Co­ne­xão aé­rea com “Q400” já não pas­sa por An­go­la

O Pre­si­den­te da Re­pú­bli­ca João Lou­ren­ço en­ten­de que o pro­jec­to “não vai adi­an­te” por ser fic­tí­cio

Jornal de Economia & Financas - - Destaque - Xavier An­tó­nio

Omai­o­ri­tá­rio pro­jec­to de avi­a­ção ci­vil “Air Con­nec­ti­on Ex­press”, consórcio cu­jo só­cio é a Taag e que in­te­gra a Ena­na, Best­fly, Air Jet, Air 26, Air Gui­can­go, Di­e­xim, SJL e Ma­vewa, com pre­vi­são pa­ra ope­rar a par­tir de 2019, com ae­ro­na­ves do ti­po Q400 foi de­sac­ti­va­da, esta semana, pelo Pre­si­den­te da Re­pú­bli­ca, João Lou­ren­ço.

O Che­fe de Es­ta­do na en­tre­vis­ta que con­ce­deu à te­le­vi­são eu­ro­peia Eu­ro­news de­cla­rou que a “Air Con­nec­ti­on Ex­press”, anun­ci­a­da re­cen­te­men­te pelo mi­nis­tro dos Trans­por­tes, Au­gus­to da Sil­va Tomás, pa­ra ga­ran­tir vo­os do­més­ti­cos em An­go­la, “não vai adi­an­te, não vai sair, não vai acon­te­cer, por se tra­tar de uma com­pa­nhia fic­tí­cia”.

O JE apu­rou que as com­pa­nhi­as pri­va­das que in­te­gram o pro­jec­to de­vi­am en­trar no consórcio com uma par­ti­ci­pa­ção de 1,7 mi­lhões de dó­la­res pa­ra o iní­cio do pro­ces­so de ca­pi­ta­li­za­ção. Air Con­nec­ti­on as­si­nou no iní­cio de Maio um con­tra­to com a ca­na­di­a­na Bom­bar­di­er, pa­ra o for­ne­ci­men­to de seis aviões do ti­po Q400, nu­ma par­ce­ria pú­bli­co-pri­va­da ava­li­a­da em usd 143 mi­lhões.

Vi­são do sec­tor

Nes­te con­tex­to, o mi­nis­té­rio dos Trans­por­tes au­gu­ra­va fa­zer com que o ensaio, a ser im­ple­men­ta­do por es­tes ope­ra­do­res, vi­ria mar­car a aber­tu­ra de um no­vo li­vro na avi­a­ção ci­vil e di­tar a cri­a­ção de ba­ses aé­re­as re­gi­o­nais.

En­tre­tan­to, o ensaio visava ainda dar res­pos­ta a pre­o­cu­pa­ção das po­pu­la­ções a ní­vel do transporte aéreo, pa­ra re­for­çar a co­e­são so­ci­al e eco­nó­mi­ca.

O pro­jec­to re­sul­ta de um fi­nan­ci­a­men­to mon­ta­do por um sin­di­ca­to ban­cá­rio com­pos­to e li­de­ra­do pelo ban­co an­go­la­no BNI e pe­los Ban­cos de De­sen­vol­vi­men­to Afre­xim, se­de­a­do no Egip­to, e o EDC – Ex­port De­ve­lop­ment do Ca­na­dá.

Os dois pri­mei­ros fi­nan­ci­a­rão a “dí­vi­da jú­ni­or”, en­quan­to o EDC fi­nan­cia a sé­ni­or, es­tan­do já ga­ran­ti­do 90 por cen­to do ca­pi­tal pa­ra a aqui­si­ção, ha­ven­do a ne­ces­si­da­de do “apor­te” de 10 por cen­to por parte dos ac­ci­o­nis­tas e a ne­ces­si­da­de de ga­ran­tia so­be­ra­na pa­ra as­se­gu­rar o fi­nan­ci­a­men­to. as ae­ro­na­ves da Air Con­nec­ti­on Ex­press vão par­que­ar em qu­a­tro ba­ses re­gi­o­nais, de­sig­na­da­men­te no Nor­te, em Ca­bin­da, no Sul, no Lu­ban­go, no Les­te, no Lu­e­na, e no Cen­tro, em Ben­gue­la, fa­zen­do a pon­te aé­rea com Lu­an­da e ga­ran­tin­do o transporte in­ter­pro­vin­ci­al.

O ENSAIO VISAVA DAR RES­POS­TA À PRE­O­CU­PA­ÇÃO DAS PO­PU­LA­ÇÕES A NÍ­VEL DO TRANSPORTE AÉREO, A FIM DE RE­FOR­ÇAR A CO­E­SÃO SO­CI­AL

AFP

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.