Pa­lan­cas com en­tre­ga

Jornal dos Desportos - - ABERTURA -

Os Pa­lan­cas Ne­gras vol­tam ao tra­ba­lho pa­ra dar cor­po à preparação do jo­go de ca­rác­ter particular, no pró­xi­mo dia 28 de Mar­ço, di­an­te da sua con­gé­ne­re da Áfri­ca do Sul. A con­vo­ca­tó­ria di­vul­ga­da na úl­ti­ma se­ma­na, ape­sar de le­van­tar al­gu­mas con­tes­ta­ções, aca­ba por ser con­sen­su­al, por­que en­vol­ve aque­les que se jul­ga es­tar na me­lhor for­ma des­por­ti­va. O gru­po não in­te­gra jo­ga­do­res co­mo o guar­da-re­des Tony Ca­ba­ça, do 1º de Agos­to, e Car­li­nhos, do Pe­tro de Lu­an­da, con­sis­tin­do o po­mo da dis­cór­dia de cer­tas pes­so­as na au­sên­cia das du­as uni­da­des. É ao se­lec­ci­o­na­dor na­ci­o­nal que ca­be a úl­ti­ma pa­la­vra, e so­bre o que de­ci­dir, é o que de­ve ser acei­te e res­pei­ta­do. Por­tan­to, não de­ve ha­ver mo­ti­vos pa­ra con­tes­tar as es­co­lhas, mais a mais por­que o se­lec­ci­o­na­dor é al­guém que no qua­dro das su­as obri­ga­ções pro­fis­si­o­nais acom­pa­nha de per­to a evo­lu­ção do cam­pe­o­na­to na­ci­o­nal, bem as­sim co­mo a evo­lu­ção in­di­vi­du­al de cer­tos atle­tas que re­pre­sen­tam em­ble­mas estrangeiros. O que se exi­ge, ago­ra, é um apro­vei­ta­men­to in­te­gral do tem­po pa­ra um tra­ba­lho de preparação efi­caz e res­pon­sá­vel, não só com vis­ta o jo­go do dia 28, co­mo tam­bém os ou­tros que se vão se­guir, e por si­nal de mai­or res­pon­sa­bi­li­da­de, co­mo aque­les que se in­se­rem no tor­neio de qua­li­fi­ca­ção ao CAN'2019. Quan­to a is­so, po­de não ha­ver mui­ta pre­o­cu­pa­ção, sa­ben­do que o gru­po com al­gu­mas li­gei­ras me­xi­das, já se co­nhe­ce per­fei­ta­men­te, em­bo­ra se­ja sem­pre im­por­tan­te re­ver os es­que­mas ou in­tro­du­zir al­gu­mas ino­va­ções no mo­de­lo de tra­ba­lho. Es­ta­mos cer­tos que o gru­po in­fun­de con­fi­an­ça ao se­lec­ci­o­na­dor na­ci­o­nal e aos aman­tes do fu­te­bol. Sa­be­mos que Ca­ma­rões'2019 é uma meta, que pa­ra ge­ne­ra­li­da­de de an­go­la­nos que li­dam com o fu­te­bol não de­ve es­ca­par, e pa­ra tan­to, ur­ge con­ju­gar es­for­ços re­do­bra­dos pa­ra que a pres­ta­ção e os resultados nes­te tor­neio cor­res­pon­dam às am­bi­ções sus­ten­ta­das. À par­ti­da, fi­que cla­ro não vai ser fá­cil, em­bo­ra, na­da é im­pos­sí­vel. Por­tan­to, a se­lec­ção precisa de tra­ba­lhar mui­to pa­ra con­se­guir o ní­vel com­pe­ti­ti­vo su­fi­ci­en­te, e fa­zer fa­ce às exi­gên­ci­as com­pe­ti­ti­vas do gru­po, on­de o Bur­ki­na Fa­so é sem dú­vi­da o ad­ver­sá­rio mais te­mí­vel, fa­ce à qua­li­da­de fu­te­bo­lís­ti­ca que de­mons­tra nos úl­ti­mos tem­pos, co­mo con­sequên­cia de um gran­de cres­ci­men­to.

O gru­po não in­te­gra jo­ga­do­res co­mo o guar­da-re­des Tony Ca­ba­ça, do 1º de Agos­to, e Car­li­nhos, do Pe­tro de Lu­an­da, con­sis­tin­do o po­mo da dis­cór­dia de cer­tas pes­so­as na au­sên­cia das du­as uni­da­des. É ao se­lec­ci­o­na­dor na­ci­o­nal que ca­be a úl­ti­ma pa­la­vra, e so­bre o que de­ci­dir, é o que de­ve ser acei­te e res­pei­ta­do. Por­tan­to, não de­ve ha­ver mo­ti­vos pa­ra con­tes­tar as es­co­lhas

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.