“UMA SI­TU­A­ÇÃO QUE A TO­DOS NOS ENVERGONHA”

Jornal de Economia & Financas - - Especial -

A emi­gra­ção mas­si­va de afri­ca­nos pa­ra zo­nas se­gu­ras mais pró­xi­mas do con­ti­nen­te, com des­ta­que pa­ra a Europa, é uma si­tu­a­ção que envergonha as li­de­ran­ças do con­ti­nen­te sem ex­cep­ção. No en­ten­der do Pre­si­den­te João Lou­ren­ço, diz-se que os emi­gran­tes o fa­zem por von­ta­de pró­pria, mas a ve­ra­de es­tá no fac­to des­tes par­ti­rem em bus­ca de se­gu­ran­ça e em­pre­go, por exem­plo. “Os fi­lhos de Áfri­ca vão, ho­je, pa­ra a Europa na con­di­ção de emi­gran­tes, di­rão al­guns que de for­ma vo­lun­tá­ria o que é dis­cu­tí­vel. Pa­ra ser­mos fran­cos, fo­gem dos con­fli­tos ar­ma­dos, da fo­me e da mi­sé­ria que as­so­lam al­guns dos nos­sos paí­ses. Fo­gem do de­sem­pre­go e da fal­ta de pers­pec­ti­vas por um fu­tu­ro me­lhor. To­dos so­mos res­pon­sá­veis por es­te qua­dro com que mui­tos paí­ses afri­ca­nos se con­fron­tam”, dis­se no dis­cur­so. Mas João Lou­ren­ço en­ten­de que a me­lhor for­ma de com­ba­ter a emi­gra­ção é mes­mo o de a Europa apoi­ar a pro­du­ção in­ter­na, no con­ti­nen­te, de bens e ser­vi­ços, ac­tu­al­men­te fei­tos no ex­te­ri­or. É nes­ta con­for­mi­da­de, que ape­la­mos a União Eu­ro­peia, a es­ta­be­le­cer com o nos­so con­ti­nen­te, um mo­de­lo de co­o­pe­ra­ção que a mé­dio, lon­go pra­zo pos­sa con­tri­buir pa­ra re­ver­ter o ac­tu­al qua­dro, que aju­de nos­sos paí­ses a pas­sar de me­ros ex­por­ta­do­res de ma­té­ri­as­pri­mas, pa­ra pro­du­to­res de pro­du­tos ma­nu­fac­tu­ra­dos, in­dus­tri­a­li­za­dos, co­mo ga­ran­tia de uma mai­or ofer­ta de em­pre­go e de opor­tu­ni­da­des de ne­gó­ci­os pa­ra os nos­sos ci­da­dãos. Da­dos co­lec­ta­dos so­bre a emi­gra­ção afri­ca­na à Europa dão con­ta que nú­me­ro de pe­di­dos de asi­lo em 2017 foi o tri­plo do re­gis­tra­do no pri­mei­ro ano da dé­ca­da. Da­dos mais re­cen­tes in­ci­am que em 2017 to­ta­li­za­ram-se mais de qua­tro (4) mi­lhões de mi­gran­tes afri­ca­nos a re­si­dir no ve­lho con­ti­nen­te. Mai­o­ri­ta­ri­a­men­te oriun­dos da Áfri­ca Sub­sa­a­ri­a­na, as in­di­ca­ções de or­nais­mos in­ter­na­ci­o­nais avan­çam que uma das pre­o­cu­pa­ções es­tá no fac­to de o cres­ci­men­to pre­vis­to pa­ra 2018, por exem­plo, da re­gião ser de 3,2 por cen­to, mas o de­sem­pre­go es­tar em 7,4.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.