OMC RE­DUZ PRE­VI­SÃO DE CRES­CI­MEN­TO PA­RA 2018 E 2019

Jornal de Economia & Financas - - Mundo -

O cres­ci­men­to do co­mér­cio, a ní­vel mun­di­al de­ve­rá ser mais len­to do que o es­pe­ra­do em 2018 e 2019, em­bo­ra os efei­tos eco­nó­mi­cos di­rec­tos da “guer­ra” co­mer­ci­al que eclo­diu es­te ano ain­da se­jam re­du­zi­dos, se­gun­do o di­rec­tor-ge­ral da Or­ga­ni­za­ção Mun­di­al do Co­mér­cio (OMC), Ro­ber­to Aze­ve­do, em um co­mu­ni­ca­do. O or­ga­nis­mo pre­vê que o co­mér­cio mun­di­al de bens cres­ça 3,9 por cen­to es­te ano, abai­xo dos 4,4 pre­vis­tos em Abril. No ano que vem es­pe­ra-se um cres­ci­men­to de 3,7 por cen­to, uma qu­e­bra na pre­vi­são an­te­ri­or que era de 4,0. “Em ge­ral, os ris­cos con­tem­pla­dos são con­si­de­rá­veis e po­dem pi­o­rar con­si­de­ra­vel­men­te as pre­vi­sões”, afir­ma a OMC em um co­mu­ni­ca­do. Ain­da as­sim, a or­ga­ni­za­ção fri­sa que ti­nha si­do já fei­to um aler­ta pa­ra al­guns dos ris­cos ne­ga­ti­vos que aca­ba­ram por ma­te­ri­a­li­zar-se. As pre­vi­sões ac­tu­a­li­za­das têm co­mo ba­se um cres­ci­men­to es­pe­ra­do do PIB re­al mun­di­al de 3,1 por cen­to em 2018 e 2,9 em 2019. “Ape­sar do cres­ci­men­to do co­mér­cio con­ti­nu­ar só­li­do, es­ta re­du­ção das pers­pec­ti­vas re­flec­te o au­men­to das ten­sões en­tre só­ci­os co­mer­ci­ais im­por­tan­tes”, ex­pli­cou. Es­ta­dos Uni­dos e Chi­na pro­ta­go­ni­zam há al­guns me­ses uma guer­ra co­mer­ci­al com ba­se em ta­ri­fas de im­por­ta­ção. O pre­si­den­te dos Es­ta­dos Uni­dos de Amé­ri­ca, Do­nald Trump, “lan­çou uma guer­ra co­mer­ci­al” im­pon­do ta­xas so­bre as im­por­ta­ções da Chi­na, mas tam­bém às de alu­mí­nio e aço, de qual­quer par­te do mun­do, União Eu­ro­peia in­cluí­da, pa­ra, diz Do­nald Trump, pro­te­ger os em­pre­gos nos EUA. De mo­do pa­ra­le­lo, os paí­ses eu­ro­peus e ou­tras gran­des po­tên­ci­as eco­nó­mi­cas tam­bém es­tão pre­o­cu­pa­das com o ris­co de uma guer­ra co­mer­ci­al ge­ne­ra­li­za­da. Se­gun­do a OMC, os efei­tos eco­nó­mi­cos di­rec­tos das ta­ri­fas são “li­mi­ta­dos” até ago­ra, mas a in­cer­te­za que ge­ram “po­de­ria já es­tar pro­vo­can­do con­sequên­ci­as com uma re­du­ção dos gas­tos em in­ves­ti­men­tos”. “O en­du­re­ci­men­to da po­lí­ti­ca mo­ne­tá­ria nas eco­no­mi­as de­sen­vol­vi­das tam­bém con­tri­bui pa­ra a vo­la­ti­li­da­de das ta­xas de câm­bio e po­de pros­se­guir com es­te efei­to nos pró­xi­mos me­ses”, des­ta­cou a or­ga­ni­za­ção com se­de em Ge­ne­bra.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.