Usd 10,9 mi­lhões pa­ra o ecos­sis­te­ma

Ter­cei­ra fa­se do pro­jec­to de ges­tão in­te­gra­do da cor­ren­te de Ben­gue­la re­ce­beu no­vo fi­nan­ci­a­men­to das Na­ções Uni­das

Jornal de Economia & Financas - - Infra-Estrutura - Ma­nu­el Bar­ros

OP­ro­gra­ma das Na­ções Uni­das pa­ra o De­sen­vol­vi­men­to (PNUD) atra­vés do Fun­do Global do Am­bi­en­te(GEF) dis­po­ni­bi­li­zou 10,9 mi­lhões de dó­la­res pa­ra fi­nan­ci­ar a ter­cei­ra fa­se do pro­jec­tos de ges­tão in­te­gra­da do Gran­de Ecos­sis­te­ma da Cor­ren­te de Ben­gue­la (BCLME). A in­for­ma­ção foi avan­ça­da re­cen­te­men­te pe­la mi­nis­tra das Pes­cas e do Mar, Vi­tó­ria de Bar­ros Ne­to.

De acor­do com a go­ver­nan­te, que dis­cur­sa­va du­ran­te a ce­ri­mó­nia de lan­ça­men­to da ter­cei­ra fa­se do pro­jec­to de de­sen­vol­vi­men­to in­clu­si­vo e sus­ten­tá­vel do BCLME que te­rá co­mo fo­co a go­ver­nan­ça dos ma­res e oce­a­nos e o re­for­ço da co­or­de­na­ção in­ter­sec­to­ri­al a ní­vel na­ci­o­nal.

Con­si­de­rou, a mi­nis­tra, que o pa­pel que o Gran­de Ecos­sis­te­ma da Cor­ren­te de Ben­gue­la(BCC) de­sem­pe­nha na pro­du­ção de ali­men­tos, na ac­ti­vi­da­de eco­nó­mi­ca, na bi­o­di­ver­si­da­de ge­né­ti­ca e no re­creio e la­zer das po­pu­la­ções im­põe pro­jec­tos au­to-sus­ten­tá­veis pa­ra pre­ser­var esta bi­o­di­ver­si­da­de.

O BCC é par­ti­lha­do en­tre An­go­la, Na­mí­bia e Áfri­ca do Sul no qua­dro da Con­ven­ção da Cor­ren­te de Ben­gue­la.

A mi­nis­tra das pes­cas e do mar, Vi­tó­ria de Bar­ros Ne­to ma­ni­fes­tou-se ainda pre­o­cu­pa­da com a ex­plo­ra­ção de­sen­fre­a­da dos re­cur­sos ma­ri­nhos da­que­le “Gran­de Ecos­sis­te­ma”, que tem si­do ainda per­tur­ba­do pe­la ocu­pa­ção de­sor­de­na­da do li­to­ral e pe­las al­te­ra­ções cli­má­ti­cas .

“Afec­tan­do des­te mo­do os va­lo­res pa­tri­mo­ni­ais exis­ten­tes, a qua­li­da­de do am­bi­en­te em ge­ral e a ca­pa­ci­da­de de re­ge­ne­ra­ção dos ecos­sis­te­mas”, apon­tou a go­ver­nan­te, as­si­na­lan­do que “a ges­tão dos oce­a­nos, no âm­bi­to da sua sus­ten­ta­bi­li­da­de global, de­ve obe­de­cer uma pers­pec­ti­va trans­ver­sal e in­te­gra­da”.

Pa­ra a mi­nis­tra, com a exe­cu­ção do pro­jec­to BCLME III, a Con­ven­ção da Cor­ren­te de Ben­gue­la te­rá ba­ses pa­ra apoi­ar os paí­ses mem­bros a in­te­gra­rem e in­cor­po­ra­rem as pri­o­ri­da­des trans­fron­tei­ri­ças e vin­cu­lá-las às po­lí­ti­cas e pla­nos de de­sen­vol­vi­men­to na­ci­o­nal.

