Fi­nan­ci­a­men­tos es­tão ga­ran­ti­dos

Jornal de Economia & Financas - - Destaque -

O Mi­nis­té­rio das Fi­nan­ças vai in­ter­vir no su­por­te fi­nan­cei­ro pa­ra que a Re­ser­va Es­tra­té­gi­ca Ali­men­tar (REA) te­nha per­nas pa­ra an­dar. Por is­so, o pla­no se­rá su­por­ta­do pe­las emis­sões de Obri­ga­ções do Te­sou­ro Es­pe­ci­ais e pe­lo Te­sou­ro Na­ci­o­nal com pra­zos de três anos in­de­xa­das às ta­xas de câm­bio ou de in­flac­ção cu­jos in­di­ca­do­res de re­mu­ne­ra­ção se­jam de 7 a 8 por cen­to (ta­xa de ju­ro de cu­pão).

No que se re­fe­re ao fi­nan­ci­a­men­to, o ins­tru­men­to po­de­rá des­con­tar na ban­ca na­ci­o­nal. As Obri­ga­ções do Te­sou­ro vão até ao li­mi­te do va­lor do stock ini­ci­al fí­si­co da re­ser­va, fi­can­do o re­ma­nes­cen­te co­mo re­ser­va fi­nan­cei­ra.

As­sim, com a au­to­ri­za­ção pré­via do Mi­nis­té­rio das Fi­nan­ças e su­por­ta­da em ca­so pre­pa­ra­do pe­la RE, se­rá des­con­ta­do pau­la­ti­na­men­te nas si­tu­a­ções de de­mons­tra­da ne­ces­si­da­de.

Cré­di­to lo­cal

A ou­tra op­ção fi­nan­cei­ra pren­de-se com a cri­a­ção de uma fa­ci­li­da­de de cré­di­to em mo­e­da lo­cal, sob for­ma de uma con­ta cor­ren­te cau­ci­o­na­da jun­to da ban­ca, cons- ti­tuin­do-se o Mi­nis­té­rio das Fi­nan­ças co­mo mu­tuá­rio.

A fa­ci­li­da­de se­ria es­ta­be­le­ci­da pe­lo va­lor to­tal do stock ini­ci­al da REA. Es­te ins­tru­men­to fa­ria uso dos re­cur­sos em fun­ção das ne­ces­si­da­des pa­ra cons­ti­tui­ção do stock ini­ci­al e de ou­tros cus­tos ope­ra­ci­o­nais, sob a su­per­vi­são do Mi­nis­té­rio do Co­mér­cio e das Fi­nan­ças.

Os ce­ná­ri­os de fi­nan­ci­a­men­to não li­mi­tam o Exe­cu­ti­vo em ar­re­gi­men­tar as ou­tras for­mas de fi­nan­ci­a­men­to.

EDI­ÇÕES NO­VEM­BRO

Edi­fí­cio do Mi­nis­té­rio das Fi­nan­ças

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.