Fer­nan­do Alon­so ar­ra­sa Hon­da VERS­TAP­PEN

Pi­lo­to da McLa­ren for­ça­do a de­sis­tir do Gran­de Pré­mio do Bah­rain a du­as vol­tas do fim

Jornal dos Desportos - - ÚLTIMA -

De­cep­ci­o­na­do com o ren­di­men­to na McLa­ren, Fer­nan­do Alon­so não se con­te­ve nas crí­ti­cas à Hon­da, for­ne­ce­do­ra de motores da em­pre­sa. O es­pa­nhol foi for­ça­do a de­sis­tir do Gran­de Pré­mio do Bah­rain, à du­as vol­tas do fim, mos­trou a sua frus­tra­ção via rá­dio, em declarações re­pro­du­zi­das pe­lo Au­tos­port.

"Co­mo é que eles po­dem ul­tra­pas­sar-me? Eles es­tão 300 me­tros atrás de mim, e pas­sam-me nu­ma rec­ta. Nun­ca cor­ri com tão pou­ca len­ti­dão na mi­nha vi­da”, de­sa­ba­fou.Já de­pois da cor­ri­da, Alon­so ad­mi­tiu que o veí­cu­lo que con­du­zia era me­nos com­pe­ti­ti­vo do que nas cor­ri­das ini­ci­ais, em Mel­bour­ne e Xan­gai.

"Acho, que es­ti­ve­mos per­to dos pon­tos, em al­gu­mas par­tes da cor­ri­da, mas nun­ca ti­ve­mos o rit­mo que con­se­gui­mos na Chi­na ou na Aus­trá­lia, fo­mos um pouco mais len­tos des­ta vez", ex­pli­cou à NBC.Es­te foi, de res­to, o ter­cei­ro aban­do­no for­ça­do do es­pa­nhol, em ou­tras tan­tas cor­ri­das. "Não de­se­jo a nin­guém uma si­tu­a­ção des­tas", acres­cen­tou Alon­so, que vai fa­lhar o GP do Mó­na­co pa­ra cor­rer a Indy 500.

Max Vers­tap­pen foi obri­ga­do a re­tra­tar-se e pe­dir des­cul­pas a to­dos os bra­si­lei­ros, de­pois de ´des­car­re­gar` a sua frus­tra­ção em Fe­li­pe Mas­sa, após a qu­a­li­fi­ca­ção fa­lha­da pa­ra o Gran­de Pré­mio do Bah­rein, em Fórmula 1. O jo­vem pi­lo­to ho­lan­dês ati­rou­se ao ve­te­ra­no bra­si­lei­ro da Wil­li­ams, por en­ten­der que es­te o pre­ju­di­cou em pis­ta."Bom, ele é bra­si­lei­ro, en­tão não há mui­to a di­zer...", co­men­tou na al­tu­ra, Vers­tap­pen. Uma de­cla­ra­ção que não caiu bem, a Mas­sa.

"Eu dis­se-lhe: ´tem cui­da­do com o que di­zes, por­que ain­da vais ter de ir cor­rer ao Bra­sil. Cui­da­do com o que di­zes`. Não foi cor­rec­to fa­lar dos bra­si­lei­ros, sem sa­ber se­quer do que es­ta­vas a fa­lar. E, em se­gun­do lu­gar, ele não sa­bia mes­mo do que es­ta­va a fa­lar, por­que eu nem o atra­pa­lhei. Dis­se-lhe: "acon­te­ceu a mes­ma coi­sa, en­tre mim e o Hul­ken­berg. Vê lá, se es­tá al­guém a re­cla­mar um do ou­tro? ` An­tes de abrir a vol­ta, tens de es­tar na me­lhor po­si­ção pos­sí­vel. Se não con­se­gui­res, a cul­pa é tua", dis­se o ve­te­ra­no pi­lo­to bra­si­lei­ro.O ho­lan­dês da Red Bull já re­co­nhe­ceu o er­ro, e pe­diu des­cul­pas.

"Fi­quei mui­to de­sa­pon­ta­do com a mi­nha pres­ta­ção, na úl­ti­ma vol­ta, e ti­ve uma re­ac­ção emo­ci­o­nal que foi ti­ra­da do con­tex­to. Nun­ca pre­ten­di ofen­der o po­vo bra­si­lei­ro. Pe­ço des­cul­pa a to­dos que se sen­ti­ram ofen­di­dos, e es­pe­ro, an­si­o­sa­men­te, vol­tar a cor­rer no vos­so país. De mo­do al­gum quis in­sul­tar os bra­si­lei­ros, um po­vo que res­pei­to imen­so e que sem­pre foi mui­to sim­pá­ti­co co­mi­go, sem­pre que vi­si­tei o país.

Um dos me­lho­res mo­men­tos da mi­nha car­rei­ra, foi há uns anos o Gran­de Pré­mio do Bra­sil, sen­do um mo­men­to ain­da mais es­pe­ci­al por ter si­do vi­vi­do no país que nos deu pi­lo­tos len­dá­ri­os co­mo Sen­na, Fit­ti­pal­di e Pi­quet", es­cre­veu Vers­tap­pen nas re­des so­ci­ais.

Pi­lo­to foi for­ça­do a de­sis­tir três ve­zes

ANDREJ ISAKOVIC | AFP

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.