Po­e­mas do Po­e­ta Mai­or de­vem che­gar às es­co­las

Jornal de Economia & Financas - - Lazer -

A ne­ces­si­da­de de as es­co­las mas­si­fi­ca­rem a divulgação da po­e­sia do pri­mei­ro pre­si­den­te de An­go­la, António Agos­ti­nho Ne­to, foi de­fen­di­da, re­cen­te­men­te, em Nda­la­tan­do, pro­vín­cia do Cu­an­za Nor­te, pe­lo mem­bro do Se­cre­ta­ri­a­do Pro­vin­ci­al da JMPLA, Se­bas­tião Luís Fé­lix Cu­ta­ba. Em de­cla­ra­ções à An­gop, no ter­mo do con­cur­so li­te­rá­rio de de­cla­ma­ção de po­e­mas da au­to­ria de Agos­ti­nho Ne­to, o tam­bém Pri­mei­ro Secretário Mu­ni­ci­pal de Ca­zen­go da JMPLA ad­vo­gou, igual­men­te, a pri­ma­zia de as ins­ti­tui­ções de en­si­no con­ce­be­rem pro­gra­mas em que fi­gu­ras pro­e­mi­nen­tes da his­tó­ria de An­go­la se­jam re­tra­ta­das. No ca­so de António Agos­ti­nho Ne­to afir­mou que, o pro­gra­ma per­mi­ti­rá que as pró­xi­mas ge­ra­ções co­nhe­çam (por via da sua po­e­sia e não só) quem ele foi, pa­ra que ca­da criança pos­sa ter a pos­si­bi­li­da­de de fa­lar, na sua co­mu­ni­da­de, so­bre os ensinamentos do po­lí­ti­co e lí­der an­go­la­no, fa­le­ci­do a 10 de Se­tem­bro de 1979. Pa­ra Se­bas­tião Luís Fé­lix Cu­ta­ba, a po­e­sia de Agos­ti­nho Ne­to faz re­cor­dar aqui­lo que fo­ram os seus an­sei­os de ver o po­vo li­ber­ta­do (en­quan­to na­ção na al­tu­ra co­lo­ni­za­da), acres­cen­tan­do que a po­e­sia de Ne­to despertou a cons­ci­ên­cia de mui­tos na­ci­o­na­lis­tas pa­ra a lu­ta li­ber­ta­do­ra, de cu­jos re­sul­ta­dos os an­go­la­nos ho­je usu­fru­em. Sa­li­en­tou que a po­e­sia de Ne­to ain­da não é su­fi­ci­en­te­men­te di­vul­ga­da, ten­do la­men­ta­do o fac­to de a divulgação acontecer ape­nas por oca­sião das co­me­mo­ra­ções da da­ta na­ta­lí­cia da­que­la pro­e­mi­nen­te figura, o 17 de Se­tem­bro.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.