI­O­NAL E ACA­BAR COM A ES­CAS­SEZ.

Eric­son Ama­do Es­tu­dan­te AN­TES DE SE­REM CONTEMPLADOS, DE­VEM SER SUBMETIDOS A UMA AVA­LI­A­ÇÃO RI­GO­RO­SA PA­RA QUE NÃO SE REPITAM AS FA­LHAS DO PAS­SA­DO.

contemplados de­vem ser submetidos a uma ava­li­a­ção ri­go­ro­sa, pa­ra que não se repitam as mes­mas fa­lhas do pas­sa­do.

O es­tu­dan­te uni­ver­si­tá­rio Al­de­mi­ro Má­rio aler­ta que a dis­tri­bui­ção do di­nhei­ro a ser dis­po­ni­bi­li­za­do atin­ja mais investidores localizados fo­ra de Lu­an­da pa­ra materialização mais efi­caz.

Pascoal de Cas­tro Engenheiro AN­TES DA CON­CES­SÃO DO CRÉ­DI­TO SE FA­ÇA UM LEVANTAMENTO FÍ­SI­CO DA TER­RA AGRÁRIA DIS­PO­NÍ­VEL, CRE­DI­BI­LI­DA­DE DO PRO­JEC­TO, LO­CA­LI­ZA­ÇÃO E UMA FIS­CA­LI­ZA­ÇÃO EFI­CAZ AO CREDOR.

Al­de­mi­ro Má­rio Es­tu­dan­te O DI­NHEI­RO A DIS­PO­NI­BI­LI­ZAR DE­VE ATIN­GIR UMA GRAN­DE FRAN­JA DE INVESTIDORES LOCALIZADOS FO­RA DE LU­AN­DA PA­RA MATERIALIZAÇÃO MAIS EFI­CAZ.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.