560 MI­LHÕES DE DÓ­LA­RES APLI­CA­DOS PA­RA A IM­POR­TA­ÇÃO DE ALI­MEN­TOS

Jornal de Economia & Financas - - Mercados -

Aim­por­ta­ção de ali­men­tos, no pri­mei­ro tri­mes­tre de 2018, ci­frou-se em 560 mi­lhões de dó­la­res, ape­sar de re­pre­sen­tar uma que­da de 30% com­pa­ra­ti­va­men­te ao mes­mo pe­río­do de 2017, se gui­a­dos pe­la pro­cu­ra, que se man­tém al­ta, no fi­nal do pre­sen­te ano po­der-se-á não es­tar mui­to lon­ge dos cer­ca de Usd 3,3 mil mi­lhões de im­por­ta­ção de ali­men­tos ve­ri­fi­ca­da em 2017. Já a pro­cu­ra men­sal de di­vi­sas pa­ra ma­té­ria-pri­ma pa­ra o sec­tor não pe­tro­lí­fe­ro, por seu la­do, es­tá aci­ma de Usd 300 mi­lhões. To­da­via, mui­ta des­sa pro­cu­ra po­de­ria ser aten­di­da com a pro­du­ção in­ter­na, par­ti­cu­lar­men­te, no sec­tor das be­bi­das.

So­bre o no­vo re­gi­me cam­bi­al, Jo­sé Mas­sa­no dis­se que não é em si a so­lu­ção pa­ra to­dos os ma­les que afec­tam a eco­no­mia na­ci­o­nal. “Na ver­da­de, e co­mo di­ze­mos mui­tas ve­zes em ges­tão, não há mo­de­los per­fei­tos, há os que fun­ci­o­nam. E, nes­te ca­so, de­vem fun­ci­o­nar em ali­nha­men­to com os ob­jec­ti­vos de de­sen­vol­vi­men­to eco­nó­mi­co cons­tan­tes dos pro­gra­mas ori­en­ta­do­res de go­ver­na­ção”, dis­se o go­ver­na­dor do BNA, Jo­sé de Li­ma Mas­sa­no, no en­cer­ra­men­to do re­cen­te “Fó­rum Ban­ca” de ini­ci­a­ti­va do Jor­nal Ex­pan­são.

O go­ver­na­dor afir­mou que de­ver-se-á con­quis­tar mai­or ca­pa­ci­da­de de pro­tec­ção das Re­ser­vas In­ter­na­ci­o­nais e ga­ran­tir a sol­va­bi­li­da­de ex­ter­na da eco­no­mia. Pa­ra o efei­to, as di­vi­sas es­cas­sas de que se dis­põe de­ve­rão ser uti­li­za­das de mo­do efi­ci­en­te e com ra­zo­a­bi­li­da­de eco­nó­mi­ca. Pa­ra ele, es­tas de­vem ser co­lo­ca­das ao ser­vi­ço do de­sen­vol­vi­men­to e da cons­tru­ção do bem es­tar-so­ci­al das fa­mí­li­as.

“Por is­so, e en­quan­to su­pe­ra­mos as nos­sas li­mi­ta­ções ins­ti­tu­ci­o­nais e de or­ga­ni­za­ção do mer­ca­do, man­te­mos al­gu­mas res­tri­ções na mo­vi­men­ta­ção da con­ta cor­ren­te da ba­lan­ça de pa­ga­men­tos, evi­tan­do-se mai­o­res pres­sões so­bre a mo­e­da e so­bre as re­ser­vas in­ter­na­ci­o­nais”, dis­se.

Pa­ra o ges­tor, a cons­ci­en­ci­a­li­za­ção das li­mi­ta­ções de­ve ser ge­ral pa­ra que, em con­jun­to, se pos­sa su­pe­rar. Lem­brou ter-se ain­da uma ele­va­da pro­cu­ra por di­vi­sas pa­ra co­ber­tu­ra de im­por­ta­ção de bens de que o país tem con­di­ções de pro­du­zir.

EDIÇÕES NO­VEM­BRO

Go­ver­na­dor Jo­sé de Li­ma Mas­sa­no

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.