Na oca­sião, a go­ver­nan­te anun­ci­ou ainda que An­go­la es­tá “em pro­ces­so de cri­a­ção de uma Es­tra­té­gia Na­ci­o­nal do Mar, que vai de­fi­nir os ob­jec­ti­vos, as me­di­das e ac­ções di­rec­ci­o­na­das aos di­ver­sos sec­to­res com a in­ter­ven­ção do mar, as­sim co­mo uma vi­são co­mum e co­or­de­na­da”, dis­se a mi­nis­tra, des­ta­can­do que a pri­mei­ra fa­se do BCLME per­mais mi­tiu apli­car nos paí­ses que par­ti­lham a BCC o con­cei­to da ges­tão das pes­cas uma pers­pec­ti­va ecos­sis­té­mi­ca, en­quan­to a se­gun­da fa­se vi­sou o su­por­te pa­ra o es­ta­be­le­ci­men­to da Con­ven­ção da Cor­ren­te de Ben­gue­la.

O re­pre­sen­tan­te do Pro­gra­ma das Na­ções Uni­das pa­ra o De­sen­vol­vi­men­to (PNUD), Gotz Sch­roth diz ser um pro­jec­to mui­to am­bi­ci­o­so que o GEF tem o pra­zer de fi­nan­ci­ar. Tra­ta-se de pro­jec­tos re­gi­o­nais en­vol­ven­do três paí­ses que par­ti­lham o mes­mo mar e re­cur­sos, e que en­ten­dem ser im­por­tan­te tra­çar po­lí­ti­cas que pro­te­jam o ecos­sis­te­ma.

Gotz Sch­roth adi­an­ta que a Con­ven­ção da Cor­ren­te de Ben­gue­la (BCC) é a pri­mei­ra co­mis­são in­ter­go­ver­na­men­tal a ní­vel mun­di­al que se ba­seia no con­cei­to de go­ver­na­ção oceâ­ni­ca de um Gran­de Ecos­sis­te­ma Ma­ri­nho, tra­tan­do-se no en­tan­to, de um avan­ço, ru­mo à ges­tão dos re­cur­sos a uma es­ca­la mai­or do ecos­sis­te­ma e do equi­lí­brio das ne­ces­si­da­des hu­ma­nas, re­la­ti­va­men­te aos im­pe­ra­ti­vos de con­ser­va­ção.

A Con­ven­ção da Cor­ren­te de Ben­gue­la é um tra­ta­do for­mal en­tre os três go­ver­nos que de­li­neia as in­ten­ções des­ses paí­ses quan­to à “pro­mo­ção de uma abor­da­gem re­gi­o­nal co­or­de­na­da da con­ser­va­ção a lon­go ter­mo, con­ser­va­ção, pro­tec­ção, re­a­bi­li­ta­ção, me­lho­ra­men­to e uti­li­za­ção sus­ten­tá­vel do Gran­de Ecos­sis­te­ma Ma­ri­nho da Cor­ren­te de Ben­gue­la, ten­do em vis­ta pro­por­ci­o­nar be­ne­fí­ci­os eco­nó­mi­cos, am­bi­en­tais e so­ci­ais.”

O lan­ça­men­to da ter­cei­ra fa­se do BCLME jun­tou téc­ni­cos do Mi­nis­té­rio das Pes­cas e do Mar, do Am­bi­en­te e Re­cur­sos Mi­ne­rais.

O PRO­JEC­TO VAI DESEMPENHAR UM PA­PEL IM­POR­TAN­TE NA PRO­DU­ÇÃO DE ALI­MEN­TOS E NO DE­SEN­VOL­VI­MEN­TO ECO­NÓ­MI­CO DO PAÍS

MIQUEIAS MACHANGONGO | EDIÇÕES NO­VEM­BRO

Mi­nis­tra das Pes­cas e do Mar, Vi­tó­ria de Bar­ros Ne­to, qu­an­do fa­la­va no lan­ça­men­to da ter­cei­ra fa­se do pro­jec­to

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.