COMPLIANCE E TRANS­PA­RÊN­CIA

Jornal de Economia & Financas - - Destaque -

O em­pre­sá­rio Fran­cis­co da Silva ape­lou às au­to­ri­da­des an­go­la­nas a se­gui­rem à ris­ca o compliance e a trans­pa­rên­cia nos ne­gó­ci­os pa­ra que o país pos­sa se afir­mar no mun­do “por­que ac­tu­al­men­te o mun­do es­tá glo­ba­li­za­do e pre­ci­sa­mos de es­tar mais pró­xi­mos uns dos ou­tros. O FMI tem fei­to es­se pa­pel e tem mos­tra­do al­gu­ma aber­tu­ra fi­nan­cei­ra pe­lo mun­do e aden­sa mais com a no­va pos­tu­ra do Pre­si­den­te da República em mos­trar ao mun­do que An­go­la es­tá a mu­dar”. Vol­tan­do à Chi­na, é um da­que­les que acre­di­ta que es­sa cooperação com An­go­la vai dar re­sul­ta­dos, mas o mo­de­lo de im­ple­men­ta­ção dos ne­gó­ci­os tem si­do di­fe­ren­te, pois os em­pre­sá­ri­os an­go­la­nos de­vi­am

ser mais ti­dos e acha­dos…

An­go­la tem de de­se­nhar um mo­de­lo di­fe­ren­te des­sa busca de di­nhei­ro pro­ve­ni­en­te da Chi­na. Os em­pre­sá­ri­os na­ci­o­nais de­vi­am ter mui­to mais for­ça do que os chi­ne­ses, por­que es­ses são re­ves­ti­dos com po­de­res eco­nó­mi­cos e fi­nan­cei­ros do seu Governo. A Chi­na tem bancos que fi­nan­ci­am ac­ções dos seus em­pre­sá­ri­os lo­cais, o que não acon­te­ce com An­go­la. En­tão, há muita fra­gi­li­da­de de em­pre­sá­ri­os an­go­la­nos, por fal­ta de in­cen­ti­vos. É re­vol­tan­te di­zer que nós dê­mos mais valor aos em­pre­sá­ri­os es­tran­gei­ros do que aos na­ci­o­nais. Os chi­ne­ses só vêm a An­go­la bus­car lu­cros e não dei­xam mais-va­lia pa­ra a eco­no­mia na­ci­o­nal. In­ves­tem, dei­xam as in­fra-es­tru­tu­ras sem a ga­ran­tia de ma­nu­ten­ção. Pa­ra An­go­la, é em­prés­ti­mo ou fi­nan­ci­a­men­to e pa­ra os chi­ne­ses é um in­ves­ti­men­to.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.